sábado, 13 de agosto de 2016



Está chovendo amor!


De bombons trufados e corações feitos de papel

Uma brilhante chuva se derrama do céu.

Feito purpurina
Com nuances de lantejoulas,
Nas cores do arco íris,
O céu se aperfeiçoa.
No céu da boca de uma estrela,
Brilha o motivo do sorriso.


Está chovendo amor!


Quentes gotas de saliva e suor.

Comprometedoras declarações:

Assinadas por emoções imensuráveis,

Carimbadas pelo poder da vida.


Assim, sela-se o amor.

Oficializa-se o irracional,

Dá-se um nome ao que não tem sequer explicação.


Normatiza-se, então, o desconhecido.


Agora, a partir do ponto em que perde a razão,

Não se explica a intenção,

Não se define a atração,

Não se justifica o querer,

Nem se distingue o limite entre saudável e o insano,

Recebe um nome.

Chama-se: Amor.


Lauraine Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença