sábado, 4 de junho de 2016

Tirando os cargos

Quando o status não nos permite ser quem somos...

Há determinados status sociais que não permitem que o indivíduo seja quem ele quer ou precisa ser em certos momentos. As pessoas fogem dos tratamentos psiquicos como se não houvesse amanhã. E é neste cenário que podemos encontrar nossos heróis do cotidiano totalmente devastados; nossos líderes religiosos, políticos e sociais, completamente esmagalhados por dores que não suportam carregar; aflitos pelo próprio caráter dúbio que não lhes permite seguir sem tropeçar por um reto e justo caminho. Todos doentes, em um sofrimento sem fim!!

Antes de ser qualquer coisa, entenda-se como gente.
Permita-se sentir e agir como qualquer mero mortal.

E aí você me diz:
"Eu não posso procurar terapia, vão achar que eu sou maluco!"
"Eu não posso fraquejar! As pessoas dependem de mim!"
"Eu não posso procurar ajuda profissional, as pessoas vão pensar que Deus não fala mais comigo!".

Então eu pergunto,
Quantos lutos ainda não foram elaborados?
Quantos gritos ainda estão silenciados em nome da moral e dos bons costumes, mas continuam corroendo a sua vida?
Quantas dúvidas ainda pairam no ar?
Quantas calúnias amargas sua mente ainda rumina?
Quantos questionamentos você espera que Deus desça do seu trono de glória para te responder?

As respostas da vida estão expostas ao longo da caminhada, esperando apenas que você caminhe e tenha suporte para vê-las. Por isso, deixe um pouco de lado os títulos profissionais, os papeis sociais, a crença de que 'terapia é coisa de maluco", ou, "coisa do demo".

Terapia é ferramenta de cura.
Seja qual for o problema, procure ajuda.
Não adianta viver fingindo que o problema não existe. Antes, resolva-se, entenda-se, arrume-se a si mesmo... Você perceberá maior sucesso em suas funções.

Lauraine Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença