domingo, 31 de julho de 2011

Que dizer?

Não tenho o que dizer.
Palavras não expressam a minha dor,
E a vergonha me impede de compartilhar o que me faz sofrer.

Estou dando tempo ao tempo,
Mas o tempo não está me dando paciência.

Estou cansada.
Estou exausta.
Exaurida.

Sozinha no mundo, querendo de volta a minha vida.
Vou permanecer, insistir, lutar enquanto tiver forças,
Mesmo sabendo que as minhas forças estão no fim.

domingo, 24 de julho de 2011

Fotografia

Antigamente diziam que tirar foto roubava a alma das pessoas,
Com o tempo perceberam que a máquina na verdade captava as imagens e não roubava as almas.

Hoje passei os olhos em uns álbuns e vi através das imagens: enxerguei as almas.
A máquina captou o amor em gestos imóveis.
A máquina registrou o que não se pode ver com os olhos.

Vi que não importa o tempo,
Não importa a qualidade da imagem,
Não importa se você estava presente ou não quando a imagem foi fotografada,
Pois as almas se revelam sem palavras.

A fotografia desse amor não tem imagem, não tem cor, não tem formas,
Na linguagem de hoje em dia, podemos dizer que não tem megapixels...

São apenas sentimentos expostos em imagens que não se movem,
Mas que, captadas as almas, comovem e envolvem o vidente através do que ele nem ao menos sabe que vê.

domingo, 17 de julho de 2011

Alma em chamas.

Sonhei que eu lia uma carta que de repente começava a pegar fogo.
Sei que são minhas letras ardendo no inferno, são os meus desejos que queimam a minha alma.
São as letras que escrevo para ninguém ler.

Tentei apagar a chama da carta na pia da cozinha, onde encontrei peixes que aguardavam para ser transportados para qualquer aquário.
Vi um pequeno aquário quebrado, que não condizia com as carpas dentro da pia, apenas com o lindo peixe beta morto e estirado entre os estilhaços do quebrado aquário.

Havia água pelos cantos da cozinha, consequência de algum vazamento.
Tudo sujo, tudo fora do lugar.
Estilhaços de vidro e água pelo chão, um peixe morto num quebrado aquário e peixes vivos dentro da pia onde apaguei a chama da carta que queimou repentinamente enquanto eu a lia.

Concluo que só a vida dos peixes dentro da pia pode apagar esse inferno que atormenta a minha alma.

Aquela carta representa a minha alma, que de repente se joga no inferno em busca de uma vida melhor que não tem vivido.

No entanto, não quero confessar meus pecados, nem torná-los públicos, o ato de cometê-los já é suficiente para me fazer sofrer, e apesar disso, eu sei, vou cair no erro e persistir nele.

Embrulho meu presente...

Perfeito seria se eu nao sentisse tanta culpa por querer tanto algo que pertence ao meu mundo.

Sou eu e minhas obsessões. Minhas cismas compulsivas.

Sinto coisas que não sei dizer, coisas que não quero sentir.

Sinto emoções que não condizem com o meu cognitivo.

Fico triste por paixões passadas que não fazem mais parte da minha vida.

Quero um futuro distante demais para alcançar em tão poucos anos de vida.

Eu embrulho meu presente em passado e futuro.

Esse emaranhado de tristeza e inquietude sou eu.

Por incrível que pareça, ocupo bem o meu papel na cadeia alimentar, sei me defender mesmo quando não sei o que estou fazendo...

Quanto a culpa em relação ao que pertence ao meu mundo, vou superar... É inerente ao meu mundo, não tenho porque me culpar, nem culpar ao mundo!

Só sei que não quero mais sentir tantas coisas inexplicáveis.

Tanta solidão apesar de estar cercada de estrelas e ter um sol que me sorri mesmo quando tudo vai mal.

E assim termino minha madrugada pensando em mim. Pensando em você. Pensando nos nós do passado e nas incertezas do futuro que nos aguarda... Ou não!!

;-)

sexta-feira, 15 de julho de 2011

"Há algo errado no paraíso"

Permaneço no Éden prestes a me jogar num abismo desconhecido...

Mas não quero pensar nisso! Não quero que esse pensamento me leve para fora do paraíso...

Vamos roer as unhas e nos atirarmos aos vícios e pecados comuns da humanidade.
Vamos comer e engordar.
Fumar e emagrecer até caber num caixão.
Vamos sofrer e chorar enquanto as lágrimas permitirem.
Auto piedade até o fim!

Pensar no que nunca será pode ser muito cruel,
Mas tornar o que pode ser em presente, pode ser devastador!!
Pense bem nas suas escolhas, elas nunca te darão o resultado esperado.
Espere o melhor, espere o pior, nada disso compensa,
O essencial é esperar pelo inesperado da vida.

As explosões que ocorrem quando estamos distraídos,
As súbitas paixões que nos dominam completamente e nos arrebatam para um mundo distante que mescla céu e inferno numa só paisagem...

O mundo que vivo com você, o mundo que vivo em mim,
O mundo que não vivo e quero viver - não sei se nesse mundo cabemos nós dois.

Por maior que seja a minha inspiração, não sei dizer até onde vou insistir em ser pra sempre minha... Sinto que preciso me trair, essa realidade está insuportável demais para eu continuar sendo-me tão fiel, isso não é coisa de gente normal!

É o paraíso em contradição - sou eu aqui, pensando sem agir.

Lauraine Santos

quarta-feira, 13 de julho de 2011

A deficiente mental administração da educação no nosso país

Hoje por mais uma vez fui surpreendida (sim, eu ainda consigo me surpreender) com o grau de acefalia (ou burrice, não sei, preciso fazer uns cursos para distinguir melhor as deficiências dessa gente) que comanda a educação nesse Brasil. Já há muito tempo me irrito com tanta incompetência, mas sempre me seguro, numa tentativa insana, de conter meu ódio pela corrupção.
O vestibular é a maior prova que a política dá de que as escolas públicas que eles oferecem é um fracasso, pois se fossem boas, os alunos ingressariam automaticamente no terceiro grau, como ocorre de série para série. Ponto.
O ENEM surgiu como uma forma de medir, de avaliar o Ensino Médio – principalmente da educação pública; hoje serve como vestibular para muitas Instituições de Ensino Superior, sendo assim, o exame avalia ao indivíduo muito mais que as instituições que oferecem educação ao mesmo.
As vagas nas Universidades Públicas, em boa parte, estão compradas, garantidas para quem tiver como pagar. (A vaga de medicina estava custando trinta e cinco mil reais a última vez que eu soube – até achei barato...), mas, essa é a corrupção comum, essa já não me surpreende mais.
Uma vez, num vestibular, me deram zero numa prova de redação, achei normal, afinal, sempre fui aluna de notas medianas, devo ter desaprendido a escrever, tinha tirado nota nove vírgula dois na redação do ENEM no ano anterior e meus artigos nos jornais regionais nem sempre foram “bem aceitos”. Pois é... Com zero em redação, não foi dessa vez que eu entrei pra universidade.
Pouco depois fui selecionada pelo PROUNI para cursar filosofia, estaria ótimo se não fosse numa universidade a quilômetros de onde moro, oras, se eu não tinha como bancar um curso particular, teria como me bancar em outra cidade? Ainda não foi dessa vez que entrei para a universidade...
Em outra chamada, fui novamente selecionada para cursar Direito, dessa vez, numa universidade mais próxima. Como o processo burocrático só serve para atrapalhar, as aulas já haviam começado e minha documentação ainda estava sendo avaliada; sendo assim, me permitiram assistir as aulas. Fiquei toda contente, fui parabenizada por um professor ao final de uma aula devido a minha brilhante participação, eu só não sabia que aquela seria a minha última aula de Direito... No dia seguinte, me informaram que faltava um documento e que eu havia perdido o prazo de entrega, que eles haviam mandado um e-mail, que de qualquer maneira, me daria menos de 48 horas para providenciar o desejado por eles, ou seja, missão impossível! Que triste... Desse jeito, eu nunca vou entrar pra universidade!
Hoje, 13/07/2011, um amigo foi selecionado na lista de espera pelo SISU, e saiu cedo de casa para fazer a matrícula, mas outro amigo me telefonou dizendo que o horário era somente de nove às treze horas, que constava em um anexo na página da Internet que é associada à página da Universidade, ou seja, o menino perderia a vaga, por isso estou aqui escrevendo, por revolta! Fazem de tudo para a pessoa não entrar na Faculdade, o ENEM, SISU e etc, viraram sistemas de assistencialismo, e o pior, um sistema (in)competente de corrupção.
Ou essas autoridades são doentes mentais ou eu fui abduzida! Para que colocar horário restrito para inscrição dos APROVADOS no vestibular? Para dificultar? Sim, nós sabemos que é para dificultar, mesmo assim, prefiro acreditar que seja doença mental (que me perdoem os doentes), mas é triste demais para eu aceitar que seja apenas resultado da corrupção de homens inescrupulosos...
Lauraine Santos.

Olhos invisíveis

Meu querido,

O Rei Salomão disse que: "abaixo do sol tudo é vaidade"

Pois eu digo que abaixo do sol não existem segredos.

Tudo pode e será revelado, e meu medo é esse...
Creio nos olhos invisíveis que nos vigiam repentina e incessantemente,
Creio no amor perfeito que não posso receber e não sou capaz de dar,
Creio na fidelidade que descarta qualquer possibilidade de fazer o outro sofrer.

Reconheço a carência e as necessidades que me afogam,
Reconheço que sou meio "psico-sociopata", inconsequente, discreta e inteligente o suficiente para varrer meus erros para baixo do tapete sem que jamais nenhum olho humano me descubra;
Eu sei apagar os rastros que podem um dia me condenar, sou perita em cometer crimes perfeitos.

Sinto-me Eva observando o paraíso, trocando ideias com a maldita serpente, admirando a fruta proibida...

Confesso que sinto-me extremamente tentada!
Mas não posso cair, não posso ter erros para varrer pra baixo do tapete,
Afinal, ainda que ninguém descubra, eu sempre saberei...
E minha inteligência é cruel demais para deixar-me impune a qualquer crime, ainda que seja perfeito, não posso enganar a mim mesma.

Estou no Éden, não me tire daqui, não me tente, eu não sei por quanto tempo insistirei em resistir...



quarta-feira, 6 de julho de 2011

Mulher, qual é o seu valor?

Acho estranho quando digo que sou uma mulher, porque ainda me sinto uma adolescente, mas, de fato, já sou uma adulta, crescida, com desejos e medos de uma mulher. Definitivamente, sou uma mulher. Conheço na pele o que é sentir TPM, menstruar justamente no dia que ia rolar aquela praia, piscina, cachoeira ou em pleno ano novo quando se pretendia usar branco... Sei o que é esperar um príncipe e só encontrar sapos. Sei o que é achar que todas as outras mulheres seriam capazes, menos você; sei o que é olhar em volta e achar que todos os casais do mundo são felizes, ou, mais felizes que você.
E sob esse olhar complexado tenho esbarrado com muitas mulheres, amigas, bonitas, divertidas, inteligentes, independentes, algumas com boa auto-estima, mas que por algum motivo, se esquecem do valor que possuem. Concordo que a razão não domina sobre a emoção e que seria muito bom se isso fosse possível sem sofrimento. Mas não é. E quando o sentimento está nos fazendo sofrer, o melhor é sofrer por um motivo racional, ou seja, optar pelo caminho que vá nos levar a algum lugar proveitoso.
Uma justificativa para quem olha de fora:
Pode parecer que pra mim é confortável escrever sobre o assunto, já que estou casada, e que apesar das tempestades comuns da vida e dos gênios fortes, vivo bem com meu esposo. No entanto, não é assim tão simples. Para hoje estar nessa “situação de conforto” tive que optar diversas vezes entre razão e emoção. E é claro que se eu fosse 100% razão não estaria aqui hoje, mas se fosse 100% emoção, também não! É necessário o equilíbrio e saber a hora certa de optar por um ou por outro.
A mulher por si só já tem inúmeros problemas, levaria a vida inteira para enumerá-los, sendo assim, vou ater-me apenas a um: relacionamentos amorosos. Até onde um relacionamento é realmente amoroso? Até onde uma mulher pode diminuir-se para caber num relacionamento? São respostas complexas, que obviamente, não saberei expressar plenamente, mas mesmo assim vou tentar. Já sabemos que a mulher (a maioria) para sentir-se completa precisa de um relacionamento amoroso, e nessa busca por um amor acaba caindo em inúmeras ciladas... Algumas boas, outras engraçadas e algumas: irreversíveis!
Uma mulher ama e sente-se correspondida, mas seus objetivos de vida são totalmente diferentes. Outra ama e não é correspondida, mas insiste em conquistar aquele sujeito que não está nem aí para a existência dela. Outra ama um cara estúpido que não está disposto a mudar para demonstrar reciprocidade no sentimento. A gordinha ama um cara que está mais preocupado em desfilar com um troféu do que em dar e receber amor, o que inclui motivar o parceiro a ser melhor, e não depreciá-lo quando o objetivo estimado não estiver sendo alcançado. Uma terceira ama um carinha que conheceu por acaso às vésperas do casamento dele, quando se apaixonaram intensamente, mas ele sente medo demais para jogar tudo pro alto e ir viver esse amor plenamente, prefere dar tempo afim de que a vida siga seu rumo natural até a hora que ele tome coragem de separar-se de sua já então esposa. Uma não pode reconciliar-se na vida com Deus porque se parar de ter sexo sabe que seu parceiro a trairá – isso porque ele nem pensa em casamento... Tudo isso tenho escutado de amigas, e é o que mais me dói. Por isso eu faço mais uma pergunta: mulher, qual é o seu valor?
Quer saber se seu relacionamento é mesmo amoroso? Pergunte-se se tem sofrido por não sentir-se correspondida à altura, pergunte-se se tem doado mais do que recebido amor. Pergunte-se o quanto se sente amada... Algumas mulheres confundem relacionamento amoroso com relacionamento doloroso; e sofrem sozinhas por um amor que não existe. O amor só permite sofrimento se for por uma questão insolúvel, ou onde ambos batalhem por um objetivo comum.
Até onde uma mulher pode diminuir-se para caber num relacionamento? A mulher pode diminuir-se, anular-se à medida que se sente amada. O amor é uma via de mão dupla, se a mulher se sente amada, sabe que certamente seu parceiro anda renunciando a muitas manias, e vontades, nesse caso, vale à pena diminuir-se para caber no amor que o outro, genuinamente te oferece, tudo isso, óbvio, caso você também ame intensamente.
Para concluir, o objetivo desse texto imenso: mulher, qual é o seu valor? Você vale umas noites de sexo ou vale um homem te ame tanto que espere o seu tempo? Você vale ser diminuída por um carinha sem maiores objetivos na vida ou merece um homem que te incentive a buscar novos horizontes e que te admire apesar dos seus defeitos inerentes a qualquer pobre mortal? Você merece um sujeito acomodado em “comer” e dormir ou um homem que te queira para a vida inteira? Você vale anular-se completamente, quebrar sua mão dando murro em ponta de faca ou vale um homem que abra mão de determinadas coisas pelo simples fato de querer estar com você? Você merece estar namorando escondido quando é jovem o suficiente para ter um homem livre e decidido, que te ame o suficiente para jogar tudo pro alto e te fazer feliz como você realmente merece ser?
Esse valor que você possui, porém, deve partir de você mesma. É você que merece um homem de verdade. Uma mulher de verdade, eles merecerão... Ou não! Sendo assim, quando as coisas não estiverem bem e o relacionamento não estiver lá muito amoroso, tentemos ser racionais, pode não resolver, mas certamente, melhorará muito! As coisas melhoram quando lembramos o valor que temos... Ainda que o bem amado não ainda não reconheça esse valor, você saberá mostrá-lo na medida e no momento certo.