quarta-feira, 29 de agosto de 2012

O que sentem os filhos de pais separados?



Hoje, como profissional atuante na educação religiosa, social e moral de alguns adolescentes, me percebo envolvida com boa parte do que acontece com eles. Minha reação diante de algumas situações é primeiramente instintiva para só em seguida ser racional. Com isso, sou obrigada a refletir sobre fatos que antes eu ignorava ou não dedicava atenção.
           
Descreverei alguns episódios tentando explicar um pouco do que tenho acompanhado da vida dessa futura sociedade. Nosso grupo é formado por aproximadamente trinta adolescentes assíduos. Desses trinta, apenas seis têm o pai e a mãe legítimos casados e frequentando a mesma igreja. O restante, ou vai sozinho, ou com apenas um dos responsáveis. Onde quero chegar com essa informação? Simples! Quando se fala em pais separados, logo imaginamos a comum separação física, onde normalmente o homem/pai sai de casa e deixa os filhos com a mulher/mãe, ou ao contrário, que é menos comum. No entanto, quero seguir por partes...
           
Em uma determinada reunião falávamos sobre milagres, e pedimos que os adolescentes falassem sobre um milagre que gostariam de receber, ao que um deles respondeu que gostaria que seu pai voltasse para sua mãe. É claro que não esperávamos por isso! Fiquei estatelada, me sentindo uma cética mentirosa ousando falar sobre milagres... O que dizer? Ou melhor, como dizer a um rapazinho, que essa missão é inviável, uma vez que o pai já constituiu outra família, tal qual a mãe que tem outro parceiro?! Pelo que sei, o padrasto dá atenção, carinho, tempo e dinheiro, ainda assim, o menino quer a presença do pai, pelo qual também nutre uma mágoa publicamente notória, não só pelo pai, mas também da mãe.
           
A mágoa é porque apesar de conscientemente ‘saber das coisas’, a emoção irracional diz que se o pai realmente o amasse, teria suportado tudo para estar ao lado dele, o mesmo vale para a mãe, que se o amasse tanto, teria suportado o pai! É uma ferida narcísica hiper profunda, é descobrir da pior maneira, que não se é o centro do universo das pessoas que mais deveriam amá-lo... E amam, mas também precisam de outros amores complementares. Acredito que seja difícil a um adolescente compreender a amplitude de emoções que um adulto precisa preencher para tentar ser feliz.


            A separação física é mais evidente, no entanto, não mais prejudicial que a separação invisível que assola os nossos adolescentes. Há conosco uma menina cujos pais são casados, moram juntos, mas somente a mãe vai à igreja, o pai é um popular ogro. O fato de um casal não professar a mesma fé já é uma fissura que pode causar um dilema ao adolescente em formação quanto a quem seguir, no entanto, a questão religiosa é apenas um exemplo, uma partícula que pode ser bem administrada se houver equilíbrio; voltando à menina... Ela tem ódio do pai, que xinga a mulher/mãe – há rumores até de agressão física. A menina tem ódio da mãe, que não reage, que não a protege da humilhação a que o pai as expõe, ou seja, a separação existe, só que com os corpos habitando a mesma casa.

Enfim, resumindo, qualquer que seja a separação entre o casal, a sensação que os filhos têm é de que faltou amor por eles.

Aos pais, não importa que o relacionamento com o ex seja péssimo, nem o quanto os atuais parceiros te incomodem, não deixe de cumprir com seus deveres, muito menos abra mão dos seus direitos, é um direito do seu filho, te amar e sentir o seu amor. Ainda que o ex queira interferir negativamente, lute! Respeite a incompreensão do adolescente, mas nunca deixe de dizer que o ama. Converse, faça-o refletir sobre o que faria se fosse você, troque de lugar com ele através do diálogo Se houver respeito e sensatez neste processo, quando seus filhos forem adultos compreenderão o que passou, sararão a ferida e como futuro teremos uma sociedade saudável.

No mais, o que estiver ao meu alcance, farei!

Lauraine Santos.
Rio Bonito, 29 de agosto de 2012.



terça-feira, 28 de agosto de 2012

Não vou desistir...


Quando você gritar esperando resposta e só ouvir sua própria voz ecoando:
Vai se lembrar de mim.

Ferida a minha vaidade, chora o meu ego;
A vaidade despenca do alto céu e estrebucha após cair abaixo do lençol freático!
Eu perdi, deixei a peteca cair!
Perdi o respeito, virei uma piada pra você – Ou seu comentário foi um elogio de verdade?
Perdi a chance de abusar do duplo sentido;
Evitei demais a exposição do que queria mostrar
E mostrei o desnecessário- desinteressante para te atrair.

Estou com raiva, frustrada,
Querendo a todo custo mudar o que passou;
Ao mesmo tempo, ciente de que não tenho tempo para lamentações,
Preciso me recompor para mudar esse quadro.

Esse presente está num contexto passado,
Agora é o futuro que tenho que mudar.
Ainda tenho que te conquistar...
E não vou sair sem conseguir!!

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

The game never end...


Afundo-me em letras.
É o momento de manter o silêncio.
Reservo-me ao direito de recuar.
Hora de controlar os nervos.

Se minhas investidas foram frustradas
Só me resta mesmo retornar à minha insignificância.
E não quero pensar que fui incapaz!
Não há culpados!
Eu tentei...
E mesmo que agora só me reste angústia, eu tentei.

Cheguei bem mais longe do que imaginava,
Mas desde o princípio eu sabia que era inalcançável!

Tentei porque não resisti,
Eu não conseguiria sair dessa sem ter tentado.
Quem me conhece sabe que ainda não terminou,
Porque eu só me dou por vencida depois que consigo!

Por enquanto preciso respirar, acreditar que acabou.
Deixar-me cair no esquecimento.
É melhor refazer o caminho do que tentar continuar em evidência e perder todo trabalho conquistado.
Não quero conclusão para esse texto, afinal, o jogo ainda não acabou!

Arrebatador


Sabe quando você repentinamente se apaixona por uma pessoa?!

Sua vida vinha num ritmo normal até que subitamente você se vê lutando para matar um sentimento que nasceu avassaladoramente dentro do seu ser.

Sem nenhuma prévia soa um estridente alarme avisando que há algo que tem que ser abortado.
E aí você luta contra o sentimento que não pode florescer,

E você luta contra você mesmo, que não quer matar o que está enfeitando o seu ego e te fazendo sentir a vida.

Você não sabe nada sobre a vida dele,
Só sabe que o sorriso é lindo,
Que o senso de humor é apurado,
Que o leque intelectual é ricamente desenvolvido...

E é esplendido descobrir o quanto essa pessoa pode ser legal. 

E você se descobre não sabendo nada da vida!

Tudo o que sabe é que está arrebatado pelo prazer que o desconhecido ser te traz.
Tudo o que sei é que estou hipnotizada.
Admiro, desejo, quero e não sei se posso ter.

Será que poderei?!Fica a dúvida para reflexão! 

domingo, 26 de agosto de 2012

Pensamentos soltos #28/08


Sei que a coisa está fugindo ao controle quando começo a ter que falar sobre ela.

E quanto mais falo, mais fantasio e mais alimento a ilusão...

E quanto mais alimento, mais você existe dentro de mim.

Hoje, tudo que eu queria,era poder pegar uma bicicleta e sair pedalando por um caminho límpido e cercado de árvores frondosas; sentir o sol e o vento batendo no rosto, ouvir as folhas cantando, ver as sombras que nascem por baixo das árvores iluminadas pelo sol...

O sol amanheceu inspirador! O céu azul convidava à felicidade. A chuva d agorinha  é acolhedora... Toda natureza conspira para a saúde do homem.

Francamente, toda vez que me deparo de cara com a natureza, todo o resto, toda tecnologia perde o sentido de ser. O homem tinha menos recursos, mas também era mais saudável – necessitava menos desses recursos.

E minha natureza é indissolúvel sem você. 

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

O prazer da tentação...

O joguinho de gato e rato eu já conheço
E mesmo assim agonizo.

Gosto desse jogo de esconde-esconde.
Me dá calafrios, tremedeira, adrenalina!
É um medo saudável.

E se não der certo, que seja um erro voluptuoso.
Tem tanta coisa que eu quero dizer pra você...

Meu pensamento é um labirinto
Onde eu caio de paraquedas no mundo paralelo da imaginação.
Alimento as fantasias com o melhor da minha criatividade,
Com a minha mais límpida dedicação me curvo ao poder da ilusão.

Com o mais profundo da minha alma posso sentir o prazer da tentação,
Detenho-me na imaginação
E suspiro com a possibilidade de realização...



Meu lugar é você...

Do céu ao inferno sem sair do lugar.
Do esgoto ao luxo em questão de segundos.

Como boçal que sou,
Caio nas garras do pensamento negativo que me mostra a diferença social que existe entre nós.
Posso ser inteligente, mas existe um abismo cultural latente
Que eu preciso enxergar para não cair.

Preciso de juízo para não insistir em me jogar nesse abismo mesmo sabendo o quanto posso me machucar.

Que paradoxo infeliz usar minha inteligência para ver o quanto sou boçal!
Chego a achar que eu deveria contentar-me por isso...

Pode parecer bobagem, não sei dizer.
Hoje acho impossível qualquer aproximação natural entre a gente.
Aliás, o instinto talvez até pudesse contribuir,
Mas a minha ignorância cultural certamente o afastaria de mim em poucos encontros.

Não sei porque esse desencontro.
Só sei que estou no lugar errado.
Apesar de estar tudo perfeito em volta, sou eu que estou fora do meu lugar.

E o meu lugar talvez seja bom de mais para mim...
Meu lugar é você!

*momento de depressão social.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Doce veneno

Tenho que me travar para não sair atropelando as regras da arte da sedução!
Sinto-me em um romance Hollywoodiano,
Só me falta o quê?!
Ah, sim! Só me falta o príncipe!

Tenho o manual,
Estou no caminho certo.
Estou indo,
Me chegando de mansinho, me deixando visível.

Sem gestos largos,
Sem vulgaridade,
E por enquanto, sem insinuações. Por enquanto...

Ainda estou tateando sem saber que isca usar.
Criei um pequeno laço,
Uma mínima afinidade,
Minha única oportunidade, que tenho que saber trabalhar para ampliá-la sem o risco de perdê-la,
Não quero o risco de perdê-lo.

Sutileza e inteligência serão minhas teias envolventes.
Sonsa e dissimulada para fingir que tudo é por acaso.
Autêntica para ser agradável, madura, sensata e divertida.

Os príncipes adoram boa companhia.
Doce veneno, aqui estou eu.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Minha paz..

Felicidade tem nome, endereço, profissão e cabelos grisalhos!

Ah, como é bom fechar os olhos! A imaginação voa longe.

Depois de uma noite sem dormir então, fica difícil separar o que é sonho do que é imaginação...

Nossa, que sensação boa!

Sensação de conseguir o que queria, de missão cumprida, de elo fechado,

Estabelecido, concluído, fundido!

Fantasia alimentada, devidamente satisfeita para dormir em paz.

Não quero me expor, mas abaixo à hipocrisia religiosa/social e falsamente moral.

Estou em paz.

Dei mais um passo em direção ao paraíso,

Me aproximei um pouco mais do fruto proibido.

Estou no meio do caminho, e é essa tormenta que me embriaga de prazer.

Essa tormenta é a minha paz.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Sem Panelinhas

Gosto de grupos,
Mas não sou fã das 'panelinhas'.
Aliás, as 'panelinhas' são até naturais,
O que não acho natural é fecharem a 'panela'.

Não gosto disso,
É uma forma de distinção de pessoas...
É uma soberba que Deus não aprova!

Na 'panelinha' nunca se sabe ao certo quem é quem sem máscaras.
Gosto de máscaras para pequenos espetáculos,
No palco da vida as máscaras sempre caem
E destroem o show!

Nas 'panelas' fechadas se juntam os egoístas e narcisistas,
Onde um alimenta o ego do outro com seu próprio ego.

Acredito que as amizades devam sim ser boas ao ego,
Mas não só isso!
O homem não deve fechar-se em seu pequeno mundo e ficar indisponível.

Prefiro pessoas disponíveis,
Que se reúnem por afinidades,
Que se confiam apesar das diferenças,
Que não se acham melhores que os outros simplesmente porque o outro não tem os mesmos ideais ou comportamentos...

Prefiro a simplicidade,
A diversidade dos temperos que podem cair dentro da 'panela',
Prefiro não me fechar a um pequeno grupo sem sal - não tolero discriminação nem acepção de pessoas.

Sou sem preconceitos.
Guardo meus valores e os represento no meu estilo de vida,
Compartilho o que tenho,
E sou humilde o suficiente para pedir emprestado quando preciso.

domingo, 12 de agosto de 2012

Frase do momento

Um dia é pouco quando se quer a eternidade,
E é muito quando não se quer nada!

Lauraine Santos

Solidão


Sinto-me sozinha.
Sou infinitamente solitária.
Sou amável e respeitável, ainda assim, só.

Não porque não me amem ou porque não me respeitem,
Mas não amam as mesmas coisas que eu...
Fico só por não ter com quem compartilhar meus gostos,
Por não conseguir alguém que me ouça desabafar
Porque não confio intimamente em qualquer pessoa,
E as que confio, hoje estão distantes.

Sei que não estou só - porque há quem me ame e não me queira só,
Mas estou só, porque não há quem me acompanhe dentro de mim.

Solidão atrai tristeza, debulho-me em lágrimas
E sem ter com quem compartilhar-me, enfraqueço e durmo.

Boa noite!

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Onde eu deveria estar?

Tenho sempre a sensação de estar longe de onde deveria.
Não sei até que ponto estou ligada à minha terra natal,
Só sei que sinto que aqui não é o meu lugar.

As luzes me atraem intensamente.
O ar da boêmia está impresso na minha psiqué.

Ainda que eu saiba que muita coisa é ilusão
A paisagem me distrai e me faz esquecer qualquer desilusão.

Não entendo esse vazio que me domina toda vez que olho pro lugar que me cerca.
Não entendo, não explico, apenas sinto,
E por intuição, desconfio que estou fora do meu aquário,
Fora do meu habitat natural,
Fora da minha casa,
Fora da minha terra natal,
E eventualmente, por causa disso,
Fora de mim!

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Quero estar com você...

Tem horas que eu me sinto pequena e desinteressante.
Sinto-me ignorante e ignorada.

Eu quero muito mais que um assunto formal.
Prometo não me apaixonar!
Admiração as vezes confunde,
Pode até balançar o coração,
Mas sei que não é nada sério...
Vai ser assim só até encontrarmos afinidades,
Só até eu me acostumar com o deslumbre que você me causa.

Não quero beijos nem abraços,
Nada tão íntimo.
Também não tão distante quanto o que existe.

Quero a troca de ideias,
Quero estar a vontade para rir ou chorar de acordo com a ocasião,
Quero estar com você por estar,
Apenas isso.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Dança do acasalamento

Eu não sei como te chamar a atenção.
Sua sobriedade me embriaga de desprazer.

A realidade não me convém quando não tenho quem cobiço.
A realidade não me convém quando não consigo estruturar estratégias que me levem até você.

No amor, me sinto na guerra.
São estratégias racionais, tudo muito bem pensado.
São falas decoradas e gestos previamente ensaiados.
São sorrisos pausados.

Sou eu fazendo a dança do acasalamento tentando atrair o rato à ratoeira.
Sou eu tentando te fazer me enxergar.

Novos amores são sempre novos territórios a conquistar.
Só me dou por vencida depois que expulso todos os antigos habitantes
E também os visionários.
Só me dou por vencida depois que instauro minha marca
E perpetuo uma moeda com meu nome.

Só me dou por contente quando insiro meus valores no outro,
Só me dou por contente quando o outro passa a ser definitivamente meu.

Por enquanto, ficaria contente em receber apenas o seu interesse recíproco nessa observação de terras...

Querer intelectual

No dia-a-dia da vida lá venho eu!
Ombros curvados,
Cabeça baixa,
Pequena estatura,
Olhos amendoados,
Pele branca
E um querer intelectual.

Passo a passo venho eu pela estrada da vida.
Dúvidas na alma
E soberba no chapéu.

Lá vem você,
Com meus segredos em suas mãos,
Sem nenhum pudor,
Sem nenhum amor, afeto ou desilusão,
Lá vem você sem nada pra me dar!

O chão é o limite da humilhação.
Daqui só passo se for para a outra vida.
O chão é o limite
É a referência de onde não deveríamos jamais chegar.


No dia-a-dia da vida lá venho eu!
Ombros curvados,
Cabeça baixa,
Pequena estatura,
Olhos amendoados,
Pele branca
E um muitíssimo querer intelectual.

Mentira e morte

Eu não tenho mais estômago para tanta maldade!
Não suporto mais tamanha crueldade.

Mentira e morte estão no mesmo patamar,
Mentira e morte são sinônimos perfeitos,
Ambas representam o mesmo crime e deveriam ser punidas com a mesma pena.

O que não precisa de testemunhas
Ou é muito íntimo, ou muito maligno - Ou as duas coisas.
Quem planta mentira colhe solidão!
Mentiras sempre são regadas a maldade

Eu não tolero mais!
Quer mentir? Arme sua teia de morte longe de mim!

Não quero por perto alguém em quem não posso confiar,
Não quero por perto alguém que pode a qualquer momento inventar histórias degenerativas a meu respeito.
Não quero por perto alguém que não sabe se amar,
Porque quem não se ama, não é capaz de amar a mais ninguém!

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

O que eu quero...

As perguntas se embaralham na minha cabeça.
Volto ao ponto de partida sem nem ao menos ter saído daqui.

É um misto de sensações que não me permite ...
A paciência se esvai pelo ralo!

Quero quebrar tudo!
Arregaçar com essa bagaça,
Acabar com essa vidinha medíocre!

Quero jogar tudo pro alto,
Me atirar do precipício,
Recompor meus valores,
Vender-me sem justo valor!

Quero tudo
Quando o tudo que tenho não significa nada!

Não quero nada do que tenho e que me faz sofrer,
Quero apenas poder o que quero
Sem ter que mascarar o que tenho com a cera da personalidade mutável;
O que quero tem que ser real e pra sempre!

O que quero ser não tem nome,
Não tem resposta exata,
Tem apenas a mim e as perguntas que se embaralham na minha cabeça.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

O que encontrar...

Não tenho muito o que revelar,
Meus segredos estão trancados em algum lugar que já não consigo mais encontrar!

O sonhar se faz presente a todo tempo!
Abro os olhos e aprendo,
Fecho os olhos e me surpreendo com o que vejo.

Na memória está toda utopia idealizada.
Na realidade estão todos os desafios a vencer!

No momento,
Nem na utopia, nem na realidade,
Estou em mim tentando o que encontrar
E o que vier, pra quem não espera nada, lucro será!