segunda-feira, 6 de agosto de 2012

O que eu quero...

As perguntas se embaralham na minha cabeça.
Volto ao ponto de partida sem nem ao menos ter saído daqui.

É um misto de sensações que não me permite ...
A paciência se esvai pelo ralo!

Quero quebrar tudo!
Arregaçar com essa bagaça,
Acabar com essa vidinha medíocre!

Quero jogar tudo pro alto,
Me atirar do precipício,
Recompor meus valores,
Vender-me sem justo valor!

Quero tudo
Quando o tudo que tenho não significa nada!

Não quero nada do que tenho e que me faz sofrer,
Quero apenas poder o que quero
Sem ter que mascarar o que tenho com a cera da personalidade mutável;
O que quero tem que ser real e pra sempre!

O que quero ser não tem nome,
Não tem resposta exata,
Tem apenas a mim e as perguntas que se embaralham na minha cabeça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença