domingo, 29 de março de 2015

O segredo do sagrado feminino é mais sagrado do que segredo...
Algo que todos nós sabemos sobre os segredos...
São extremamente femininos!
Qual é o por que do por quê?
Qual é a pergunta à qual as suas respostas não respondem?
Quais são as dúvidas que não sabemos que temos, que se repetem e que martelam nos nossos ouvidos sem conseguirmos traduzir?
São perguntas inteiras
Repletas de respostas guardadas em gavetas trancadas que não queremos abrir...

domingo, 22 de março de 2015

Quebrar pedra

Vinha pela BR101 observando a paisagem
Distraída com meus pensamentos soltos,
Me perguntando,
Dentre os meus questionamentos infindáveis,
Qual seria a minha missão nessa terra...
Foi quando vi um alto monte de pedras, aproximadamente 3 metros de altura daquelas pedras pequenas que se usa para construção civil,
Que ouvi a resposta... uma voz dentro de mim me disse:
"Sua missão? Oras, Não está vendo? Quebrar pedra!!"
Pensei: "O quê? Quebrar pedra? Oi? É isso mesmo? Quebrar pedra?? Como assim?"
E a voz me respondeu: "SIM, Isso mesmo!! Quebrar pedra!! Você entendeu!!"
Oras, é claro que eu ainda não sei ao certo o que isso significa!!!
Mas eu sei que aquelas pedrinhas quebradas serão usadas na construção de ampliação da pista (pista = caminho: e isso AGORA me parece profundamente filosófico!).
Eu não sei ao certo o que é quebrar pedra.
Nem a dinâmica, amplitude, dimensão, proporção ou significado exato da coisa.
Só entendi que talvez as pedras não sejam O projeto final,
Mas fazem parte de um todo para o qual são imprescindíveis.
E que depois, vou poder usufruir do caminho.
Lógico que imagino que quebrar pedra seja um negócio pra lá de complicado, mesmo com toda tecnologia e afins... Enfim..
Bora quebrar pedra!!!!
Vou até dormir depois dessa filosofada...

segunda-feira, 9 de março de 2015

Último Suspiro

Eu não vejo nada.
Sou uma cega tateando na escuridão.
Não há sinais que me facilitem a compreensão.
Não há luz
Nem sol
Nem som
...
Há apenas breu e silêncio.
O silêncio ensurdecedor dos filmes e dos best sellers,
O silêncio da morte
O silêncio da vida
O grito da solidão
O grito da desesperança e da insensatez...
O meu silêncio e o meu grito
Tudo preso na minha garganta
Entalado
Me asfixiando
Me matando
Me torturando
Apagando e calando
Até o meu
Último
Suspiro.

quinta-feira, 5 de março de 2015

Vida que ensina

A idade adulta chega
Mas a gente não quer sair da infância!
E a despedida parece muito cruel.
Tão cruel
Que não importa o destino futuro
Importa apenas que não queremos sair de onde estamos.
É impossível dar adeus à infância,
Local protegido
Ninho fechado
Porto seguro...
É difícil caminhar para um destino onde eu não quero chegar!!!
Então eu esperneio
Choro, grito,
Me jogo no chão
Me debato desesperadamente
Cravo as unhas no assoalho
Mas não tem jeito!
Sinto a vida me puxando pelas pernas, me levantando puxando pelas orelhas, dando uns gritos comigo, me fazendo engolir o choro e dizendo que não quer ouvir mais nenhum pio!
E eu sigo soluçando cabisbaixa
Tentando não olhar pra trás.
Pirraçando de trecho em trecho
Sendo sacudida pela vida mãe educadora tirana a cada pirraça...
Em cada parada
Cravo as unhas no chão
Na esperança de conseguir retornar à infância
Ou no mínimo, de não ter que continuar a caminhar rumo ao destino
Que desconheço
Que não gosto
Que não quero chegar
Que não me fará feliz
E que
Não me satisfará!!