quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Déjà vu


Mais uma noite em claro.
O calor e as pulgas não me deixam dormir.
Os pensamentos me mordem desde a meia noite.
Pulgas são grilos mudos.

Quando penso na manhã que me espera, sinto certo desespero,
Não saberei como me livrar do sono.

Deparei-me com a cozinha cheia d’água a essa hora da madrugada.
Xinguei-me por ter pensado ter esquecido a geladeira desligada,
Xinguei a vizinha quando percebi que a infiltração vinha da casa dela.
Por fim, entendi que é um castigo dos deuses por eu estar insistindo em assaltar a geladeira sem fins saudáveis.

Lembrei-me de um sonho que tive há alguns meses,
Acontecia exatamente como vi:
Água escorrendo pela parede, inundando a cozinha.
É estranho demais reviver na realidade o que já foi visto em sonho.

Estou ansiosa. Não quero mais pensar nisso.
Não quero pensar na manhã sonífera que me aguarda
Nem no que acabei de rever na cozinha...
Prefiro dormir. É a melhor arma contra o que não se quer. 

Pra você que está acordando agora: bom dia!

Editando o texto, o sonho ao qual me refiro consta de julho do ano passado, fiz um post sobre ele na época.
Está no link:  http://laurainesantos.blogspot.com.br/2011/07/alma-em-chamas.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença