sexta-feira, 22 de junho de 2012

As vezes eu minto...

É raro, mas as vezes eu minto.
Como também é raro, as vezes falo a verdade.
Em geral mantenho meu silêncio,
Quase sempre valorizo a indiferença.

Ando pensando em algumas lembranças
Em alguns sentimentos recentes,
E percebo que quase nada mudou.

Ainda sou aquela criança insegura pelo excesso de mimos,
Ainda não aprendi a perder,
Ainda não aprendi a ser repreendida sem chorar,
Ainda não sei ser tudo o que eu quero ser.

Um dia talvez eu possa olhar pra trás e sorrir
Talvez um dia eu olhe pra trás e veja que não foi só ilusão,
Talvez um dia tudo isso se torne realidade,
E aí, com você ao meu lado,
Eu verei que valeu-me a pena de viver!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença