terça-feira, 31 de julho de 2012

O meu melhor

Estar no comando não é nada fácil!
Educar a quem se ama requer um coração por vezes, de pedra, de pluma, de manteiga...
Liderar exige desgaste em ter que negar alguns pedidos,
Exige extremo senso de justiça para uma auto avaliação
Que pode a qualquer hora mostrar que estamos errados...
Exige humildade para voltar atrás quando necessário.

É um paradoxo de sensações!
Estar no comando exige ousadia para trilhar novos caminhos,
E força para lutar contra o que pode ferir.
Exige força de vontade para não deixar a soberba tomar conta
Quando a situação pedir simplesmente que a gente diga 'eu avisei'.

Com todo paradoxo,
Com todo trabalho,
Apesar de tantas exigências,
Sei que me esforço para ser o melhor,
Que me obrigo à sensatez mesmo quando o orgulho quer gritar dentro de mim,
E por justa razão, sei que não há perfeição,
E que ainda assim, terão sempre o meu melhor.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Manual humano

O comportamento humano não precisa de manual de instrução,
Algumas atitudes são tão instintivas que tornam-se previsíveis.

Basta observar!
Se colocar qualquer líquido dentro de uma garrafa com alguns pedaços de vidro no fundo,
Não precisa ser místico para saber que quem pegar essa garrafa, irá sacudi-la!
Não precisa ninguém mandar, sacudir a poeira do fundo é inerente ao ser humano.

Questionar não é tão popular!
Sofrer em busca de respostas também não!

Para os gestos, há previsão.
Para os sentimentos não há manual de instrução competente.

Sentimentos inacabados...

Sentimentos inacabados nunca ficam guardados por muito tempo,
Eles sempre retornam trazendo algum tipo de transtorno.
O inacabado sempre volta para perturbar,
Para perguntar a causa de não ter sido findado dignamente.

A voz embarga,
O mundo se cala,
O vento nem se mexe,
E a agonia estremece qualquer ser!

O que fazer com os sentimentos inacabados e com os casos mal resolvidos?
Guardá-los novamente na gaveta de onde jamais deveriam ter saído!
Não é fácil resolver o passado já estando no presente.
Não é fácil querer acabar com o passado, quando não se sabe o que será o futuro...

A perturbação momentânea pode passar,
E se não restar nada para o futuro,
Sobrará pelo menos a certeza dessa perturbação,
Desses sentimentos,
Que nos darão a sensação, ou melhor, a certeza,
De que algo ainda nos resta para fazer.

sábado, 28 de julho de 2012

Relatório do dia...

Entro mais uma noite em claro.

Impossível seria não fazer um relatório do dia que findou.
Acordei cedo, fiz minhas unhas (amo fazer minhas unhas, é minha terapia).
Passeei pela Internet, enviei e recebi e-mails...
Fiz almoço, comida de dieta e desânimo com tanto verde sem nenhuma gota de óleo.

Fui na rua encomendar meu remédio e no caminho de ida
Vi em determinado ponto alguns politiqueiros reunidos.
Nesse momento, pensei sobre a podridão que é a política,
Pensei nas caricaturas que se candidatam aos cargos públicos,
Pude rir intimamente das caras, bocas e jingles que surgem nesse período.

A política me trás à memória o amigo mais mentiroso que já tive em toda a minha vida!
Era uma das minhas melhores companhias, me fazia rir com tantos absurdos!
Aproveitava a inocência do povo,
A ganância dos poderosos,
E espalhava boatos para todos os lados,
Tudo, é claro, com muito senso de humor e inteligência,
Afinal, ele vivia da política...
Era idealista: estava sempre do lado que estivesse mais forte.
O ideal dele?? Manter um padrão de vida razoável e merecer os favores dos poderosos!

Não demorou muitos passos até encontrar um conhecido me pedindo votos para o candidato dele,
Como sou educada, (não leia-se 'mentirosa', por favor!), aprovei o candidato. Nesse momento ocorreu o seguinte diálogo, que considerei parte super interessante do dia: /Interessante pelo espanto de ambas as partes a cada informação adquirida/

 - Lembra, o apelido do menino era Rambo? Lembra dele não? Namorava aquela morena que tinha o olho grandão, que parecia bola de gude, verdão?!!?
 - Ahh, aquela menina que trabalhou na loja de roupas? 
 - Isso! Isso mesmo! Lembra do Rambo, namorado dela? 
 - Lembro sim! Ele é corno! Ela corneou ele, corneia ele a beça..
 - Eu não sabia que ele era corno...
 - Que coisa, e eu não sabia que ele era Rambo!! 

Coitado!Pobre Rambo, pobre corno! 

Enfim, fechei a noite num casamento!
Vi pessoas alegres,
Dediquei parte do meu tempo a pessoas realmente importantes pra mim.
Cheguei em casa pesada de tanto comer,
Corri pra cama cheia de sono e crente que ia dormir...
Pra variar, os pensamentos não me deixam dormir!
As sensações alternam entre alegria e tristeza dependendo de qual episódio do dia me recordo.

Por exemplo, quando lembro dos jingles políticos, não consigo deixar de fora o Eymael
- acho que o jingle dele era perfeito -
Como moro em cidade pequena, tudo aqui, em termos de política, me faz ironizar um pouco qualquer situação.
Nesse ponto, meu senso de humor é aguçado (curiosamente é um paradoxo com a minha melancolia)...

Para terminar o dia, ou melhor, iniciar outro dia já na madrugada que me abraça, às 4:41h, 28/07/2012, fico por aqui para tentar, mais uma vez, dormir!

Obs.: Relatório inútil!!










Sobrevivo de pensar em você

Algumas coisas me fazem tremer mais do que o Japão em dia de terremoto!
Sentir o coração pulando dentro do corpo e ter que fingir naturalidade não é nada confortável!
Ter que expressar um sorriso menor do que a alegria que se sente
É racionalizar o que a razão desconhece.

Não sei como esconder dentro de mim tamanha felicidade,
Meu ego está, como se diz por aí, nas nuvens!
A sensação de frio nas mãos, suor gelado,
Coração acelerado, olhos brilhando...
Tudo me condena!
Não tem muito como esconder,
A paixão nunca passa despercebida,
Ela faz questão de se fazer notar.

Nesse caso, me entrego por completo,
Atiro-me no precipício que é o teu sorriso escancarado,
Desfaleço na ilusão,
Ressuscito no desejo
E sobrevivo de pensar em você.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Quando meu eu me chama...

Acordei cedo,
Mas prefiro quando não durmo!

Dormir cedo não é o que mais me faz feliz
Embora seja extremamente necessário para uma vida saudável.

Não sou fã de TV,
Apesar de ultimamente assistir novela com empolgação,
Não é o que me satisfaz!

Ainda gosto de ficar a madrugada inteira acordada,
Ouvir músicas depressivas,
Com letras melancólicas,
E ler romances desconexos,
E ler suspenses altamente fictícios...
E especializar-me durante algumas horas em algum idioma
Que nunca mais voltarei a ouvir ou me interessar novamente!!

Gosto dos pensamentos que me pertencem tão singularmente.
Gosto de saber que o dia está amanhecendo e saber que poderei dormir enquanto o sol brilha.
Gosto das explicações que nunca me convencem!
Gosto de estar presente quando meu eu me chama para...
Para qualquer coisa!!!

Quando meu eu me chama, eu corro pra ele!
Nada pessoal ou tristemente medonho.
Tenho até dito não ao meu eu,
Mas é dolorido ter que dormir, como um mero mortal, pouco após o sol se pôr!
E ter que acordar, como um mero mortal, logo após o sol nascer...

