domingo, 15 de janeiro de 2017

Conhece-te a ti mesmo



Há mistérios que não nos pertencem,
Profundezas que vão além dos oceanos.

Há segredos guardados
E mapas escondidos
Em universos paralelos
Que jamais serão descobertos.


Há crimes não resolvidos
E nunca confessados
Espalhados pelo mundo.

Há uma infinidade de cores e sons ao longo da vida
Que a língua jamais poderá experimentar: em sua função tátil/palativa ou de comunicar.

Há vida além da vida que penso que vivo.

Há mistérios dentro de mim.
Crimes não resolvidos.
Segredos não descobertos.
Mistérios profundos e inalcançáveis.
Há muito o que se investigar.

E cada um
Que (redundantemente) :
Investigue-se a si.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença