terça-feira, 30 de junho de 2015

CAIXA DAS LEMBRANÇAS

A caixa das lembranças:
Onde está a sua? Não vale dizer que não se lembra onde a deixou. Ninguém esquece de onde a guarda.
Então, refazendo a pergunta, o que você guarda na sua caixa de lembranças??
Não me venha com uma caixa de cor sépia, empoeirada e cheia de teias de aranha... embora isso faça parte do que muita gente guarda na caixa da lembrança, não é o que se deseja encontrar, nem o que vale a pena guardar; não é nada saudável juntar lixo e insetos dentro de si.
Minha proposta?
Limpar a caixa.
Limpe a caixa!!!
Não deixe que as memórias ruins lhe impeçam de acessar as boas.
Não ignore a caixa pelo fato de algumas memórias não preencherem ao requisito de agradáveis.
Limpe a caixa e acesse as lembranças daquilo que foi bom
E que serve de mola para impulsionar rumo a novos horizontes, novos aprendizados, novas boas memórias...
Não guarde a caixa.
Caixa guardada empoeira,
Acumula conteúdo descartável,
Fica esquecida e não recebe o valor que merece.
Limpou a caixa?
Certo. Agora...
USE A CAIXA!!
Ela é sua!
Ninguém pode tirá-la de você.
A manutenção é por sua conta.
E o benefício
É TODO e COMPLETAMENTE SEU!!
Lauraine Santos.

Onde há gente..

Um dia a gente se surpreende ao descobrir que as pessoas não são o que dizem, e muito menos se assemelham ao que parecem ser.
A gente descobre que quem dizia que sempre estaria por perto, não está.
A gente se depara com um milhão de decepções e desilusões e pessoas, momentos, gestos, situações que preferíamos que nunca existissem pra ninguém!!
Porém, não temos pra onde fugir.
Tudo isso faz parte da vida em movimento.
Gente chata, gente falsa, gente inconveniente, gente ingrata!
Gente interesseira, gente sem consideração.
Gente que bajula sem verdadeira admiração...
Gente que mente, trai, engana, mata.
É praticamente uma regra: Onde há gente, há decepção!
E como toda regra, também para essa, há muita exceção.
Também vai ter aquela pessoa que é MUITO melhor do que parece ser.
Vai ter aquela pessoa que nunca prometeu nada, mas que estará de ombros expostos e lenços dispostos para nos carregar e enxugar as lágrimas.
Gente de verdade, que sorri ao te ver, mesmo sabendo que você vai reclamar da vida;
Gente que te procura e te convida pra festa, mesmo sabendo que você não tem um vintém.
Gente que te ama e quer por perto, mesmo que socialmente você não seja ninguém.
Nesse mundão doido, ainda tem muita gente especial,
Tão especial, que faz a gente se sentir especial.
Ao invés de perdermos tempo com as desagradáveis pessoas da vida, vale muito mais mudar os óculos e enxergar quanta gente boa surge ao nosso redor quando o que temos a oferecer é pouco além da própria existência.
Não muda os fatos, mas muda a vida.
E ter uma vida feliz, cercada de gente boa,
Valorizando o melhor que se pode ter, isso sim importa!
Lauraine Santos.

Re - Inventar-se

Passar por uma rua diferente,
Conversar com alguém com quem você não conversa frequentemente,
Ouvir um ritmo musical que não seja o habitual,
Observar as pixações nas paredes e detectar qual a arte expressa além da marginalidade que fere a sociedade... 
Converse com as plantas,
Com objetos do dia a dia,
Com as paredes...
Mude!!
Mude os móveis de lugar,
A cor do batom,
O penteado,
O corte do cabelo,
O tamanho das unhas,
O estilo, o cardápio...
Até o tempo é caprichoso e se transforma nas estações.
É um modo de se renovar, de renascer, reviver, reinventar.
(Em cada estação o tempo se apresenta de um modo diferente).
Se reinventar, sim.
Por que não?!
Não somos os mesmos nunca.
E se não há repetição,
Por que não ser uma novidade por si mesmo inventada?!?
Nascer, renascer, florescer para ser... uma atividade naturalmente diária, incessante, eterna.
Que seja feliz a cada instante em que se renova.
Porque no fim das contas
Cabe somente a você
Inovar-se e renovar-se e transformar-se para SER... até, de fato, SER.
Lauraine Santos.

SOBRE LER-SE


Ler nas entrelinhas requer habilidade;
Ouvir o que a voz não diz exige atenção e ouvido aguçado.
Suas atitudes são coerentes com as suas palavras?
Suas palavras são coerentes com os seus pensamentos?
As pessoas fingem o que não são...
Dizem boas palavras de significados ruins, mas dizem de uma forma suave, afinal, precisam esconder o rosto na máscara da bondade.
Cuidado com as máscaras.
Cuidado com quem deixa explícito que: “to te maltratando pro seu bem”.
As expressões mais comuns se apresentam como preocupação, cuidado, carinho com você,
Mas se originam da inveja, do medo, da raiva, da culpa...
Ouça as palavras, mas também leia as atitudes, os gestos.
Traduza as contradições.
E mais importante que traduzir as contradições alheias,
É traduzir e converter as próprias contradições.
Havendo interesse, é arregaçar as mangas, e... mãos à obra!!
Lauraine Santos.

Crise existencial.

Preparando-me psicologicamente para completar 28 anos de vida...
(Onde eu estive nos últimos 10 anos?)
É muito estranho que eu esteja chegando aos 30 e ainda não esteja rica, linda, magra e morando na Europa.
É esquisito que eu esteja chegando aos 30 com mais perguntas do que respostas, com mais dúvidas do que certezas.
É bizarro pensar que eu ainda não tenho 30 anos de vida e já vou completar 7 anos de casada. Como assim??! Eu mal acabei de nascer...
O bom é que tenho agregado amigos e princípios cujo valor é inestimável!
Tenho aprendido lições que nem imaginava que existiam.
Tenho me transformado e transformado muitas coisas à minha volta.
Tenho sido também transformada por elementos externos que mesmo sem querer, contribuem para o meu crescimento e amadurecimento.
Tenho, passo a passo, aprendido a ser gente - como gente humana deve ser.
E aprendido tantas coisas mais,
Algumas, que ainda nem ouso saber...
Afinal, no fundo, talvez, isso que seja
O que chamam de
Viver.

Você sabe o que é felicidade?

A sociedade mais doente do mundo: a atual.
Vende-se saúde e felicidade.
Saúde deveria ser algo natural, mas a derrocada da saúde começa quando o homem se perde da felicidade.
O homem atual não sabe o que é felicidade. Por isso, a busca desenfreadamente nas garrafas com álcool, nas drogas alucinógenas, na aquisição dos sonhos que as propagandas vendem.
O carro ideal é comprado.
O apartamento perfeito é alcançado.
O idealizado amor aparece.
Os filhos desejados nascem.
As viagens e a conta no banco se multiplicam. E quando a alegria momentânea da conquista passa, volta-se ao vazio anterior e à busca por uma nova felicidade mais intensa. E nada preenche.
Cobiçamos o que a TV mostra porque não sabemos o que é felicidade.
Cobiçamos o que a sociedade aponta como sendo bom, porque não sabemos o que é felicidade.
E felicidade, na sociedade de hoje, é, além de uma constante obrigação, um fator de ordem capital $$ praticamente impossível de se conquistar.
Você tem que ser magro e só andar de carro (carro novo).
Tem que sair do aluguel e se relacionar com a patente alta e influente da sociedade.
Tem que ter filhos.
Tem que transar com quem quiser, quantas vezes quiser.
Tem que sentar à mesa e ter refrigerante pra beber (e lembrando: andar de carro e ser magro).
Tem que estar em um relacionamento amoroso e não abrir mão de nada por ninguém.
Tem que viajar e driblar o que é politicamente correto.
TEM QUE SORRIR!!
Tem que sorrir e estar feliz... O TEMPO TO-DO!
Ser feliz é sua obrigação.
Não feliz de verdade, mas feliz como querem. De um jeito impossível de ser.
Porque a felicidade pode estar em detalhes que ninguém valoriza,
Como acordar cedo pra trabalhar ou estudar – e estar feliz – por saber que vai encontrar pessoas bacanas, chatas e esquisitas ao longo do dia, porque terá problemas para resolver...
Porque a felicidade pode estar em deitar-se para ouvir músicas melancólicas e pensar na vida – sim, há prazer nisso...
Ou em tomar suco de pozinho e rir de si mesmo ao pensar: “Que treco ruuuim!!”
Em sentar-se na pracinha e concluir que: “PUTZZZ!!! Não tenho nem R$1,00 pra pipoca!!”
Em se divertir sem precisar flertar ou transar: ser feliz sozinho.
Em beijar o sapo e se sentir A princesa.
Em sair a pé e conseguir contemplar o mundo ao redor.
E ficar feliz, porque caminhar emagrece...
E magreza não é sinônimo de saúde, mas boa autoestima, além de saúde, é felicidade.
Está procurando a felicidade? Caminhe!
E você, já descobriu o que é felicidade?
Lauraine Santos.

Betty's, as feias


Uma das sensações mais constantes da minha entrada na adolescência era a de que todas as meninas do MUUNDO INTEIRO eram mais bonitas, legais, divertidas e interessantes do que eu.
Complexo de inferioridade é o nome disso. E caso as pessoas não saibam, dói. De verdade.
Um exemplo: gostar de algum menino... É o martírio de toda “Betty, a feia”, que SABE que jamais será cortejada pelo príncipe.
Acontece que esse saber não existe de fato.
Esse saber é uma crença destrutiva, vitimista e depreciativa que “Betty” tem sobre si mesma.
O rosto e o corpo real de “Betty” é o que menos importa. O que importa é a forma como “Betty” se relaciona, consigo mesma (se depreciando, se sentindo incapaz) e com o mundo (supervalorizando o outro).
É difícil saber em que momento exatamente isso começa; talvez um coleguinha a tenha chamado de feia no jardim de infância, talvez algum parente tenha feito alguma brincadeira de mal gosto, ou, que nada mesma tenha acontecido e “Betty” esteja apenas muito confusa com o tanto de mudanças que seu corpo está sofrendo.
O porém é que há “Betty’s” de todas as idades, credos e raças. De todos os nomes.
O que “Betty” precisa fazer?
Desaprender tudo o que sabe sobre si e deixar de lado as crenças destrutivas, negativas que tem. Aprender uma série de valores que estão espalhados fora do lugar como se fossem lixos.
Enfim, querida Gata Borralheira, quando quiser algo e pensar que SABE que não vai dar certo, lembre-se de que você, na verdade, não sabe: porque você não tem bola de cristal. E que a única forma de conseguir, é tentando.
Também vale lembrar que as pessoas são diferentes.
Quanto a dor que o complexo de inferioridade causa, tem tratamento.
E tanto como profissional como quanto paciente um dia acometida por esse mal, posso afirmar, sem medo de errar: HÁ CURA.
Lauraine Santos.