Gosto de dormir quando o sol nasce e acordar quando o sol se põe...
É nessa hora que o meu eu me chama
E com muito esforço, as vezes, consigo dizer não ao que os mortais chamam de insônia.

terça-feira, 24 de julho de 2012

O que me inspira

Algumas coisas escrevo com gosto.
Não importa que ninguém leia,
Não importa que depois eu me esqueça do que me inspirou...
Não importa!!
Nunca esqueço o que me inspira a escrever cada letra.

O que me inspira é sagrado,
Seja crítica social ou desabafo emocional,
Procuro identidade, afinidade entre o objeto de inspiração e o que escrevo

Tento a todo custo fazer conexão entre o que amo
E o que expresso.

O que expresso é uma parte do que quero que alguém saiba,
Ou do que quero que ninguém saiba...
O que sinto, é meu! Ainda que diga respeito a mais alguém,
O que sinto é apenas meu, e de mais ninguém!

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Parâmetro de negação

Não dá pra escrever tudo o que penso,
Não tem como descrever com intensidade tudo o que sinto.
Não gosto da hipocrisia,
Mas também não aprovo o excesso de exposição.

Todo meu pensamento começa com alguma negação.
A negação é meu parâmetro de sobrevivência e de segurança.

Se quero saber se é bom, me nego.
Se me dou ao direito de me negar, é bom!
Se não, é escravidão!

Detenho-me de escrever um maior texto
Por enquanto, me contento com essas letras
Que a noite não dormida me permite escrever agora pela manhã...

Mas vou aproveitar minha manhã para cochilar, 
Porque dormir é para os fracos!! rs

(Porque amanhecer assistindo Patati Patatá: Não tem preço!!)

sábado, 14 de julho de 2012

Lamentação do dia

Tem dias que a gente acorda mais nostálgico.
Acordei pensando nos amigos que não vejo mais,
Nos amores que conquistei e deixei pra trás,
Na vida que desisti de buscar.

Foram sonhos jogados em algum abismo,
Estabilidade demais desestabiliza!

Hoje acordei assim...
Lembrando dos tempos de glória,
Duvidando se realmente existiram,
Chorando pelo agora que não é como deveria ser
E me lamentando...
Porque lamentar é tradição para qualquer judeu que se preze
(Ou vocês conhecem algum outro povo que tenha um muro exclusivo chamado de: Muro das Lamentações?!)

quinta-feira, 12 de julho de 2012

O tempo de Deus

Uma das coisas que considero mais complicadas é compreender o tempo de Deus na nossa vida.
Aliás, compreender as vontades e permissões de Deus me deixa com nós na cabeça - porque não compreendo.

Tento de todas as formas encontrar explicações plausíveis,
Mas nenhuma dessas explicações fazem sentido quando avaliadas segundo o caráter imutável de Deus.
Tento então fazer o caminho inverso, vir do caráter de Deus para o palpável,
Mas algo se perde e há uma falha na conexão que não me permite entender o que busco.

Nessas horas percebo o quanto ter fé em um ser superior invisível é um ato de insanidade.
No entanto, não volto atrás na minha fé,
O fato de não compreendê-la a torna ainda maior e mais preciosa.

Quanto ao tempo de Deus, jamais compreenderei.
Primeiramente sonharei, orarei, pedirei, sofrerei, chorarei
E ao determinado tempo, ou alcançarei a minha graça, ou serei consolada
De maneira que esse consolo me conforte e me dê paz.

Ainda que eu não compreenda como, terei paz.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Abutres sociais

Os abutres aterrizam fazendo festa,
Um baile de gala se inicia:
São os políticos curtindo a carnificina do povo.

A festa tem música  ambiente
De latas e sacolas plásticas
É o governo se divertindo no lixão.

É o povo, é o luxo, é o lixo, é a dita civilização.
São os mortos, os abutres, o fedor, a ausência de punição.
E numa visão de valores,
Melhor ser lixo, ser morto, do que ser abutre vestido de luxo.


segunda-feira, 9 de julho de 2012

O Nariz como limite do mundo

Se o nariz é o filtro do corpo, meu filtro está com defeito!
Respiro a poeira que resta da humanidade...
São as almas que vagam sem destino certo que nos corrompem.
Meu corpo não tem mais estrutura para filtrar tamanha maldade.

Não há destino para quem se condena.
O olfato começa a interferir na visão a partir do momento em que as lágrimas são pressionadas a sair do corpo... Tudo interligado!

As crianças de hoje em dia querem até que o patinete seja elétrico... Que graça tem isso?!!?
Mas voltando a realidade do meu nariz... Acho que o Córtazar tem razão quando diz que o nariz demarca nossos limites territoriais.

A visão busca o novo,
O olfato confirma a informação, o cheirinho de fábrica é sempre notável.
As mãos podem apalpar, mas não determinam a influência de algo na minha vida:
Que eu me lembre, nunca aconteceu assim!!

Quem decide o que fica ou o que vai é a razão,
Maldita moribunda que me persegue incessantemente!!
Maldita tirana que rouba as realizações do olfato, do tato e da visão!

Soberba razão que pune meus instintos primitivos em nome de uma ética invisível.
Entendo então que é o nariz que transmite algumas ordens à ditadora razão,
São cúmplices do sistema salafrário de manipulação do meu ser...

Maldita razão, maldito filtro com defeito, maldito nariz manipulador!!

domingo, 1 de julho de 2012

Somos todos iguais

A vida é igual para todos.

Pobres ou ricos,
Muçulmanos,  judeus ou cristãos,
Europeus ou africanos,
Jovens ou velhos,
A vida é igual...

Não poupa nem privilegia a ninguém
Não há para ela alguém que convém,
São todos iguais,
Vindos do pó da terra
Caminhando de volta para o pó da terra.

Nesse meio de caminho
Muitos tentam se perder, mas a linha de chegada não deixa que ninguém fuja ao destino final.
Nesse meio de caminho
Muitos se sentem senhores de si mesmos,
Muitos se julgam juízes detentores da verdade,
Muitos enfraquecem porque não se entendem como nada,
Nesse meio de caminho
Muitos não chegam a lugar nenhum antes de retornarem ao ponto final.

A vida é igual para todos,
Não poupa nem privilegia a ninguém,
Para ela não há quem convém.

A vida não faz barganha,
Não aceita dinheiro em troca de uns dias a mais de existência,
A vida não se vende por nenhum mísero metal,
Não tente comprá-la, será uma tentativa vã.

Se quer ser feliz,
Apenas respire,
Sinta a vida entrar pelos pulmões,
A vida não resiste a si mesma...
Tem um ego do tamanho do mundo,
Quanto mais ela se tem, mais ela se quer!!!

A vida é igual para todos,
Não poupa nem privilegia a ninguém,
Mas não resiste a poder se permitir existir... Seja lá você quem for!!

Quem realmente importa

Ser importante é uma questão de momento,
Uma questão de ponto de vista.
Ninguém consegue ser importante o tempo inteiro.

O médico é importante na hora da doença.
O artista é importante na hora da distração.
Já os pais são importantes para os filhos em qualquer hora!

Quando caímos no mundo somos apenas corpos em movimento,
Não sabe-se muito sobre as nossas almas.
Não sabe-se muito além do que mostramos in/visivelmente
Através de roupas, gestos e expressões.

Ainda não sei o que expresso no campo da in/visibilidade,
Ainda não sei em que hora e para quem sou importante,
São tantas coisas que eu não sei...

São alergias que brotam sem explicação deixando meu rosto deformado em vermelhidão sem minha alma dizer o que quer me dizer com isso!
Talvez seja reflexo da minha identidade em crise...

E nessas horas, quando a gente não encontra explicação,
Quando a gente quer o impossível,
Quem realmente nos importa é Deus.