sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Não abro mão.

É claro que eu aprendo com os meus erros.
Obvio que arco com todas as consequências
Mesmo quando me arrependo e reconheço que não faria tudo de novo.
Mas o fato de saber, não muda o que passou.

Sei lá. Por que você me analisa tanto?
Por que tenta o tempo inteiro me decifrar?

Sou uma caixa misteriosa como qualquer outro ser humano,
Não há motivos para se prender tanto em mim.
Tem horas que eu só queria ser um carro conversível pra você me querer.
(Alusão a música do Léo Jaime: "Pensando em ter um carro conversível pra você me querer").

Não adianta me descabelar.
Não é porque tudo é uma fantasia, que precisamos matar nossos sonhos.

Sei que meus sentidos são falhos e que me traem frequentemente.
Sendo assim, porque confiar tanto nessa lógica racional que baseia o empirismo no que os sentidos, malditos traidores, transmitem ao cérebro?!

Não me interessa...
Sei que sentir é bom!!!
Sei que acreditar ter domínio sobre a lógica é fascinante,
E disso, sinto muito,

Eu não abro mão!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença