segunda-feira, 20 de março de 2017

O que é perdoar?

Conversava com uma pessoa quando ela começou a enumerar, sem perceber, a quantidade de erros de sua família e o quanto ela foi ferida, passada pra trás, ludibriada por eles.

Pensei (e apenas pensei mesmo): essa pessoa está certa! Não tem mesmo que querer ver essa turma nem pintada de ouro!! E continuei ouvindo a pessoa desabafar - e intimamente, dando razão a tudo o que ela estava dizendo. Foi quando minha percepção compreendeu o quanto ter tanta razão estava fazendo mal a essa pessoa.

Essa pessoa tornou-se escrava de sua decepção e da mágoa que lhe causaram. Enxerguei diante de mim, um alguém muito amargurado. Amargurado a ponto de achar que o mundo inteiro devia virar as costas para os que lhe feriram - e sente revolta contra quem abraça a esses seus malfeitores.

E apesar de não haver apenas momentos ruins nesse relacionamento, a pessoa só ressalta e só fala das feridas que lhe fizeram, esquecendo completamente os momentos bons.

Quando abordamos sobre a necessidade do perdão, a pessoa, soberbamente, se canonizou, dizendo já haver perdoado. (Só não quer ter por perto, nem ver, nem quer que ninguém ame os seus malfeitores, mas está tão cego e escravizado pela mágoa, que acredita piamente ter perdoado).

Foi quando eu me despedi e me encontrei com o meu silêncio para pensar em tudo aquilo.

De tudo,
Meu maior questionamento era sobre o que é, indubitavelmente, perdoar.

Após alguns minutos refletindo, me veio a passagem bíblica da ressurreição de Cristo, quando Ele manda o recado: "avisa a Pedro!"
QUE LOUCURA!!!!
Pedro negou a Jesus no pior momento da vida de Jesus!


Bom, na nossa índole vingativa talvez mandasse mesmo avisar a Pedro, pra esfregar na cara daquele medroso, cara de pau, covarde, traidor, que "Óh, ressuscitei!!!"

Porém, o recado que Cristo manda não tem o intuito de humilhar a Pedro, mas de dizer para Pedro: "Hey, men! Bola pra frente que atrás vem gente! Tamujunto! Nossa parceiria está de pé!".

Compreender o conceito de 70x7 pode ser complexo demais para o nosso contexto, mas contra os exemplos deixados pelo próprio Cristo: não há argumentos!!

E você pode tentar se enganar alegando que: "ahhh, mas Ele era OOOO Cristo...".
Puro blá blá blá!!!
Pura enganação, artifícios da mente para não liberar o perdão!
Artimanhas do tinhoso para te manter amargurado e em escravidão!
Era homem.
Vestido de homem.
Vivendo e sentindo como homem!
E exatamente: se Ele sendo Cristo, santo, sem pecados, pôde perdoar, quem somos nós, pra nem sequer QUERER perdoar?!

Ninguém disse que seria fácil, nenhuma história sobre abolição foi. Não é e nunca será.
Ser imitador de Cristo não é fácil.
Também não é e também, nesta vida, nunca será!

Então, sobre perdão,
Quem é (e quantos são) o(s) Pedro(s) que você precisa perdoar? Para quais e quantos se sente pronto em dizer: "BORA!!? Bora juntar os cacos e seguir daqui pra frente?!??"

Apenas neste trecho bíblico (sobre a ressurreição) (pois é! Esquece José sonhador com irmãos!) compreendi a complexidade e grandeza do sentido amplo de perdoar.

A escolha de Cristo foi inteligente.
Não transformou Pedro num homem perfeito, mas o trouxe de volta ao objetivo inicial daquele relacionamento: a salvação das almas.
E quanto a isso, não restam dúvidas: foi uma parceiria de sucesso!
De tanto sucesso, que o legado se estende até os dias de hoje.

E você, que legado vai deixar?
Um legado com Cristo, ou não pretende entrar na história da eternidade?

#BoaReflexão

Lauraine Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença