sábado, 6 de maio de 2017

Pandora e minha caixa


Pandora trouxe-me sua caixa
E eu, tão curiosa quanto qualquer fêmea,
Não contive a curiosidade,
Cometi o mesmo erro de milhões de curiosos anteriores a mim,
Abri a caixa para ver o que tinha dentro mesmo sabendo que a encomenda podia nao ser para mim.


Derramei
Sobre o meu leito
O pecado mortal da curiosidade.

Deleitei-me
Aguçada de todos os sentidos investigativos e excitantes.

Corrompi-me
Na busca pelo prazer que me é devido e que não me havia sido dado.

Entreguei-me
Aos caprichos do corpo que por pouco não me azedam a alma.

Desfaleci
Submersa e sufocada
Pelos desejos e tragédias contidos na caixa de Pandora que eu mesma abri.

Lauraine Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença