quarta-feira, 14 de março de 2012

Só eu...

Há dias que não sei o que é paz.

Há dias que me atiro contra os meus erros e passo a queima roupa pelos 'quases' que deixei pra traz;

Há dias que a razão perde o caminho e me empurra do precipício;

Há dias, que, como hoje, tudo que sinto é tristeza.

Todo sol é treva e toda luz consegue apenas me cegar.

Há dias em que toda cobrança recai sobre os ombros, e junto com a cobrança,
A lembrança dos sonhos,
E junto com os ombros, recai o semblante.

Nada melhora o ânimo quando a razão não encontra motivos lógicos para animar a vida.
Viver por si só deveria ser um motivo de felicidade, mas nem sempre viver satisfaz.

E o meu querer, é apenas um simples querer pelo qual somente eu sofro.
Somente eu, somente eu...
Isso de somente eu querer, de somente eu sofrer, aumenta ainda mais a dor,
Uma dor que só eu sei, uma dor que só eu sinto,
Só eu!!!

Lauraine Santos

Um comentário:

  1. Querida!
    Não tendo altos e baixos, festas ou vales, não haverá motivo para as questões que levantamos para nós mesmas. Não acontece crescimento, não temos motivo para poetizar e buscamos menos (muitas vezes) a face de Deus.
    A vida é assim! De todas as cores, e também com cinzas e tons nublados.
    bj grande
    Soraya Barros

    ResponderExcluir

Marque presença