sexta-feira, 11 de março de 2011

Questões infindáveis.

Despindo-me de qualquer personagem,
Aqui sou eu sozinha.
Sem máscaras ou subterfúgios.

Questiono a existência sem conseguir me fazer existir.
Salvo minha alma em pequenos versículos e esqueço todo o resto que não me for conveniente.

Expor o que é correto é fácil a qualquer pessoa esclarecida.
Viver corretamente é que requer muito mais que apenas boa vontade.

O mundo das ideias é aqui, no virtual.
Tudo acontece e nada é pecado... será?

Vejo inversão de valores.
Mas não vejo um Deus mutável para o povo de Israel.
Os problemas, sim, mudaram. A sociedade, a tecnologia, a ciência... sim! Mudaram.
Mas o Deus que conheci é imutável.
Só vejo que a humanidade também não mudou muito...
Parece-me que desenvolveram novas técnicas de pecado.

Aliás, os pecados continuam os mesmos, só mudaram a maneira de praticá-los.

Porém, este seria um poema, e não uma crítica social, religiosa, política e etc e tal...

Sou apenas eu com meus pensamentos.

Um comentário:

  1. Aliás, os pecados continuam os mesmos, só mudaram a maneira de praticá-los.
    Concordo plenamente minha Flor,tem pessoas que pecam de forma que conseguem julgar como um não pecado e bater o pé até o fim esquecendo onde fica o peso da consciência e do coração.
    Belas palavras e um ótimo post!
    Bjos de bom dia!

    ResponderExcluir

Marque presença