sábado, 16 de agosto de 2014

A dor da metamorfose

Escrevo porque gosto
Porque é uma necessidade
É a minha forma de expressão mais íntima, profunda e completa.

Escrevo porque me inscrevo, assim,
Na identidade da vida.

Assim, deixo meu legado,
Imprimo minha existência e passagem pelo universo.

Os processos de mudança me inspiram.
As dores mostram o crescimento

A saída do casulo
O germinar da semente
O desabrochar da flor...

Tudo com ganho.

Dor que gera,
Que faz nascer,
Que produz e brilha
Que faz a vida raiar como o sol numa manhã de verão...

Os frutos disso,
Só quem passa pela dor da metamorfose
Pode colher
E saborear
E novamente,
Lançar a semente
Para voltar a colher...

Bom plantio!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença