quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Be Original

Muita gente tem medo de ser original,
Se orienta pela bússola dos outros,
Acredita em mentiras e estereótipos sociais.
Padroniza o comportamento para cada $tatu$.
Confunde postura com caráter,
Não distingue a pessoa, do amigo, do profissional, do filho, do cidadão...
Porque embora em essência seja a mesma raiz, os frutos podem variar em textura, cor e até sabor.
O bom amigo nem sempre é bom pai
O bom pai nem sempre é bom esposo
O bom esposo nem sempre é bom profissional
O bom pintor nem sempre é bom desenhista
E por aí vai!
São papeis diferentes,
Vividos e executados em momentos simultâneos
E, as vezes, inseparáveis.
E ser original neste contexto,
É assumir o risco de errar!
De fazer algo que as pessoas julguem impróprio, débil, infantil, excêntrico, antiquado..
Orientando-se pela bula social,
Muita gente deixa de se divertir.
Deixa de dormir uma horinha a mais - ou a menos,
Deixa de usar a roupa estampada que achou "da hora", porque a sociedade diz que é cafona.
Faz festa com o dinheiro que não tem
Pra convidar a 'alta sociedade'
E parecer que é feliz!
Queima gasolina
Torra dinheiro
Explode a própria vida,
Em busca de uma aparência cujo fogo não aquece a vida
Não ilumina a alma,
Não incendeia e nem inflama a felicidade...
Pura fagulha de solidão.
É uma pena que o ser, que se diz humano, ainda viva assim.
Ser socialmente aceito é sim saudável e bom.
No entanto, ser amado e aceito por si mesmo,
Sem medos da própria originalidade,
É o primeiro passo - talvez o mais importante,
Nesse trajeto insano que cursamos pela vida
Sem saber qual é o nosso destino certo.
O jeito é aproveitar cada minuto da viagem
Sem se importar com a bússola social
Seguir por si mesmo
Certo de que cada pessoa tem seu próprio caminho,
Destino e bagagem.
Boa viagem!!
Lauraine Santos.

domingo, 23 de agosto de 2015

Quando..

Quando no deserto
Nada florescer
Nem oásis houver
O teto for de estrelas sem condições de repouso ou estadia
A fome estiver sobrando
E o alimento estiver escasso,
Alegre-se!
Quando tudo isso estiver acontecendo,
Alegre-se!
Alegre-se porque é hora de caminhar!
É hora de sair do deserto
E encontrar o lugar onde o amor floresce,
Onde a água (VIVA) flui sem cessar
E o alimento não tem prazo de validade!
Você tá entendendo o que eu tô falando?? Emoticon confused_rev
Há muitos desertos,
Há muita gente prisioneira e moribunda em seus próprios desertos.
Mas não tem problema!
Depende apenas de você:
Escolha caminhar....

domingo, 16 de agosto de 2015

O QUE APRENDER COM A VIDA?


Que às vezes a inveja se camufla em elogios de admiração,
Também em tons de críticas amistosas.
Que não importa o quão leal você seja a determinadas pessoas,
Elas não te darão o valor que a lealdade tem.
Que alguns filmes sempre se repetem,
Pois com todo mundo é a mesma coisa:
Na hora da dificuldade, a maioria dos amigos somem
E só permanecem os leais escudeiros.
Que tem gente esquisita no mundo e mesmo que você não tenha feito nada de errado, ela vai te ver na rua e fingir que não viu.
Que mesmo sem você saber o motivo, vai te tratar mal ou com indiferença.
Que a amargura, o ódio, a raiva, ira, furor... As vezes, são inevitáveis,
As vezes, precisam ser extravasados,
Mas nunca devem tomar o controle das nossas ações.
Que não devemos reagir no primeiro impulso.
Que há momentos que o melhor é engolir nossas verdades e nosso orgulho.
E há momentos em que nenhuma palavra deve ficar sem ser dita, com todas as letras, pontuações, altura e tom que a gente acha que devem ser ouvidas.
Que algumas coisas doem, mas passam.
Que não importa o tamanho da dor, a hora que permitimos, ela acaba.
E a lição que fica, serve de alerta, ensina, ajuda a amenizar as próximas quedas inevitáveis da vida.
Tenho aprendido que a vida deve ser (e é) uma festa.
E ainda que não estejamos com disposição para dançar,
Não tenhamos par,
Não estejamos curtindo a música ou algo do tipo,
A vida continua sendo uma festa...
Que não importa o que os outros façam, tenho que estar sempre um passo a frente e
Em paz com a minha consciência.
Que de tudo, o que realmente importa,
É a MINHA consciência.
E você, está ciente do que se passa na sua consciência?
Lauraine Santos

Você usa os braços que tem?


Ia pela estrada a mãe e sua filha.
Cheia de sacolas, a mãe optou por ir empurrando a bicicleta com a menininha de uns quatro anos na garoupa. A pequena quis ir bebendo água.
A mãe parou tudo, deu o copo à criança, e, para não ter que ficar parada embaixo do sol quente, instruiu a menina:
- Com uma mão você segura o copo e com a outra se segura na bicicleta, pra não correr o risco de cair.
Só que a menina segurou o copo na mão em que a mãe lhe entregara, e ficou inerte, como se não tivesse entendido o recado. A mãe voltou a falar:
- Segura na bicicleta com a outra mão, filha.
E a menina parecia não compreender a linguagem da mãe. Ar abobado. Olhos espichados. Até que sem a menor malícia perguntou:
- Outra mão? Que outra mão?
Foi a vez então da mãe ficar com ar abobado. A menina não tinha nenhuma deficiência física, nem congênita nem adquirida. A mãe fez questão de conferir imediatamente, o outro braço e a outra mão estavam lá. Com uma breve apalpada e observação a mãe conferiu: 2 braços, 2 mãos, todos os dedos, olhos, orelhas, boca... Fisicamente, tudo perfeito.
Sem ainda entender bem o que acontecia, mãe e filha continuavam ali. Ambas assustadas, sem entenderem nada, e a filha com o copo d’água em uma das mãos e o outro braço pendurado, solto e obediente a todos os movimentos.
Foi quando a mãe pegou o outro braço da filha e mostrou:
- Essa mão aqui, ó! Você tem duas. Tem a que está com água e essa outra. Direita e esquerda.
Com sorriso do tamanho do universo, a menina sorriu, segurou-se na bicicleta com a outra mão e durante todo o percurso, dizia pra mãe:
- Eu tenho duas mãos, né, mãe?!
Ao fim da noite, a criança ainda exultava, feliz, espalhando aos quatro ventos: “eu tenho duas mãos!”
O que você tem e não usa?
O que você tem e não sabe que tem?
Qual potencial é tão natural que você até esquece que faz parte de você?
Quantas vezes você tem seguido a vida fazendo uso de deficiências que não possui?
Quantas vezes você tem se esquecido de que tem duas mãos, dois pés...??
Quantas vezes você tem se adaptado à zona de conforto sem dar-se conta de que “tem outra mão”?
Quais são os recursos que você tem e não enxerga que tem?
A história pode parecer boba, mas foi baseada em fatos, e nos diz o quanto, as vezes, precisamos de alguém que nos mostre as ferramentas que possuímos e não usamos, não enxergamos, não sabemos que temos, não nos damos conta de que podemos usar. Coisas tão naturais que nem mesmo percebemos...
Análise pode te ajudar a encontrar essa “mão perdida ou esquecida”. Use seus recursos.
Lauraine Santos

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Adeus, auto piedade.

“A minha dor é minha.
O problema é meu.
Sou eu que sinto.
Só eu que sinto.
Não interessa a ninguém.
De repente, eu sou obrigada, tenho que reaprender a viver.
E eu me sinto sozinha.
Perdida e completamente sozinha”.

Aí a gente se pega se lamentando por tudo o que não fomos:
desde as melhores qualidades aos piores defeitos...

Auto piedade não leva ninguém a nada. 

E é preciso saber distinguir amor próprio de auto piedade.

Auto piedade é lançar-se cada vez mais profundamente no escuro abismo e sofrer antes e depois da queda.  

Amor próprio é saber que, não importa o tamanho do abismo que você caia ou que te joguem,
Você terá força e vontade para sair de lá, buscar ajuda e ser curado.


Lauraine Santos. 

Emaranhando a vida

A nossa vida é um emaranhado de temas, assuntos, pensamentos e emoções dos quais acreditamos ter ciência e administrar muito bem.

No entanto, como seres complexos, somos também cheios de contradições.

E administrar essas contradições requer mais do que habilidade e boa vontade.

Não digo das contradições explícitas que sabemos que temos,
Mas daquelas que passam despercebidas e não nos damos conta de que existem.

Lembro agora de um exemplo bem simples disso...

Há aproximadamente um ano, conversava com uma amiga que, após o início de seu atual namoro, desenvolveu algumas alergias. Logo, a associação entre “tal namoro & alergia” vieram à tona.

Sendo assim, o quê, ou por que, uma coisa teria desencadeado a outra?
Que ligação existiria entre os fatos?

Ao continuarmos a conversa, ela me confidenciou que uma vez passou pela cabeça dela que talvez esse tal namorado- que ela conhecia pouco- pudesse ser casado. Hipótese que na época ela descartou muito mais por gostar do rapaz do que propriamente pela razão. E ela seguiu falando, que ignorou a possibilidade, mesmo que sua crença a dissesse que era errado e que não devia jamais se envolver com alguém compromissado.

A conversa prosseguiu, e quando esse assunto já estava praticamente esquecido, perguntei: “Amigãn, você se envolveria com um rapaz se tivesse CERTEZA de que ele era casado?”.  Ao que ela, muito rápida e espontaneamente me respondeu: “Creeeedo, amigããn!! Tenho ALERGIA a homem casado!” (Oi? Alergia? Eu ouvi isso mesmo?)


Embora o jovem com quem ela se relaciona não seja de fato casado, por alguns instantes, no pensamento daquela moça em início de namoro, ela acreditou que essa possibilidade podia ser real. E essa crença tornou-se um conflito, e esse conflito tornou-se uma doença.

O conflito foi a dúvida entre prosseguir com o relacionamento ou não, foi a dúvida entre abrir mão dos seus valores e crenças em busca de um amor. Foi pesar na balança o que valia mais, os princípios racionais ou a sensação avassaladora de prazer. E ela insistiu em ir contra seus princípios e valores ao prosseguir com o relacionamento mesmo antes de ter certeza de que o rapaz não era compromissado com outra pessoa.

Se por um lado ela optou pelo prazer, por outro, seus dogmas internos a condenaram.

Incrivelmente, após algumas semanas de bate papo abordando o tema, e elaborando o conflito, as alergias começaram a sumir progressivamente.

Detectar certos conflitos, às vezes, requer mais do que ser um bom amigo, ou bom ouvinte, mas o tato profissional, para não apenas detectá-los, mas também, ajudar a resolvê-los.

Lauraine Santos.

terça-feira, 30 de junho de 2015

CAIXA DAS LEMBRANÇAS

A caixa das lembranças:
Onde está a sua? Não vale dizer que não se lembra onde a deixou. Ninguém esquece de onde a guarda.
Então, refazendo a pergunta, o que você guarda na sua caixa de lembranças??
Não me venha com uma caixa de cor sépia, empoeirada e cheia de teias de aranha... embora isso faça parte do que muita gente guarda na caixa da lembrança, não é o que se deseja encontrar, nem o que vale a pena guardar; não é nada saudável juntar lixo e insetos dentro de si.
Minha proposta?
Limpar a caixa.
Limpe a caixa!!!
Não deixe que as memórias ruins lhe impeçam de acessar as boas.
Não ignore a caixa pelo fato de algumas memórias não preencherem ao requisito de agradáveis.
Limpe a caixa e acesse as lembranças daquilo que foi bom
E que serve de mola para impulsionar rumo a novos horizontes, novos aprendizados, novas boas memórias...
Não guarde a caixa.
Caixa guardada empoeira,
Acumula conteúdo descartável,
Fica esquecida e não recebe o valor que merece.
Limpou a caixa?
Certo. Agora...
USE A CAIXA!!
Ela é sua!
Ninguém pode tirá-la de você.
A manutenção é por sua conta.
E o benefício
É TODO e COMPLETAMENTE SEU!!
Lauraine Santos.

Onde há gente..

Um dia a gente se surpreende ao descobrir que as pessoas não são o que dizem, e muito menos se assemelham ao que parecem ser.
A gente descobre que quem dizia que sempre estaria por perto, não está.
A gente se depara com um milhão de decepções e desilusões e pessoas, momentos, gestos, situações que preferíamos que nunca existissem pra ninguém!!
Porém, não temos pra onde fugir.
Tudo isso faz parte da vida em movimento.
Gente chata, gente falsa, gente inconveniente, gente ingrata!
Gente interesseira, gente sem consideração.
Gente que bajula sem verdadeira admiração...
Gente que mente, trai, engana, mata.
É praticamente uma regra: Onde há gente, há decepção!
E como toda regra, também para essa, há muita exceção.
Também vai ter aquela pessoa que é MUITO melhor do que parece ser.
Vai ter aquela pessoa que nunca prometeu nada, mas que estará de ombros expostos e lenços dispostos para nos carregar e enxugar as lágrimas.
Gente de verdade, que sorri ao te ver, mesmo sabendo que você vai reclamar da vida;
Gente que te procura e te convida pra festa, mesmo sabendo que você não tem um vintém.
Gente que te ama e quer por perto, mesmo que socialmente você não seja ninguém.
Nesse mundão doido, ainda tem muita gente especial,
Tão especial, que faz a gente se sentir especial.
Ao invés de perdermos tempo com as desagradáveis pessoas da vida, vale muito mais mudar os óculos e enxergar quanta gente boa surge ao nosso redor quando o que temos a oferecer é pouco além da própria existência.
Não muda os fatos, mas muda a vida.
E ter uma vida feliz, cercada de gente boa,
Valorizando o melhor que se pode ter, isso sim importa!
Lauraine Santos.

Re - Inventar-se

Passar por uma rua diferente,
Conversar com alguém com quem você não conversa frequentemente,
Ouvir um ritmo musical que não seja o habitual,
Observar as pixações nas paredes e detectar qual a arte expressa além da marginalidade que fere a sociedade... 
Converse com as plantas,
Com objetos do dia a dia,
Com as paredes...
Mude!!
Mude os móveis de lugar,
A cor do batom,
O penteado,
O corte do cabelo,
O tamanho das unhas,
O estilo, o cardápio...
Até o tempo é caprichoso e se transforma nas estações.
É um modo de se renovar, de renascer, reviver, reinventar.
(Em cada estação o tempo se apresenta de um modo diferente).
Se reinventar, sim.
Por que não?!
Não somos os mesmos nunca.
E se não há repetição,
Por que não ser uma novidade por si mesmo inventada?!?
Nascer, renascer, florescer para ser... uma atividade naturalmente diária, incessante, eterna.
Que seja feliz a cada instante em que se renova.
Porque no fim das contas
Cabe somente a você
Inovar-se e renovar-se e transformar-se para SER... até, de fato, SER.
Lauraine Santos.

SOBRE LER-SE


Ler nas entrelinhas requer habilidade;
Ouvir o que a voz não diz exige atenção e ouvido aguçado.
Suas atitudes são coerentes com as suas palavras?
Suas palavras são coerentes com os seus pensamentos?
As pessoas fingem o que não são...
Dizem boas palavras de significados ruins, mas dizem de uma forma suave, afinal, precisam esconder o rosto na máscara da bondade.
Cuidado com as máscaras.
Cuidado com quem deixa explícito que: “to te maltratando pro seu bem”.
As expressões mais comuns se apresentam como preocupação, cuidado, carinho com você,
Mas se originam da inveja, do medo, da raiva, da culpa...
Ouça as palavras, mas também leia as atitudes, os gestos.
Traduza as contradições.
E mais importante que traduzir as contradições alheias,
É traduzir e converter as próprias contradições.
Havendo interesse, é arregaçar as mangas, e... mãos à obra!!
Lauraine Santos.

Crise existencial.

Preparando-me psicologicamente para completar 28 anos de vida...
(Onde eu estive nos últimos 10 anos?)
É muito estranho que eu esteja chegando aos 30 e ainda não esteja rica, linda, magra e morando na Europa.
É esquisito que eu esteja chegando aos 30 com mais perguntas do que respostas, com mais dúvidas do que certezas.
É bizarro pensar que eu ainda não tenho 30 anos de vida e já vou completar 7 anos de casada. Como assim??! Eu mal acabei de nascer...
O bom é que tenho agregado amigos e princípios cujo valor é inestimável!
Tenho aprendido lições que nem imaginava que existiam.
Tenho me transformado e transformado muitas coisas à minha volta.
Tenho sido também transformada por elementos externos que mesmo sem querer, contribuem para o meu crescimento e amadurecimento.
Tenho, passo a passo, aprendido a ser gente - como gente humana deve ser.
E aprendido tantas coisas mais,
Algumas, que ainda nem ouso saber...
Afinal, no fundo, talvez, isso que seja
O que chamam de
Viver.

Você sabe o que é felicidade?

A sociedade mais doente do mundo: a atual.
Vende-se saúde e felicidade.
Saúde deveria ser algo natural, mas a derrocada da saúde começa quando o homem se perde da felicidade.
O homem atual não sabe o que é felicidade. Por isso, a busca desenfreadamente nas garrafas com álcool, nas drogas alucinógenas, na aquisição dos sonhos que as propagandas vendem.
O carro ideal é comprado.
O apartamento perfeito é alcançado.
O idealizado amor aparece.
Os filhos desejados nascem.
As viagens e a conta no banco se multiplicam. E quando a alegria momentânea da conquista passa, volta-se ao vazio anterior e à busca por uma nova felicidade mais intensa. E nada preenche.
Cobiçamos o que a TV mostra porque não sabemos o que é felicidade.
Cobiçamos o que a sociedade aponta como sendo bom, porque não sabemos o que é felicidade.
E felicidade, na sociedade de hoje, é, além de uma constante obrigação, um fator de ordem capital $$ praticamente impossível de se conquistar.
Você tem que ser magro e só andar de carro (carro novo).
Tem que sair do aluguel e se relacionar com a patente alta e influente da sociedade.
Tem que ter filhos.
Tem que transar com quem quiser, quantas vezes quiser.
Tem que sentar à mesa e ter refrigerante pra beber (e lembrando: andar de carro e ser magro).
Tem que estar em um relacionamento amoroso e não abrir mão de nada por ninguém.
Tem que viajar e driblar o que é politicamente correto.
TEM QUE SORRIR!!
Tem que sorrir e estar feliz... O TEMPO TO-DO!
Ser feliz é sua obrigação.
Não feliz de verdade, mas feliz como querem. De um jeito impossível de ser.
Porque a felicidade pode estar em detalhes que ninguém valoriza,
Como acordar cedo pra trabalhar ou estudar – e estar feliz – por saber que vai encontrar pessoas bacanas, chatas e esquisitas ao longo do dia, porque terá problemas para resolver...
Porque a felicidade pode estar em deitar-se para ouvir músicas melancólicas e pensar na vida – sim, há prazer nisso...
Ou em tomar suco de pozinho e rir de si mesmo ao pensar: “Que treco ruuuim!!”
Em sentar-se na pracinha e concluir que: “PUTZZZ!!! Não tenho nem R$1,00 pra pipoca!!”
Em se divertir sem precisar flertar ou transar: ser feliz sozinho.
Em beijar o sapo e se sentir A princesa.
Em sair a pé e conseguir contemplar o mundo ao redor.
E ficar feliz, porque caminhar emagrece...
E magreza não é sinônimo de saúde, mas boa autoestima, além de saúde, é felicidade.
Está procurando a felicidade? Caminhe!
E você, já descobriu o que é felicidade?
Lauraine Santos.

Betty's, as feias


Uma das sensações mais constantes da minha entrada na adolescência era a de que todas as meninas do MUUNDO INTEIRO eram mais bonitas, legais, divertidas e interessantes do que eu.
Complexo de inferioridade é o nome disso. E caso as pessoas não saibam, dói. De verdade.
Um exemplo: gostar de algum menino... É o martírio de toda “Betty, a feia”, que SABE que jamais será cortejada pelo príncipe.
Acontece que esse saber não existe de fato.
Esse saber é uma crença destrutiva, vitimista e depreciativa que “Betty” tem sobre si mesma.
O rosto e o corpo real de “Betty” é o que menos importa. O que importa é a forma como “Betty” se relaciona, consigo mesma (se depreciando, se sentindo incapaz) e com o mundo (supervalorizando o outro).
É difícil saber em que momento exatamente isso começa; talvez um coleguinha a tenha chamado de feia no jardim de infância, talvez algum parente tenha feito alguma brincadeira de mal gosto, ou, que nada mesma tenha acontecido e “Betty” esteja apenas muito confusa com o tanto de mudanças que seu corpo está sofrendo.
O porém é que há “Betty’s” de todas as idades, credos e raças. De todos os nomes.
O que “Betty” precisa fazer?
Desaprender tudo o que sabe sobre si e deixar de lado as crenças destrutivas, negativas que tem. Aprender uma série de valores que estão espalhados fora do lugar como se fossem lixos.
Enfim, querida Gata Borralheira, quando quiser algo e pensar que SABE que não vai dar certo, lembre-se de que você, na verdade, não sabe: porque você não tem bola de cristal. E que a única forma de conseguir, é tentando.
Também vale lembrar que as pessoas são diferentes.
Quanto a dor que o complexo de inferioridade causa, tem tratamento.
E tanto como profissional como quanto paciente um dia acometida por esse mal, posso afirmar, sem medo de errar: HÁ CURA.
Lauraine Santos.

terça-feira, 5 de maio de 2015

Homem que gosta de mulher...

Homem que gosta de mulher
Não a maltrata,
Não a machuca,
Não a trai,
Não a faz sofrer... 

Homem que proporciona desprazer à mulher,
Não gosta de mulher.


Porque o homem que gosta,
Trata bem,
Ama com intensidade, completude e
Lhe dá prazer.

Arranca-lhe suspiros apaixonados
Ao invés de lágrimas de dor.   

A mulher é agredida

A mulher é agredida o tempo todo!!
Com mentiras,
Com palavras destrutivas,
Com promessas e defraudações.
Com propagandas que apresentam modelos perfeitos de felicidade;
Com a vulgaridade que corrompe os homens e despreza o valor da mulher de caráter.
Uma mulher é violentada a cada traição,
A cada mentira que ouve,
A cada filho que perde.
A cada parceiro que não é quem diz ser.
A mulher é violentada no dia a dia
Nos informativos em massa,
Nos lares desestruturados,
Nas drogas que adentram os seus lares...
A mulher, ser frágil, que se deteriora, se desintegra,
Se destrói, se corrói em prol dos que ama,
Definha, e morre:
Todo dia, cada dia um pouquinho mais.
Lauraine Santos.

domingo, 3 de maio de 2015

A felicidade em detalhes

Da série: Cenas que nos fazem refletir...
Estava chegando na loja,
Vi duas crianças caminhando no mesmo sentido, um ao lado do outro. Quando se olharam e sorriram, com aquele ar de felicidade que já não se vê em qualquer esquina,
E saíram correndo na mesma direção.
Olhei, e vi que corriam na direção de um outro menino,
Que com as "canjicas" escancaradas, também correu na direção dos meninos.
Se abraçaram, se beijaram, no meio da calçada - como se ninguém estivesse olhando! Pularam abraçados... Estavam felizes em se encontrar!
Depois de desfrutar a pureza da cena,
Foi quando caí em mim e me perguntei intimamente sobre o por que deixamos de ser assim, porque não aprendemos ou reaprendemos essa arte de DEMONSTRAR a felicidade.
Devíamos fazer isso todos os dias,
Ao chegar em casa e reencontrar a família.
Devíamos fazer isso ao chegar na escola e encontrar os amigos.
Devíamos fazer isso ao chegar no trabalho e reencontrar o público.
Devíamos fazer isso ao longo da vida,
Ao longo do dia,
Ao longo da nossa existência.
Sorrir ao ver quem amamos se aproximar.
Abraçar como se a saudade fosse infindável.
Pular abraçado como se a alegria não pudesse ser contida por nada nem por ninguém.
Porque a felicidade... é um dom!
Que se renova toda manhã,
E que está nos mínimos detalhes.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

O naufragar do navio...

O naufragar do navio em alto mar não serve de desgraça ou morte.

O naufragar do navio pode ensinar a nadar.

O naufragar do navio pode nos fazer conhecer abismos e profundezas nunca antes imaginados.

O naufragar do navio pode servir para fazer ver a diversidade em evidência e harmonia da vida.

Os danos e prejuízos do naufragar do navio
Não depende do valor do navio,
Mas do valor do marinheiro.
Seguir o coração é uma necessidade. 
Seguir a razão
Pode ser. 
Ou não.
Já parou pra pensar
Que talvez
A felicidade não seja tão legal o quanto parece??
Pois é!!

domingo, 29 de março de 2015

O segredo do sagrado feminino é mais sagrado do que segredo...
Algo que todos nós sabemos sobre os segredos...
São extremamente femininos!
Qual é o por que do por quê?
Qual é a pergunta à qual as suas respostas não respondem?
Quais são as dúvidas que não sabemos que temos, que se repetem e que martelam nos nossos ouvidos sem conseguirmos traduzir?
São perguntas inteiras
Repletas de respostas guardadas em gavetas trancadas que não queremos abrir...

domingo, 22 de março de 2015

Quebrar pedra

Vinha pela BR101 observando a paisagem
Distraída com meus pensamentos soltos,
Me perguntando,
Dentre os meus questionamentos infindáveis,
Qual seria a minha missão nessa terra...
Foi quando vi um alto monte de pedras, aproximadamente 3 metros de altura daquelas pedras pequenas que se usa para construção civil,
Que ouvi a resposta... uma voz dentro de mim me disse:
"Sua missão? Oras, Não está vendo? Quebrar pedra!!"
Pensei: "O quê? Quebrar pedra? Oi? É isso mesmo? Quebrar pedra?? Como assim?"
E a voz me respondeu: "SIM, Isso mesmo!! Quebrar pedra!! Você entendeu!!"
Oras, é claro que eu ainda não sei ao certo o que isso significa!!!
Mas eu sei que aquelas pedrinhas quebradas serão usadas na construção de ampliação da pista (pista = caminho: e isso AGORA me parece profundamente filosófico!).
Eu não sei ao certo o que é quebrar pedra.
Nem a dinâmica, amplitude, dimensão, proporção ou significado exato da coisa.
Só entendi que talvez as pedras não sejam O projeto final,
Mas fazem parte de um todo para o qual são imprescindíveis.
E que depois, vou poder usufruir do caminho.
Lógico que imagino que quebrar pedra seja um negócio pra lá de complicado, mesmo com toda tecnologia e afins... Enfim..
Bora quebrar pedra!!!!
Vou até dormir depois dessa filosofada...

segunda-feira, 9 de março de 2015

Último Suspiro

Eu não vejo nada.
Sou uma cega tateando na escuridão.
Não há sinais que me facilitem a compreensão.
Não há luz
Nem sol
Nem som
...
Há apenas breu e silêncio.
O silêncio ensurdecedor dos filmes e dos best sellers,
O silêncio da morte
O silêncio da vida
O grito da solidão
O grito da desesperança e da insensatez...
O meu silêncio e o meu grito
Tudo preso na minha garganta
Entalado
Me asfixiando
Me matando
Me torturando
Apagando e calando
Até o meu
Último
Suspiro.

quinta-feira, 5 de março de 2015

Vida que ensina

A idade adulta chega
Mas a gente não quer sair da infância!
E a despedida parece muito cruel.
Tão cruel
Que não importa o destino futuro
Importa apenas que não queremos sair de onde estamos.
É impossível dar adeus à infância,
Local protegido
Ninho fechado
Porto seguro...
É difícil caminhar para um destino onde eu não quero chegar!!!
Então eu esperneio
Choro, grito,
Me jogo no chão
Me debato desesperadamente
Cravo as unhas no assoalho
Mas não tem jeito!
Sinto a vida me puxando pelas pernas, me levantando puxando pelas orelhas, dando uns gritos comigo, me fazendo engolir o choro e dizendo que não quer ouvir mais nenhum pio!
E eu sigo soluçando cabisbaixa
Tentando não olhar pra trás.
Pirraçando de trecho em trecho
Sendo sacudida pela vida mãe educadora tirana a cada pirraça...
Em cada parada
Cravo as unhas no chão
Na esperança de conseguir retornar à infância
Ou no mínimo, de não ter que continuar a caminhar rumo ao destino
Que desconheço
Que não gosto
Que não quero chegar
Que não me fará feliz
E que
Não me satisfará!!

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Medos do passado no presente

Quantos medos do passado nós carregamos por toda a vida sem nos darmos conta de que as coisas mudaram, e de que alguns monstros não são tão gigantes o quanto imaginávamos?

Quando eu era criança, tinha na casa dos meus avós, uma geladeira que dava choque.
Não era sempre, tanto que abríamos e fechávamos a geladeira com frequência.
Mas, como era comum reunir o povo no cômodo em que a geladeira ficava, sempre tinha um que gritava: “AI! TOMEI CHOQUE!!”
E sim, eu vivia tomando choque! rs
Bastava uma simples distração pra encostar na geladeira e tomar choque!!

Recentemente, me descobri esquiva da geladeira da casa de um familiar.
Pensava em encostar e imediatamente me retraía, chegando mesmo a sair de perto... 

Então percebi que não queria encostar na geladeira pra não tomar choque.
Foi quando me dei conta, de que apesar de ser um objeto com a mesma utilidade, mesma cor, e tantas mesmas outras coisas em comum... Havia um diferencial: essa não dava choque!!

Chega um momento na vida em que a gente precisa deixar de lado alguns velhos medos,
Alguns que a gente nem mesmo se dá conta, mas que fazem parte do nosso dia a dia, estão “na 
cozinha da nossa casa”.

Está na hora de entender que nem toda geladeira dá choque,
Que nem tudo é como já foi um dia.
Hora de deixar a geladeira da infância na infância, na memória, como um motivo bobo pra rir.


Até porque,  um pequeno choque, não faz mal pra ninguém! Kkk

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Que Deus é o seu?

Qual é o termômetro da fidelidade de Deus?
Como vc mede?
E se... Deus não tivesse dado filhos à Abrahão?
Se não tivesse libertados os hebreus do Egito?
Se não tivesse livrado Daniel da cova dos leões?
...
E se... Deus não te der o milagre que você precisa, o carro, a casa, a cura, a conta no banco, a igreja fraterna... Ele continuará sendo fiel?

O deus das circunstâncias... O deus da bíblia, o deus do seu próprio umbigo... O deus fiel...
Qual deles é o seu??

Como você mede? Pelas "bênçãos" recebidas?? 

Fiel a quem ou ao quê?

=/ Deu ruim, hein! 

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Fé que cura

Louco é quem afirma que o cristianismo não cura a alma!!Numa religião tradicional, bem tratada e trabalhada, cuidada, temos as figuras chaves para o desenvolvimento psíquico do ser...Pai, mãe, amor, perdão... Tudo isso e muito mais são elementos bem compostos numa fé sólida.
Digo do cristianismo porque é o que eu conheço...
Dá aos órfãos, um Pai divino e uma mãe Igreja protetora. (No catolicismo, oferece uma figura materna até mais literal como mãe, Maria).
Dá às ovelhas perdidas, O bom pastor.
Dá às culpas e aos pecados, perdão.
Dá ao passado ruim, um enterro, um novo significado e um novo futuro.
Dá aos solitários, irmãos.
Dá à vergonha, um fim.
Dá aos desesperados, a esperança de um futuro bom e muito além da vida.
Dá aos perdidos, O caminho.
Aos inseguros, alicerces firmados na Rocha.
Aos rejeitados, oferece amor.
E o principal: aceitação!!
O evangelho diz ao homem que ele é aceito como ele é!
Não diz para permanecer como está, mas o aceita como está.
Depois de se sentir aceito, o homem busca por aprovação
E nessa busca, encontra a transformação, pois não quer apenas ser aceito pelo Pai, quer também ser profundamente aprovado... Quer ser o mais parecido que puder com esse Pai.
E em Cristo, alicerçado das figuras cruciais e dos elementos essenciais à sanidade mental,
(pai, mãe, irmãos, bom pastor, segurança, rumo certo, esperança, e etc...),
O homem encontra o que tanto procura:
 Aprovação!
Encontra o prumo, o equilíbrio, a saúde, a visão.

Não existe melhor mapa de cura do que a fé.
E com base na MINHA (veja bem, estou citando única e exclusivamente a minha ) pouca experiência, não há nada mais curativo do que o cristianismo, o evangelho em sua essência. 

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Amor Próprio

A gente ama coisas, pessoas, momentos que não deveríamos amar...
Porque tudo passa. As pessoas mudam. As coisas mudam. Os momentos passam.
As verdades emergem e trazem para a superfície mentiras que não sabíamos enquanto amávamos determinadas pessoas, coisas, momentos... e não é fácil ter amado por tanto tempo tantas mentiras que amávamos por acreditar serem verdades...

Nosso único amor deveria ser por nós mesmos. Que conhecemos nossos próprios porquês e nos justificamos e até quando nos culpamos, somos responsáveis em sentir ou deixar de sentir. 

sábado, 31 de janeiro de 2015

O poder do abraço

Quantas dores um abraço pode curar!
Quantos sentimentos cabem em um abraço!

Afago, afeto, consolo...
Apego, chamego, renovo.

Ahh... Tudo dentro de um abraço!!!

Nada se compara a um abraço quente e macio
Desses que fazem a gente não querer largar.
Um abraço bem dado é a solução de muitos medos.

O abraço acalma a alma, 
Encoraja a força,
Estimula a fé. 

Um abraço gera vida
E consola da morte. 

Há abraços que são castelos, verdadeiras fortalezas,
Onde nos sentimos protegidos, seguros, guardados.

Há abraços que são ninhos,
Quentinhos, acolhedores, aconchegantes...

O abraço é uma luva que sempre cai bem.

Na alegria ou na tristeza,
Na saúde ou na doença,
Na riqueza ou na pobreza.
Na vitória ou na derrota.
O poder do abraço é infinitamente maior que os braços que cercam o ser abraçado.


O abraço é um presente
Que todos têm, poucos sabem doar,
E que faz bem a qualquer um que receber. 

sábado, 24 de janeiro de 2015

Acelere!!!!

Um dia desses saí bem cedo pra pedalar.
Bem cedo pra evitar o calor, o sol e o trânsito. 
Em determinado ponto
Me peguei diminuindo a velocidade para atravessar a rua e encarar o cruzamento
Foi quando passou por mim um molequinho, com seus 12, 13 anos, 
Correndo, pedalando a todo vapor...
Passou por mim, 
Atravessou a rua, 
Entrou no cruzamento 
Encarou a rua pela contra mão e seguiu a mil pelo seu caminho até eu perdê-lo de vista. 

Dali fiquei pensando, 
Quantas vezes a gente deixa de viver por medo?
Quantas vezes a gente diminui a velocidade 
Mesmo sabendo que não tem trânsito?
Quantas vezes a gente deixa de entrar na contra-mão só porque alguém disse que não era correto? 
Quantas e quantas vezes a gente para no cruzamento quando a preferência é nossa, e deixamos a vida passar diante dos nossos olhos???! 
Há quanto tempo você não vive sem medos??

Imprudência? Talvez um pouco.
Mas precisamos entender que prudência demais, impede a vida de acontecer. 
Viver com responsabilidade, mas sem medo. 

Bom horário, boa temperatura, bom ambiente visual e trânsito livre??
Siga em frente. Acelere!!! Atravesse a rua! Experimente a contra mão! Passe o cruzamento! Aproveite a preferência... 
Não deixe a vida passar!!! 

sábado, 10 de janeiro de 2015

O perigo mora aqui

Não.
O perigo não mora ao lado.
O perigo mora dentro.
Dentro dos pensamentos e emoções que criamos e alimentamos, temperamos e apimentamos com o decorrer dos dias e dos fatos.
O perigo mora dentro daquilo que eu faço com o que não sei o que fazer.
Os nossos perigos
Moram dentro de nós mesmos
Com boa casa, comida e roupa lavada...
(E tem mais!!! Mas termino o texto depois, pq agora eu tô com sono).

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Sentir o vento na cara
Com meu boné de pedreiro
Com a perna enguiçada
E uma bike de bombeiro.
Rolando asfalto abaixo
Sigo eu
Sem freios!
E dou boa noite ao mundo
Que mesmo moribundo
Zumbizeia feito a terra
Em volta do seu próprio umbigo
Dividindo o sol
Com a lua
Que se divide
Comigo.
O que é que há?
Olha o puxa-saquismo!!!
O amor é uma flor roxa que nasce no coração do trouxa!!
Mas disso todo mundo já sabe!!
O que ninguém sabe é que a terra tem q estar nutrida e pronta pra receber as sementes... do contrário, não germina. E nisso, vai-se perdendo a capacidade de amar...
Há paredes que precisam de um quadro para parecerem bonitas.
Há quadros que precisam de uma parede para parecerem bonitos.
Quem você é: o quadro ou a parede? Do que você precisa, de um belo quadro ou de uma bela parede??
Não. Não se engane. Não dá no mesmo...

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Pequenos grandes gestos

Tinha entre 11, 12 ou 13 anos... já era alta madrugada
Enquanto os adultos trabalhavam em uma causa religiosa,
Eu e uma amiguinha mais novinha adormecemos no altar da igreja...
Acordei com uma mulher usando o pano do retro projetor da igreja pra cobrir a mim e a filha dela...

São gestos pequenos, de grande valor, que  a gente guarda pra sempre na memória e no coração. 
E me deixou um grande aprendizado, uma gigante lição, de que quando estamos no lugar certo, ainda que dormindo, haverá quem zele pelo nosso sono, haverá quem zele pelo nosso bem estar, haverá uma mãe sendo sua mãe mesmo sem ser...


Haja o que houver, 
Cansado ou fraquejando,
Acordado ou dormindo... Esteja no lugar certo!! Deus cuida de todo o resto!

2015 LOUCO

Eu me desejo um ano novo muito louco!!!

Louco desses que joga pedra e rasga dinheiro!
Louco desses que fuma maconha na porta da igreja em plena luz do sol!
Louco desses que mostra a bunda em praça pública!
Louco desses que quebra todas as convenções em busca do prazer pelo prazer!!!

Eu me desejo um novo ano insano... desses sem compromisso com a ética e a moral, desses que só olha pro próprio umbigo e anda pra frente sem esbarrar em nada que quebre e mesmo quando bêbado e tonto alcança seu objetivo inicial com louvor... uma loucura minimamente moderada e 100% distante das regras que limitam a felicidade.

Dentre muitas coisas
Resumo o que desejo pra mim
Em 2015:
Menos dentes quebrados e mais
Muuuuuuuuuuiuito mais
Infinitamente mais
Pessoas em quem confiar além de mim mesma.

Seja quem for

A partir de agora
Eu sou o que eu quiser ser.
Porque a persona não precisa de um biotipo físico específico e se apresenta notavelmente através das máscaras do que quer representar.
A vida sem essas máscaras do teatro grego não tem graça.
Não que a vida deva ser um entretenimento
Ma tenho aprendido que sem esse entretenimento, fica difícil.
Então
Voltemos ao teatro do absurdo
Que acontece na vida real
Que o ator, persona real, representa qualquer personagem,
E é o que quiser
É o que quer
Quando quer.
Se é isso que pode fazer feliz,
Hora de voltar ao palco da vida e representar.
Porque estou de volta...
E a partir de agora
Eu volto a ser quem eu quiser.
Meu corpo não tem esse poder,
Mas a alma...ta aqui,
Pronta pra qualquer máscara.
Seja quem você quer ser
Seja lá quem ou o que for...