domingo, 3 de março de 2013

Quem paga?

O que eu quero tem um querer que não me quer.
O que eu quero tem nome, mas nenhum caráter.
O que eu quero é imoral, é ilegal, e sim... pode engordar!

A agonia tem preço, a dor tem preço,
E quem paga por tudo sou eu.

sábado, 2 de março de 2013

Meu fascínio

Mais uma vez você vem em sonho me perturbar.

Seus olhos me deixam alucinada. Não sei como me libertar deles.
Todos os dias penso nisso.
É o incompleto que tem me incomodado.
Eu não me curo de você,
Esse fascínio é crônico.

Não consigo me desvencilhar da ilusão que me prende ao seu olhar.
É como a lua, iluminado. Bonito e atraente. Misterioso e inacessível.
E eu, mera mortal!

Quero um sorriso seu,
Um gesto de cumplicidade...
Coisas que sei que jamais vou ter.
Ou melhor, que jamais terei - sejamos gramaticalmente corretos.

O pior é saber que essa coisa aqui dentro de mim nunca vai passar!
Consigo conviver com a ausência,
Mas tem horas que dói. Tem horas que dói pra valer!

Eu vou dormir.
Mais uma vez sonhar com os seus olhos,
Mais uma vez sonhar com tudo o que não vivemos,
Mais uma vez lembrar que você não me quis...

Duvidar dessa realidade as vezes a torna menos angustiante,
É uma pena que os desejos não mudem nada.
Só me resta ir dormir com dor, e de certa forma,
Com o consolo de poder, pelo menos, sonhar com você.