sexta-feira, 21 de julho de 2017

Por que sumir?



Alguém (vestindo a falsa capa da santidade) me diz:

- Fulano reclama que vocês não se vêem...






O que eu penso:

“Gente, Fulano deve ter algum problema mental!! Reclama de quê? Que a gente não se vê? Cansa de passar na minha porta, na minha cidade e nunca fez questão de passar nem pra dizer apenas OI! Por várias vezes passei por inúmeras situações difíceis e o Fulano, mesmo ciente, NUNCA mandou nem mensagem perguntando se havia chances de eu sobreviver! Incontáveis vezes... Fulano sempre me procura quando precisa, e me esquece quando não precisa mais! Está reclamando de quê? Que não nos vemos? Oi? Que quer me ver? Não mesmo... Com certeza, reclamando da falta de audiência. E apenas disso.”







Eu não sou de muitas visitas. Confesso até que sou mesmo falha nessas questões, mas também não reclamo de ninguém não me visitar. Não reclamo de ninguém não me mandar mensagem (nem mesmo o Fulano)! Eu entendo que é natural que alguns afastamentos ocorram, e que às vezes, quem se distancia, é porque está num momento difícil e precisa que eu me aproxime; e que mesmo a distância física não permite determinados tipos de cobranças quando há amizade, proximidade de almas.







Neste caso, não há proximidade de almas, e muito menos amizade recíproca. Sou eu pro meu canto e o Fulano pro canto dele. Podemos simplesmente levar um relacionamento social, mas não há motivos para cobranças do tipo “por que você não vem na minha casa?”. A resposta é simples: “porque não temos afinidade, não temos interesse nem vontade de estarmos juntos!” E da minha parte, sendo bem sincera, não tenho confiança o suficiente para frequentar a sua casa, não tenho gosto, apreço na sua conversa. Da sua língua vejo (e ouço) tanto veneno escorrendo, que tenho medo!







Para o Alguém não bem intencionado que me trouxe a queixa inicial, respondo apenas:

- Essa semana eu tento resolver isso... Finalmente estarei de férias!







Assim, não levo a questão adiante e encerro o papo.

Sem cobranças.

Sem leva e traz.







Inteligência para cortar gente futriqueira (e hipócrita) é essencial!!



E ponto.

domingo, 9 de julho de 2017

Nascer...



Nascer dói.
Ao humano, que deixa o ventre o materno.
Ao pássaro, que se esforça quando quebra a casca do ovo.
À semente, que para brotar, tem que germinar.


Tal dor, porém, é para o bem:
Que se faça o milagre da vida!

E, então, quando nasce o bebê, pequeno indefeso,
Quando brota a flor, leve e delicada,
Tendemos a esquecer a força do pequeno ser...
Forte o suficiente para nascer!

Belo, delicado, de aparência frágil. Ainda assim, definindo bem o conceito prático do que é força.

É isso.
Seja forte.
Permita-se nascer TODOS os dias.

Lauraine Santos.

Junho/2016
O vazio dói.
E o que é a solidão
Se não um vazio existencial profundo e escuro?

Sobre a Lealdade



Lealdade não é algo que se pode ensinar,
Nem pedra bruta que se precise lapidar.
Lealdade é um valor nato no coração de quem sabe amar.

A lealdade é senhora de seus atos
Responsável por seus gestos
Firme em seus argumentos
Irrepreensível em seus caminhos e Indubitável em sua palavra!


Firme, certeira e confiável.
Porto seguro.
Feliz é quem a tem!!!

{[(Tanto sendo doador quanto sendo o receptor)]}.

Lauraine Santos.