quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Encarando a ignorância

Eu vivo de passado, presente e futuro.
Vivo do que sou e do que não sou.
Vivo de não ser o que quero.

Vivo por viver, sem respostas nem explicações.
Sou repleta de interrogações que sacio com hipóteses infundadas,
É assim que invento meus mitos. Sim, os mitos surgem da ignorância.

Apesar de ser difícil admitir, também tenho um lado desconhecedor de muitas ciências.
E é esse lado que me permite criar absurdos e experimentar o surreal.
É a ignorância que estimula minha criatividade.

Ignoro as causas e os fins do sofrimento, por isso sou poeta,
Pois assim posso especular sobre o que sinto mesmo sendo o que desconheço.

Sinto, mas não conheço.
Percebo, mas não vejo.
Encaro, mas sei que não passam de fantasmas.

Deparo-me com a ignorância, presto-lhe um sorriso e sigo adiante,
Certa de que ironizei e passei por ela sem ser notada como ignorante.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Viver é vão?

Alimentar sonhos não faz mal.

Meu problema é que eu alimento ilusões,

Pensamentos sem a menor probabilidade de realidade.

Emoções sem fundamento.

Não deixo de me questionar sobre por que não sou igual a maioria das pessoas,
Que simplesmente vivem!
Crêem em algo, buscam a vida, trabalham, traçam metas, planejam objetivos,
Superam os obstáculos, vencem as barreias,
Ou, no mínimo, aprendem a conviver disfarçadamente com seus medos e fantasmas.

Não quero admitir estar vivendo a "síndrome da Cinderela", mas tenho ciência dessa possibilidade.

O fato de não estar conseguindo administrar minhas frustrações tem me frustrado ainda mais.
Sei no que creio, só não sei o que fazer com essa sensação de que tudo é vão, inclusive:

VIVER.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Para o futuro

Não quero reclamar.

Não quero perder a razão.

Não quero mais me entristecer e sofrer pelo que não posso mudar

Não posso mais alimentar a impotência que me domina.

Quero que tudo dê certo,

Que a felicidade me sorria

E que a sorte ande ao meu lado, um pouco a frente, para ir abrindo caminho.

Que os raios do sol jamais fujam de mim, e que as estrelas guardem o meu sono.

Que certamente eu possa ser mais feliz.