sábado, 4 de outubro de 2014

Sobre a fome

Então, jantamos há menos de uma hora e já estou com fome,
Dessas que chega a dar fraqueza.
Só não sei fome de quê. 

Talvez não seja fome, mas apenas vazio.
Ou talvez, fome de algo que não seja de comer.

Pra não pensar, não tentar vasculhar a sujeira por tantos anos empurrada pra baixo do tapete,
Tento a distração fútil, que em nada adianta e só prorroga a fome, ou vazio, que sinto. 

Estou adiando a escrita...

E a barriga ronca!! Sinto a fome de uns 20 mendigos.

Na busca por não saciar-me com comida, passeio pela memória procurando de onde vem o vazio. Eu grito, mas o vazio só faz eco. 

É melhor descer mais alguns degraus, talvez haja algo a mais abaixo do vazio.
Sinto que estou evitando olhar pra dentro de mim. 

Tô sacando a fuga!
O que será que não estou querendo encontrar?
Escrever para alguém é complicado. O melhor é escrever pra mim.

Estou tentando voltar ao passeio pela memória... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença