quarta-feira, 13 de julho de 2011

A deficiente mental administração da educação no nosso país

Hoje por mais uma vez fui surpreendida (sim, eu ainda consigo me surpreender) com o grau de acefalia (ou burrice, não sei, preciso fazer uns cursos para distinguir melhor as deficiências dessa gente) que comanda a educação nesse Brasil. Já há muito tempo me irrito com tanta incompetência, mas sempre me seguro, numa tentativa insana, de conter meu ódio pela corrupção.
O vestibular é a maior prova que a política dá de que as escolas públicas que eles oferecem é um fracasso, pois se fossem boas, os alunos ingressariam automaticamente no terceiro grau, como ocorre de série para série. Ponto.
O ENEM surgiu como uma forma de medir, de avaliar o Ensino Médio – principalmente da educação pública; hoje serve como vestibular para muitas Instituições de Ensino Superior, sendo assim, o exame avalia ao indivíduo muito mais que as instituições que oferecem educação ao mesmo.
As vagas nas Universidades Públicas, em boa parte, estão compradas, garantidas para quem tiver como pagar. (A vaga de medicina estava custando trinta e cinco mil reais a última vez que eu soube – até achei barato...), mas, essa é a corrupção comum, essa já não me surpreende mais.
Uma vez, num vestibular, me deram zero numa prova de redação, achei normal, afinal, sempre fui aluna de notas medianas, devo ter desaprendido a escrever, tinha tirado nota nove vírgula dois na redação do ENEM no ano anterior e meus artigos nos jornais regionais nem sempre foram “bem aceitos”. Pois é... Com zero em redação, não foi dessa vez que eu entrei pra universidade.
Pouco depois fui selecionada pelo PROUNI para cursar filosofia, estaria ótimo se não fosse numa universidade a quilômetros de onde moro, oras, se eu não tinha como bancar um curso particular, teria como me bancar em outra cidade? Ainda não foi dessa vez que entrei para a universidade...
Em outra chamada, fui novamente selecionada para cursar Direito, dessa vez, numa universidade mais próxima. Como o processo burocrático só serve para atrapalhar, as aulas já haviam começado e minha documentação ainda estava sendo avaliada; sendo assim, me permitiram assistir as aulas. Fiquei toda contente, fui parabenizada por um professor ao final de uma aula devido a minha brilhante participação, eu só não sabia que aquela seria a minha última aula de Direito... No dia seguinte, me informaram que faltava um documento e que eu havia perdido o prazo de entrega, que eles haviam mandado um e-mail, que de qualquer maneira, me daria menos de 48 horas para providenciar o desejado por eles, ou seja, missão impossível! Que triste... Desse jeito, eu nunca vou entrar pra universidade!
Hoje, 13/07/2011, um amigo foi selecionado na lista de espera pelo SISU, e saiu cedo de casa para fazer a matrícula, mas outro amigo me telefonou dizendo que o horário era somente de nove às treze horas, que constava em um anexo na página da Internet que é associada à página da Universidade, ou seja, o menino perderia a vaga, por isso estou aqui escrevendo, por revolta! Fazem de tudo para a pessoa não entrar na Faculdade, o ENEM, SISU e etc, viraram sistemas de assistencialismo, e o pior, um sistema (in)competente de corrupção.
Ou essas autoridades são doentes mentais ou eu fui abduzida! Para que colocar horário restrito para inscrição dos APROVADOS no vestibular? Para dificultar? Sim, nós sabemos que é para dificultar, mesmo assim, prefiro acreditar que seja doença mental (que me perdoem os doentes), mas é triste demais para eu aceitar que seja apenas resultado da corrupção de homens inescrupulosos...
Lauraine Santos.

Um comentário:

  1. Você escreve muito bem! Escreve com graça, com arte e poesia!
    um beijo grande
    Soraya Barros

    ResponderExcluir

Marque presença