quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Desacreditar...

Dane-se o futuro e os sonhos frustrados!
Dane-se a realidade e a fé!

Aponto pro infinito sem a menor intenção de sair do lugar.
Encosto numa cadeira qualquer e sento para assistir,
Meramente assistir a vida passar.

Eu só preciso que essa dor pare de doer.
Só preciso acreditar que por nada vale a pena sofrer,
Como se fosse fácil eu acreditar em algo por mais palpável que seja!

Acreditar. Desacreditar.
Preciso acreditar que tudo em que acreditei até hoje
Não passa de mentiras bem elaboradas.

Não tenho mais forças para ter esperanças,
Realmente, só me resta ter forças para desacreditar...

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Quase me perco...

Eu perco tudo!
A hora, o ônibus, a piada!
Guardei, perdi!

Não sei como não perco as chaves,
Nem os cartões de crédito,
Nem qualquer outro tipo de documento...
Documentos: nunca perco documentos!

Perco minhas roupas espalhadas pela casa,
Meus sapatos.
Perco papéis com meus escritos,
Perco a noção do tempo...
Perco o senso de responsabilidade que me deveria pertencer.

Quase me perco na vida
Em função de um agora que não foi o idealizado.

Perco tudo por não querer perder esse amor.

Objetos e frases, tempo e desejo,
Perco sem pena, apesar de as vezes, com tristeza.
Perco - me perdendo por amar você.

Lauraine

terça-feira, 6 de novembro de 2012

O sentido da vida...

São tantos sentimentos que não dá pra dizer.

Repentina agonia me invade,
Expectativa repleta ausências.

Sonhos trancados no porão da realidade.

É a minha vida sendo depenada
Para que eu cumpra minha pena.

Feito cão fuçando lixo
Eu reviro-me ao avesso
Em busca de um futuro que não existe,
De uma esperança que jamais existiu...

Eu aceno para o vazio que me preenche frequentemente,
Cumprimento a emoção que gostaria de sentir
E sigo em frente.
Sempre em frente...

Porque o sentido da vida
Queira ou não,
É sempre, sempre, sempre
O sentido horário.

Lauraine Santos.

sábado, 3 de novembro de 2012