sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Preciso...

Algumas coisas são ruins,
Enquanto outras conseguem ser péssimas!

Sei que a tensão está exacerbada quando o sono não consegue me derrubar.

A madrugada me vence segundo a segundo,
A cada pulsar vejo o tempo passar por mim.

As pálpebras caem sobre as pupilas,
Os cílios tocam as olheiras.

A janela vai mudando de cor
Num degradê que se estende do azul marinho até o amarelo ouro.

Não vou a lugar nenhum.
Só quero dormir em paz,
Dormir o sono dos mortais.

Fechar os olhos no azul marinho
E só acordar de cara com um sol amarelinho!

Sinto minhas olheiras ardendo,
Sei que é sono, estou lutando contra ele há 4 horas e 2 minutos,
É hora de deixá-lo vencer....

Preciso me convencer
De que sou eu que preciso saciá-lo
E não ao contrário.

Preciso saciá-lo, preciso saciar-me nele, e não ele em mim.
Preciso saciar-me nele,
Preciso saciar-me,
Preciso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença