terça-feira, 26 de agosto de 2014

Profunda crise de valores

2014 está sendo um ano incrível pra mim.
Ano de rever meus conceitos,
De pôr a prova minha fé.
De decidir no que quero de fato acreditar.
Hora de questionar:
1- Se Deus existe ou se sou eu que acredito que Ele existe.
2 - se acredito nas leis e promessas que aprendi a respeito Dele ou se tudo não passa de uma grande furada humana a fim de manipular e manter um pouco de ordem nessa zona chamada de sociedade.
Tem horas que essa escolha é racional.
Quando é por impulso, por instinto, flui naturalmente.
Quando se necessita usar a razão, a fé precisa de uma bússola... e quando não se tem certeza quanto a precisão da bússola, qualquer caminho é escuro e sombrio.
Crer com a razão é intelectualmente possível.
Crer com a emoção é praticamente impossível.
Quanto ao Deus descrito na minha bíblia... O momento é: deixá-lo agir? Acreditar que Ele vai desfrutar da situação com toda sua plenitude e graça e agir ou acreditar que Ele não quer agir nesse caso? Ou ter a certeza de que sou eu que devo agir de acordo com o meu querer, criar novos preceitos e ignorar tudo o que sempre acreditei como verdade?! Não aceito transferir responsabilidades... o que é meu é meu. Sou eu que vou fazer. Mas, e quanto ao que foge ao meu controle?
Ainda não tenho certeza de muita coisa.
Mas tenho certeza de que devo questionar. A mim e ao universo.
É um direito meu.
Não. Não serei condenada por meus questionamentos.
Não serei lançada no inferno por duvidar...
Inferno mesmo é não ter coragem de buscar respostas.
É um momento meu. Íntimo. Particular.
Se você tiver as respostas, aceito ouvi-las e avaliá-las.
Se não, guarde suas pedras pra você,
Elas não me serão uteis.
E em nada acrescentarão à sua vida, a não ser os seus dias de maldição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença