terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Estou a dois passos... de um abismo

E o abismo está a dois passos
E você não sabe se pula, se se joga, se espera alguém te empurrar
Ou se recua...
E olha pra baixo
E apesar de perigoso, parece tudo tão fascinante.
É como se não tivesse fim, como se a queda pudesse ser um enorme mergulho no ar.
E na dúvida, bate o desespero.
Não sei se pulo ou se recuo
Se me entrego ou me renego.
Se mergulho com medo ou sem medo.
Se me arrisco ou enlouqueço.

E é como se meus ossos se quebrassem antes mesmo do salto,
Como se o coração estivesse tentando sair pela boca e se atirar no abismo antes mesmo de qualquer decisão pensada,
Como se a vida parasse por um instante
E eu me visse passando distraída
Sem desconfiar de que tudo está fora de órbita
E que a gravidade, já não existe mais.

E já não me descabelo.
Me despenteio pra valer
Por  alguém que me faça valer.
Navegando em mares perigosos,
O abismo continua querendo me devorar.

E seja no mar, na terra ou no ar
A dúvida permanece:
Me atirar ou recuar?
Dá licença. Sai da frente, porque agora,

Há dois passos... eu vou me jogar!! 

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Feliz Natal

Recentemente ouvi uma palestra onde o conferencista afirmava que o cristianismo coloca o homem abaixo de nada, pois segundo a sua visão filosófica, no cristianismo, o homem já nasce CULPADO...
Pensei comigo "pobre homem, não sabe nada do cristianismo..."
O que eu penso é que o cristianismo enaltece o homem.
Onde o homem já nasce perdoado mesmo pelos erros que ainda nem cometeu...
E é tão AMADO e querido pelo Criador,
Que mesmo sendo Criador,
Se destitui da glória,
Se desfaz de toda majestade,
Se iguala ao homem
Nasce como homem, vive como homem e morre,
Como o mais indigno dos homens...
~ E vence a morte, por amor aos homens ~
Com base na fé nesse amor,
Desejo a todos um Feliz natal!
Que o Cristo e o amor possam nascer todos os dias!!

sábado, 20 de dezembro de 2014

~ Lições de uma visão criacionista ~


                Acreditando na bíblia ou não, vale a pena  dar uma olhada no exemplo. Sem dúvidas, é uma boa receita para a criação de projetos.
                Nossa bíblia judaico-cristã começa com “No princípio”. O original hebraico traz a palavra “cabeça”, o que traduzido para o nosso mundo ocidental não faria sentido imediato, tipo: “na cabeça criou?” Nada a ver!!! Mas a ideia é essa mesmo!!! Dentro da cultura judaica a cabeça é que coordena a mente e coordena  TUDO. É onde se iniciam os pensamentos, sonhos, planos, projetos, ideias... É a cabeça que comanda todo o restante do corpo, que decide o que se pode ou não fazer.
                O pensamento é como semente que contém toda a vida capaz de fazer nascer não só uma árvore, mas toda uma floresta. Primeira lição: Deus não fez nada ao acaso. Primeiro, Ele pensou, planejou, sonhou... Você não está aí por acaso! Inicie seus sonhos assim, sonhando cada detalhe, planejando...
                Tentarei ser sucinta, pois o contexto hebraico vai muitíiiiiissimo além do meu conhecimento e quero pelo menos tentar dividir o pouco do que assimilei; pra isso, vou pular alguns elementos, porque não tenho para explicar a mesma clareza que tive no entender. Mas o que vem a seguir é outra lição...
                Depois de pensar, Deus cria o mundo! A sequencia é: “e DISSE Deus” . E conforme Ele vai dizendo, as coisas vão sendo criadas; apenas pela ordem do criador. Temos esse poder de trazer à existência algo que não existe através da palavra? Sim! Temos sim. Não de modo mágico, mas sendo sinceros no que dizemos de nós s para nós mesmos, e saber para quem dizer dos seus projetos, com quem falar. Lição dois: FALE! Para si mesmo e para as pessoas certas sobre os seus sonhos.
                Terceiro ponto observado no processo de criação é que Deus tem tudo tão bem planejado, que Ele cria a natureza alternando: céu-terra-céu-terra... Para que haja equilíbrio. Essa é uma questão cabalística extensa e profunda  demais para os meus poucos neurônios, mas que deve ser observada quando queremos fazer algo: equilíbrio!
                Em seguida observo que a bíblia apresenta um tempo: 6 dias de criação e 1 dia de descanso. Francamente, não penso que Deus estivesse cansado precisando de férias no Hawaii. O que me deixa feliz é compreender que mais uma vez o que temos é uma boa receita de como ser feliz!  Deus não precisava levar seis dias trabalhando, nem um dia descansando, mas Ele nos mostra por exemplo próprio, que mesmo com tudo planejado na cabeça, executado pela palavra, cabalisticamente equilibrado e detentor de todo poder, devemos respeitar o tempo da natureza e aceitar e entender que para tudo há um tempo determinado – por mais bem preparado que a gente já esteja..
                Agora, quanto a criação do homem... Notem que quando o homem é criado, já existe um ambiente propiciamente preparado para recebê-lo. Antes de concluir sua obra prima, crie condições de fazê-la vingar e existir. Ahhh sim!! A melhor parte! O projeto principal de Deus: o homem! Quando chega nessa parte Deus já fez uso dos recursos de planejamento, fala, ambiente equilibrado, vem respeitando o tempo da natureza, e... por que Deus simplesmente não disse: “Haja homem!”?
                Porque estamos agora diante do ápice da criação! E então, Deus dá forma ao barro. Quer alcançar o ápice dos seus sonhos? Precisa colocar a mão na massa, amassar o barro e esculpi-lo! Depois disso feito, Deus sopra de seu próprio fôlego dentro do boneco de barro ainda sem vida... Quem quer investir fôlego em bonecos de barro sem vida? Notem que novamente brota a relação de equilíbrio terra e céu- alto e baixo- barro e fôlego de vida, homem e contato com Deus...
                Há inúmeras lições que se estenderiam ao longo do capítulo, mas encerro por aqui (por preguiça). Estou certa de que esse pouquinho é uma receita certa para a criação e elaboração de sonhos...  pois ainda que o ápice da sua criação esteja sem vida, não importa!! Acredite e deposite seu fôlego nele! Sim, invista seu tempo, sua fé, sua vida... Somente você pode dar vida aos seus sonhos.
              
  Somente você pode sonhar seus sonhos. Somente você pode realizá-los!


Um feliz 2015 a todos! 

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Platônica

Um sonho bem sonhado e
Uma ilusão bem platônica
Valem mais do que uma realidade frustrada.
Na dúvida quanto à realidade,
Apenas peço: não me acordem!!
JAMAIS! EM NENHUMA HIPÓTESE!
- Por favor, me deixem dormir. A realidade não me convém.

...

Infelizmente, o amor é pra quem sabe amar.
O amor não é pra qualquer um.
O amor é pra quem está disposto a arregaçar as mangas e meter as caras e se desdobrar para fazer dar certo, pra fazer feliz...

Mas quem é infeliz não sabe amar.
Quem é infeliz não quer fazer dar certo.
Quem é apático é impossibilitado de amar.

Não deixe que essas pessoas te contaminem.
Não deixe que a apatia dos outros,
Mate o amor que existe dentro de você....

Insista em amar.
Amar por amar.
Amar por querer bem.
Amar pra se livrar da maldade alheia
E da apatia que tenta destruir pessoas de bem..

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Educação Familiar

No que diz respeito à educação, muitas dúvidas pairam sobre a minha cabeça...
Porque educar é respeitar o limite do outro, e, ao mesmo tempo,
Ensinar ao outro que ele também tem que ter limites.
Tarefa nada fácil, convenhamos!

Aí me veio à mente a memória que uma tia minha conta cheia de orgulho,
Que se lembra de que eu tinha uns dois aninhos quando minha mãe me deu um pacote de biscoitos, e, em seguida, me disse pra dividir com um tio que estava chegando e regula idade comigo... Como mesmo após um longo diálogo não persuasivo eu não quis dividir, levei uma bronca e uns sacodes.
Detalhe que minha tia conta com TOTAL orgulho, minha mãe se ensoberbece, e eu, até então, sempre dei razão à elas, afinal, a medida foi corretiva! Todos nós temos ciência de que saber dividir é essencial para se viver em grupo.

Embora eu não me lembre do fato, é inegável que eu aprendi a lição.
Não com facilidade, nem de primeira, pois episódios semelhantes posteriores eu tenho na memória...

Mas sobre esse episódio especificamente, surgiu a dúvida:
Foi certo o sacode? Eu merecia? Precisava?
O biscoito era meu!! Se me deram, era meu!
Era também MEU direito decidir se dividia ou não.
Se eu não queria dividir, por que cargas d’água invadir o meu espaço e mudar minha decisão?
Para que eu fosse aceita socialmente?
Para que eu aprendesse como ser uma pessoa ‘do bem’?
Porque é bonitinho e fofo?
Porque Jesus ensinou?

Ahhh, nenhum desses porquês deve ser de fato válido!
Era meu direito ser uma pessoa má e arcar com as consequências do meu egoísmo.
Mas... Ops!! Não é que foi exatamente isso que aconteceu??!  O.O
Arquei com as consequências e ainda tive meu pacote de biscoitos compartilhado.

Se foi certo o sacode, não posso afirmar,
Mas de alguma forma, sempre senti orgulho por ter sido educada com esse zelo do “politicamente correto”,
E sempre acho legal a expressão da minha tia ao contar o fato,
E nunca, JAMAIS duvidei de que eu faria diferente...

Se é pra ter consequências – porque tudo na vida tem – que sejam as menos cortantes e mais proveitosas.


Certo ou errado, na infância, aprendi a lição: quem não divide, apanha!! Rsrs...
Agora estou aprendendo que quem divide demais, também apanha!!
Só me resta aprender o equilíbrio: com quem dividir... ou não!!!! 

As vezes...

As vezes,
Tudo que a gente precisa,
É se desfazer um pouco de tudo que aprendeu pela vida...
É deixar de lado os valores, princípios, crenças, raízes profundas que se expandem fincadas em nós além do nosso entendimento.

As vezes,
Tudo que a gente precisa, é entender que a verdade pode ser relativa,
E que não existe nada absoluto debaixo dos céus.

As vezes, a gente precisa entender que o mundo é um lamaçal e que se estamos aqui, só pode ser porque também temos que nos sujar.

As vezes, a gente só precisa aceitar. Mas...
É tão tenebroso aceitar que as coisas não são como deveriam ser...
E a  gente se modera, se pondera, se trava, pisa no freio, e puxa o gatilho da prisão ao bom senso, justo e correto. E descobre que nada disso é de todo bom.


Eu ando com medo. 
Com muito medo mesmo, de que tudo não passe de mera ilusão, de que tudo seja uma farsa, e de que eu seja apenas mais uma mentirosa no mundo, mentindo pra mim mesma, pra não sofrer, que as coisas podem e serão um dia, melhores!! 

sábado, 22 de novembro de 2014

Por que deixamos de brincar?

Por que deixamos de brincar?
Brincar mesmo!!!
Pique-esconde!
Pique-tá!
Pique-parede!
Pique-alto!!
Pique-bandeira!
Cobra-cega!
Chicotinho queimado!!
Andar de patins!
Andar de bicicleta...

Por que deixamos de subir em árvores?

Não vale dizer que a idade nos torna inflexíveis para esses movimentos.
Acredito mais que a ausência desses movimentos seja o que realmente nos deixa inflexíveis: física e emocionalmente!

O polícia e ladrão do adulto é à vera!
As corridas são para sobreviver e os sorrisos são para esconder o que dói, quando muito, abafados pelas lamentações dos problemas insolúveis.

Sou a favor de que o adulto seja genuíno
Não como a criança que esconde os erros que comete por medo das broncas,
Mas como a criança que briga e em 5 minutos esquece tudo de ruim que passou e volta a acreditar no amigo, porque pra ela, nada mais importa além de ter companhia para poder brincar e ser feliz.

Sim, somos adultos. Mas... Quem disse que precisamos abandonar o lúdico?
Quero aproveitar o lúdico, uni-lo à experiência que o tempo me trouxe e voltar a brincar, imaginar, falar sozinha como se estivesse falando com alguém, sonhar acordada com o castelo da Barbie... (tá, confesso que nunca fui fã da Barbie, rsrs, mesmo assim tá valendo!!).

E sem desprezar a vida adulta, dar à ela um novo e melhor sentido,
Mais colorido, com mais brincadeiras... correria...

No entanto, é melhor começar devagar, não temos mais idade para sérias contusões físicas! E de pouco em pouco, as feridas emocionais vão sarando nas brincadeiras...

E pra você que comeu mosca, só posso dizer que COMIGO NÃO TÁ!!!

E quem chegar por último é a mulher do padre!!!

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Ciência

Ciência sem experimento é teoria, hipótese.
Ciência em si é experimentada, testada, aprovada.

A experiência pode ser flexível e mutável,
Logo, a ciência não é, antes, sempre está,
Em possível repleta transição,
Tal qual cada resultado experimental.

>> Escrevo que depois nem eu mesma entendo o que foi que eu escrevi.
Mas no fundo, entendi. srsrsrs

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Não deixe acabar..

Há coisas que não podem acabar nunca
Porque depois que acabam...
Nunca mais voltam a existir.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

O problema é seu!

A verdade é que a gente inventa um monte de desculpas para justificar alguns fracassos nos relacionamentos e se culpa aos montes por motivos que não são nossos...
Carregamos fardos que não nos pertencem.
Assumimos problemas que não são nossos,
São do outro e de ninguém mais.

Já ouvi que
“o fulano não gosta de mim porque eu sou feia”,
“a ciclana não gosta de mim porque eu sou pobre”,
“o beltrano não gosta de mim porque eu sou negro”

E assim, seguimos a vida, justificando em nós mesmos, os porquês que pertencem unicamente ao outro. O fato é que o outro não gosta porque não gosta e ponto.

Se o outro não gosta de mim porque eu sou feia, pobre ou negra, é um problema do outro, não meu!
Não puxe pra si uma responsabilidade que não tem. Não se culpe por um pecado que não cometeu.
Não deixe que o outro te culpe por ser você mesmo. (Seja você o que for!!)

O outro que se entenda com seus próprios porquês...
Tenha você os seus, e que os seus, não sejam o outro. 

Lauraine

sábado, 4 de outubro de 2014

O caminho reverso


A gente segue caminhos errados e depois não encontra como voltar.
Não dá pra recuperar o percurso perdido, não dá pra fingir que nada aconteceu.
Chorar não está aliviando. E viver não está adiantando...
Só quero voltar ao ninho. Voltar aos meus verdadeiros amigos,
Ao meu verdadeiro universo, onde as mentiras não eram permitidas
Muito menos condecoradas como se devessem ser repetidas!
Só quero a minha vidinha de volta.

Ou então, passar a ser mal.
Dessas pessoas bem sem escrúpulos.

Preciso aprender a ser uma pessoa ruim.
Ruim, insensível, inconsequente e entregue à intenção de fazer o mal sem a dor da culpa... 

Cansada de ser boazinha,
de pensar nos outros
de ser política e moralmente correta. 
Cansada de ser cristã ao pé da letra... 

Hora de rever os caminhos, e, talvez
Fazer o caminho reverso. 

Sobre a fome

Então, jantamos há menos de uma hora e já estou com fome,
Dessas que chega a dar fraqueza.
Só não sei fome de quê. 

Talvez não seja fome, mas apenas vazio.
Ou talvez, fome de algo que não seja de comer.

Pra não pensar, não tentar vasculhar a sujeira por tantos anos empurrada pra baixo do tapete,
Tento a distração fútil, que em nada adianta e só prorroga a fome, ou vazio, que sinto. 

Estou adiando a escrita...

E a barriga ronca!! Sinto a fome de uns 20 mendigos.

Na busca por não saciar-me com comida, passeio pela memória procurando de onde vem o vazio. Eu grito, mas o vazio só faz eco. 

É melhor descer mais alguns degraus, talvez haja algo a mais abaixo do vazio.
Sinto que estou evitando olhar pra dentro de mim. 

Tô sacando a fuga!
O que será que não estou querendo encontrar?
Escrever para alguém é complicado. O melhor é escrever pra mim.

Estou tentando voltar ao passeio pela memória... 

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Solidão

A solidão é a única sensação que nos acompanha dia após dia
Desde no nascimento
Até a morte. 
Incessantemente.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Ignore a multidão

Os feridos, machucados, errantes, leprosos, desenganados, humilhados,
Envergonhados, excluídos, recriminados, mortos... 
Desenganados pela sociedade... 

A multidão se reúne! 
Aponta! Zomba! Escarnece! 

Os doentes lutam sozinhos, 
Enquanto os sãos pisoteiam e desprezam os pedidos de socorro dos moribundos. 

Mas não importa a multidão,
Não importa a humilhação,
Não importa a dor 
Quando você sabe por quem está clamando. 

É quando o amor converte a morte em vida
Que o milagre acontece. 
Porque a morte está vencida
E não foi a multidão que realizou essa conquista.

Não dê ouvidos à multidão
Mesmo capengando, mesmo se arrastando, 
Mesmo pisoteado, esmagado e  humilhado, 
Insista, clame, grite!! 

A multidão não quer ver o milagre
A multidão que ver a vergonha,

Mas o autor e consumador da fé
Quer ver você!! 

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Eu & a Vida



Alguns caminhos são sem volta.
Causam feridas que são verdadeiros abismos
É um câncer que jamais cicatrizará...
São calombos da experiência vital.
Embora eu prefira a morte
Respirar é inevitável. 

É incrível como as feridas mais profundas que temos
São causadas por quem nos deveria tão profundamente amar ao invés de machucar.
Mas, vida que segue
Eu e a vida
Até que a morte nos separe. 

Adeus

Tem dias que o melhor que a gente faz
É se encolher
Ficar quieto
E deixar a vida passar
De preferência, sem esbarrar na gente.

Tem horas
Que o silêncio diz tudo
E nos permite calar
O que, dito
Não faz bem pra quase ninguém

Se esse dia é hoje
Vale a pena
Morrer por algumas horas
Para não ter a chance de acreditar
Que amanhã
Será um dia diferente.

Sim, a esperança
É o mais mortal dos venenos...
Mantém vivo o que já morreu.
O que numa palavra
Pode traduzir tudo
Num simples
Adeus.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Somos nada

O homem é bicho
O homem é lixo
O homem não é gente
O homem só mente.
O homem se desgraça
De forma que mal pode ser chamado de raça.
O homem
O bicho
O lixo
A raça
A desgraça
Tudo isso
Somos nada.

Nada surge do nada

Alguns sentimentos surgem do nada. Massss.... nada pode surgir do nada!!
O problema
É
O que existia
Antes de existir o que existe???
O que existia antes do nada?
De onde veio o nada??
que
Algum dia
Algo
Só pode ter surgido do nada...

Reflexos

O pior espelho é aquele que melhor reflete o que não queremos ou não podemos ver
É aquele que desnuda a alma
E transfigura o personagem bonzinho
No verdadeiro monstro que habita nosso ser
É aquele que traz à tona o horror que, enquanto humanos, somos.
Somos isso
Seres que sem máscaras
Reduzidos ficam a menos que o pó.
Somos isso
Que quando verdadeiramente refletidos no espelho
Não queremos nos ver.
Somos isso
Que vestimos personagens
Para manter a capa de bonzinhos
E que fugimos incansavelmente da nossa verdadeira face
Porque não suportamos ver o que de fato somos.
Somos isso
Que quando não refletimos
Refletimos de qualquer forma.
Refletidos na alma
No espelho
Na metafísica
No universo paralelo
Na mente
Em nós mesmos.
Visíveis ou invisíveis
Reflexos e refletidos.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Profunda crise de valores

2014 está sendo um ano incrível pra mim.
Ano de rever meus conceitos,
De pôr a prova minha fé.
De decidir no que quero de fato acreditar.
Hora de questionar:
1- Se Deus existe ou se sou eu que acredito que Ele existe.
2 - se acredito nas leis e promessas que aprendi a respeito Dele ou se tudo não passa de uma grande furada humana a fim de manipular e manter um pouco de ordem nessa zona chamada de sociedade.
Tem horas que essa escolha é racional.
Quando é por impulso, por instinto, flui naturalmente.
Quando se necessita usar a razão, a fé precisa de uma bússola... e quando não se tem certeza quanto a precisão da bússola, qualquer caminho é escuro e sombrio.
Crer com a razão é intelectualmente possível.
Crer com a emoção é praticamente impossível.
Quanto ao Deus descrito na minha bíblia... O momento é: deixá-lo agir? Acreditar que Ele vai desfrutar da situação com toda sua plenitude e graça e agir ou acreditar que Ele não quer agir nesse caso? Ou ter a certeza de que sou eu que devo agir de acordo com o meu querer, criar novos preceitos e ignorar tudo o que sempre acreditei como verdade?! Não aceito transferir responsabilidades... o que é meu é meu. Sou eu que vou fazer. Mas, e quanto ao que foge ao meu controle?
Ainda não tenho certeza de muita coisa.
Mas tenho certeza de que devo questionar. A mim e ao universo.
É um direito meu.
Não. Não serei condenada por meus questionamentos.
Não serei lançada no inferno por duvidar...
Inferno mesmo é não ter coragem de buscar respostas.
É um momento meu. Íntimo. Particular.
Se você tiver as respostas, aceito ouvi-las e avaliá-las.
Se não, guarde suas pedras pra você,
Elas não me serão uteis.
E em nada acrescentarão à sua vida, a não ser os seus dias de maldição.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Nota de falecimento

Quem morreu?
A minha fé nas pessoas,
A minha crença de que o mundo pode ser um lugar melhor.
A minha esperança de poder confiar nas pessoas que me cercam...
Quem morreu?
O bom senso e a fidelidade.
O amor. O amor morreu. Assassinado.
Trucidado. Violentamente estuprado.
Com graves sinais de tortura.
O infeliz que não aprende a amar,
Leva o resto da vida só sabendo machucar.
Só sabe ferir a quem o quis amar.
E a morte, neguem o quanto quiser, é mais forte que o amor.
Mata o amor, tortura o amante e o deixa enlutado.
É uma pena, que nesses pouquinhos, se morra um pouco também...

Lauraine Santos

Rio Bonito, 25 de agosto de 2014

sábado, 16 de agosto de 2014

A dor da metamorfose

Escrevo porque gosto
Porque é uma necessidade
É a minha forma de expressão mais íntima, profunda e completa.

Escrevo porque me inscrevo, assim,
Na identidade da vida.

Assim, deixo meu legado,
Imprimo minha existência e passagem pelo universo.

Os processos de mudança me inspiram.
As dores mostram o crescimento

A saída do casulo
O germinar da semente
O desabrochar da flor...

Tudo com ganho.

Dor que gera,
Que faz nascer,
Que produz e brilha
Que faz a vida raiar como o sol numa manhã de verão...

Os frutos disso,
Só quem passa pela dor da metamorfose
Pode colher
E saborear
E novamente,
Lançar a semente
Para voltar a colher...

Bom plantio!!

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Preciso-me

Eu tenho memórias que nem gostaria de lembrar.
Eu tenho sonhos com coisas que nunca vi.
Eu sonho com gente que nunca conheci.

Eu vivo num mundo abstrato e obsoleto.
Sou platônica por imposição do destino.

Eu sou.
Eu vou.
Eu estou... transitória como o verbo em seu estado de ação,
Não digo do gramaticalmente correto.
Porque hoje estou,
Amanhã talvez,
Depois de amanhã, talvez nunca.

E as faces mais sombrias e obscuras
Detém-se nos esgotos das almas que insistem em se camuflar
E não buscam pelo saneamento básico de sobrevivência.

Assim, vão matando, aos poucos,
A si mesmos, e a quem estiver em volta.
Devoram sem pena as almas aos redor.
Alimentam-se como verdadeiros roedores,
Roendo o que no outro há de melhor.

Mas, não cabe mais a mim discursar tal discurso.
Preciso escapar.
Preciso sobreviver.
Preciso-me viva e saudável,

Para viver novos sonhos,
Conhecer as pessoas que aparecem nos meus sonhos,
Visitar os lugares com os quais ainda nem sonhei...

Preciso-me viva para
VIVER!

domingo, 27 de julho de 2014

O poder do perdão

Perdoar é sarar a ferida aberta,
Que te fizeram
Que você se fez.

É deixar que a carne viva se transforme em cicatriz
Onde a memória da má experiência
Não permita à dor
Novamente doer.

Perdoar é libertar-se da dor e da amargura
É optar pelo lado bom da vida.
É aprender
Que apesar dos tombos,
A velocidade e a brisa no rosto
Valem a vontade de continuar pedalando
E que a cada paisagem, a emoção aumenta,
Mostrando o quanto vale a pena
Mais uma voltinha na bike da vida.

terça-feira, 15 de julho de 2014

A verdade cura

A verdade as vezes dói.
Mas somente a verdade cura.
A verdade com os outros e consigo mesmo.

A cura está na verdade.

Em enxergar a verdade.
Em dizer, declarar, confessar a verdade.
Em olhar pra dentro de si mesmo e enxergar -se sem falsos elogios e sem falsa modéstia.

A verdade nos dá coragem.
Ao mesmo tempo, exige que a coragem já exista para admiti-la como verdade.

A verdade não tem vez por si só. Ela só aparece, só se manifesta, só consegue emergir, na presença do amor, que faz suportar a dor capaz de trazer a cura...

Base de cura: amor.
Caminho de cura: verdade.
Resultado: saúde vital, cura física pela cura emocional.
Cura profunda, que adentra à alma, mergulha no profundo do ser, e ressurge ressurreto, dando vida, ao que de bom estava morto.

terça-feira, 8 de julho de 2014

Copa 2014

O BRASIL está em choque!
Disseram que não haveria copa, e até agora, houve Copa... 
Daqui em diante, só não sabemos se haverá continuidade da Copa. 
Nada é garantido. 
Não sabemos se haverá entrega de taças. 
Não sabemos qual o valor da depredação de patrimônio público que será destruído. 
Não sabemos quanto será gasto (ou melhor, quanto não será gasto), pelas vidas que vão se perder nos protestos insanos fora de hora e de lugar.
E o povo tão sofrido, já sem pão, se vê também sem circo.


É esporte! Peraí,  é esporte?? É só esporte? Me desculpe, mídia medíocre, não é só esporte. É o que restava de dignidade à um povo. 

No entanto, 
Independente do resultado ou da vergonha, dignidade, meu povo!! 
Dignidade só depende de nós! 

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Doente sociedade contemporânea

O mundo está mesmo de cabeça pra baixo. A observação a seguir poderá parecer até zombeteira, mas é a triste prova de que os valores estão se invertendo e nós estamos achando normal. A obs é:

Quarto não é lugar pra ter Tv, nem computador, nem celular... quarto é lugar de dormir, de ter intimidade e cumplicidade com o par; de estabelecer diálogo e confiança com os filhos. 

No entanto, na atualidade, o "normal" é que o indivíduo se aproxime da tecnologia e deixe de lado o que de fato é essencial...

Isso é loucura.
Estamos enlouquecendo.
Aos poucos.
Através de pequenas coisas que parecem normais, estamos nos distanciando do que é saudável... até quando continuaremos com Tv, cel, rádio, computador e etc, nos cômodos errados??

É insano colocar a geladeira no banheiro.

A hora que esses detalhes começarem a ser corrigidos, que cada aparelho estiver no seu devido lugar e os cômodos sendo usados de acordo com os propósitos para os quais foram criados, também nós, cumpriremos com excelência nosso papel na sociedade e no universo.

Para bem da humanidade
Coloque cada coisa no seu devido lugar. Por mais comum que seja, é insano ter aparelhos elétricos, que funcionam por energia, num local onde o objetivo é colocar o corpo e a mente em off....

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Tempo antigo

O tempo é o tema das soluções impossíveis, dos sentimentos amargados, das dores que não curam...
E o tempo, baú de memórias, também se esgota e está chegando ao fim.

O amor e o tempo andam lado a lado,
Como cúmplices que se completam.
Os sons do silêncio são audíveis a qualquer surdo.

|Os cúmplices caminham na beira do lago
Observam suas vítimas naufragarem
Preparam a cena do crime
E deixam o ser apaixonado agonizar...

Depois, com cinismo ensaiado,
O tempo promete curar toda a dor,
O amor promete refazer o ser,
E a paixão, monstro cruel, insiste em torturar seu fiel amante...

Ahhh, o tempo!!
Há quem acredite nele.
Há quem acredite no amor.
Há quem não acredite em nada...

Desde que eu seja um baú fechado
Longe e protegido do lago da infelicidade,
Afogo-me sem medo em mim.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Raiz sem raízes

E a palavra sangra
Enquanto as lágrimas fazem o nó na garganta.
E a vida passa
Diante dos olhos marejados
E da alma machucada.
E das raízes cortadas
Não resta nem o solo.
Sem flores nem frutos,
Sem sol nem água. Sem sombra.
Assim eu prossigo
Com a garganta entalada
Com o choro engasgado
Com a alma sangrando
Vou-me desfazendo,
Humilhada,
Seguindo meu caminho
Que não tenho por onde fugir.
Sem frutos ou flores, sigo só sem raízes, apenas com meus galhos...

À frente vou eu!!

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Flores Plantadas

Sempre tem aquela pessoa de quem a gente gosta na hora, de cara, no primeiro momento em que vê... e passa a vida inteira gostando.

Sempre tem aquela pessoa que no primeiro instante a gente odeia, 'não vai com a cara', não gosta... e de repente passa a gostar... e gosta a vida inteira.

Sempre tem aquela pessoa com cara de paisagem, que você olha e praticamente não vê. Ou melhor, não veria se não fosse muito observador... e essa pessoa te ensina a gostar dela pela vida inteira.

Não importa quem eu gostei de cara e depois mudei de opinião.
Não importa quem eu não gostei de cara e continuo sem gostar.
Não importa quem eu olhei, vi, não entendi e continuo sem tentar entender.

Importam-me as flores que brotaram porque receberam de bom grado
A chuva, o sol, o solo e o tempo que lhes dediquei.

Agora, enfeitam-me com cores e perfumes.
Nossas vidas em comum, ainda que sejam breves,
Já são eternas.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Outubro de 2013

As pessoas querem as coisas. Querem tudo.
Querem pra ontem. Querem pra sempre.
E, as vezes, nem sabem ao certo o que querem e como querem.
Por meios ocultos e obscuros tudo se retém e nada se contém.
O breu atrais, distrai, contrai, mas não apraz. Nele, não há paz.
A luz esquenta, expele, afasta, nada controla e só se desgasta.
O tempo passa pelo funil, na ampulheta da vida.
Sou querer e dissabor, tempo e contra tempo em meu próprio caminho.
Não tenho escolhas, sou fruto do meu inconsciente genético fadado ao fracasso.

Desconfio das coisas absurdamente normais. Nada pode ser tão normal.
Até a normalidade tem lá suas tolerâncias!

E o poder... ah, o poder!! Tão fascinante quanto estar de posse do controle da TV é sentir o poder!!
O poder é o que há de mais atraente na natureza humana.
O poder é fascinante, estonteante. Arranca suspiros. Arranca-me suspiros eternamente apaixonados. Avassalador. Devastador. Ah, o poder!!

O poder de ser livre. O poder de decidir, de ir e vir, de falar e ouvir...
Então, em meio ao caos, aos quereres, ao breu e a luz, ao tempo, a vida e as ampulhetas da desconfiança...
Em meio a tanto poder, debaixo do sol de agora, sou eu que brilho.

Quero agora, pra ontem, para a eternidade...
Coisas, pessoas, sensações, emoções, vontades...

Porque abaixo do sol, sou eu.