quinta-feira, 24 de abril de 2014

Tempo antigo

O tempo é o tema das soluções impossíveis, dos sentimentos amargados, das dores que não curam...
E o tempo, baú de memórias, também se esgota e está chegando ao fim.

O amor e o tempo andam lado a lado,
Como cúmplices que se completam.
Os sons do silêncio são audíveis a qualquer surdo.

|Os cúmplices caminham na beira do lago
Observam suas vítimas naufragarem
Preparam a cena do crime
E deixam o ser apaixonado agonizar...

Depois, com cinismo ensaiado,
O tempo promete curar toda a dor,
O amor promete refazer o ser,
E a paixão, monstro cruel, insiste em torturar seu fiel amante...

Ahhh, o tempo!!
Há quem acredite nele.
Há quem acredite no amor.
Há quem não acredite em nada...

Desde que eu seja um baú fechado
Longe e protegido do lago da infelicidade,
Afogo-me sem medo em mim.

Um comentário:

Marque presença