sexta-feira, 30 de dezembro de 2011


Amigo não tem nome,
Não tem tamanho,
Não tem idade,
Não tem raça,
Cor, credo, escolaridade...

Amigo não tem forma definida!
Pode ser gordo, magro,
Feio, bonito,
Simpático, antipático ou anti social.
Pode ser alegre ou mal humorado.
Feliz ou ranzinza.
Otimista ou pessimista, tanto faz!!

Amigo é aquele ser que te acolhe,
Que reclama dos seus defeitos porque quer o seu melhor,
Mas que não quer ficar longe, por maior que os seus defeitos sejam.

Amigo é quem entende suas limitações
E te ama, apesar de todas elas!

Que todos os dias, os seus amigos saibam o quanto você os ama.

Lauraine Santos

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Quadro


Hj, inspirada, resolvi tentar copiar o desenho de um tio, ampliar numa tela e fazer a pintura com tinta óleo. Ficou bom, apesar de eu ter lutado com uma tinta secando mto rápido- que depois descobri que era acrílica - Mas, o importante é que o quadro saiu. E fiquei tão orgulhosa!!!!!! rsrs

Tá, ficou um cado barriguda, mas, abaixo a ditadura da beleza!!!!! Eu tô feliz com meu quadro, e é o que importa!.... O primeiro assim, de grande destaque. Apesar da geleira tbm ter ficado boa.

E é isso!!!!!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

De quem dependem os seus sonhos?

Você acorda, segue (ou não), todo um ritual de ir ao banheiro, tomar banho, trocar de roupa, escovar os dentes, tomar café, pensar nos afazeres diários, e assim começa mais uma segunda feira já recheada de preguiça e de sonhos incompletos pelos quais você acredita que trabalha de forma insuficiente para alcançar, por isso nunca se concretizam e parecem cada vez mais distantes apesar de todo esforço que você faz, de todo tempo que você leva inclusive planejando e criando estratégias para realizar-se.

Seus dias têm passado tão rapidamente que você nem percebe. Quando se dá conta já está na hora de dormir, de acordar, de fazer acontecer, mas parece que nada nunca acontece como você quer para ser feliz. Seus sonhos vão ficando guardados na gaveta da infelicidade, onde acabam ficando empoeirados, esquecidos e só relembrados ocasionalmente como forma de martírio, como uma maneira de se fazer sofrer por não conseguir alcançá-los.

É ruim perceber que os nossos sonhos estão distantes do que podemos realizar, pior ainda é perceber que sofremos por esses sonhos que são muitas vezes mesquinhos se comparados a realidade miserável da humanidade. No entanto, a carência causada pela miséria não podemos resolver sozinhos, trata-se de má distribuição de renda, politicagem e poderes que não nos pertencem, enquanto os nossos sonhos dependem unicamente de nós mesmos. E é nessa parte que às vezes fico confusa. Porque sei que não temos como realizar nossos sonhos totalmente sozinhos, vivemos em sociedade, família, sistema político e religioso, tudo nos envolve. Somos passivos e ativos numa mesma vida!

Sei que nem todos os meus sonhos dependem de mim, porque por melhor que eu trabalhe, o salário será o mesmo no final do mês, porque por mais que eu estude, existe o sistema salafrário que vai comprar minha vaga na universidade pública, independente de eu ter condições de pagar uma particular ou não. Que ainda que eu leve meus filhos a igreja, pode lá haver um pedófilo, ou mesmo que eu vá, poderá ainda assim haver um pedinte de dinheiro em nome de Deus, que me levará todo mísero dinheiro que eu levo o mês inteiro lutando para conquistar. Porque sei que por mais que eu me esforce, as melhores vagas de emprego serão, em geral, de quem tem forte “QI” (“Quem Indique”).

Desse modo, percebo então que não! Infelizmente, meus sonhos não dependem unicamente do meu esforço! Também sei que esses sonhos não dependem dos meus pais, parentes ou amigos. Não dependem da sociedade ou da igreja. Muito menos de encontrar o amor de um conto de fadas encantado. E volto a crer que os meus sonhos dependem unicamente do meu relacionamento com Deus. É quando percebo que os sonhos de Deus são maiores que os meus. E que se eu estiver no centro da vontade dEle, tudo mais se realizará.

Sendo assim, entendo que os meus sonhos serão reais, porque Deus estará me guiando para alcançá-los; porque Deus não tem sonhos fracassados. Porque o que Ele promete, Ele cumpre. Basta você estar disposto a confiar e a agir conforme o querer dEle. Para isso, é necessário apenas que você se relacione com ele, afinal, amigos sabem um o que o outro pensa, sente e estão sempre juntos!!!

Lauraine Santos.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Até onde vai a maldade do homem?

Durante essa semana refleti muito sobre a maldade do homem. No entanto, não foi a maldade nua e crua que mais me intrigou. Claro que os bombardeios, a pedofilia, a tortura física, os assaltos, tiros e assassinatos me entristecem, mas o que realmente me aborreceu foi a maldade sorrateira que se alastra na sociedade.

A maldade é tão velada que se finge de brincadeira, se fantasia de amor, se diz amiga, mas mente o tempo inteiro, engana, faz fofoca, ilude, corrompe. Mata a sangue frio. É uma inimiga invisível, que se deixar, faz-nos parecer paranóicos, como se estivéssemos enxergando fantasmas que não existem.

Alguns cometem a maldade pelo hábito, outros pela burrice, pelo acaso, sem querer! O fato é que não temos como evitar determinados erros, e sou muito complacente com os erros dos outros, tento sempre acreditar que existe algum fundamento no comentário maldoso, nas atitudes duvidosas, no entanto, chega um momento na vida em que precisamos estar mais atentos às intenções do que aos gestos e ao que as palavras dizem.

Não sei o que é pior, se não perceber a maldade (e deixar que ela atinja seu objetivo de envenenar), se ter que viver atento para não ser contaminado, ou se é percebê-la às vezes vindo de onde menos se espera. Ou seja, de uma forma ou de outra, se permitirmos, ela consegue nos matar a alma.

Vejo que ainda preciso aperfeiçoar minha percepção e criar métodos mais eficazes em combater a maldade alheia, estar atenta aos significados contidos nas entrelinhas, não me deixar ludibriar por sorrisos falsos. Desmascarar a maldade como forma de proteção. Não temos como evitar que sejam maldosos, mas podemos encarar e ser fortes o suficiente para não deixar que a maldade nos derrote.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

14 de novembro de 2008

Linha, passo, linha passo. Piso no preto, piso no branco.
Preto, branco, preto, branco, linha, passo...
Sincronia aritmética dispensável à cinestesia: expressão corporal psíquica.
Penso em tudo e nada me convém. Distingua-se de si para ser.
Componha-se, faça-se, apenas não iluda-se,
Mesmo que a realidade seja dura demais.
Estrague-se!
Ninguém é de ferro e nem deve tentar ser;
A graça as vezes está no que não somos;
Sabendo-se que, até para achar graça tem que ter hora.

Como desvairada que sou posso rir sozinha sem desconfiar do que pode dar errado.
O errado sempre acontece, queira você, ou não!

Um bem -te-vi me acordou essa manhã.
Dizem que é mal agouro. Se é verdade, só vou saber com o decorrer dos dias;
Posso dizer que só validarei a crença num prazo menor que 48 horas.
Caso contrário, atribuo ao acaso qualquer fato passado desse período...
Se não, podem todos os bem-te-vis da região cantar no meu ouvido - por pouco tempo, pois convenhamos que depois de alguns minutos perde a beleza encantadora da natureza.

Paixão: apaixonar-se é sentir medo incessantemente. Pergunto-me: o que tem a ver o bem te vi do parágrafo anterior com a paixão avassaladora que descrevo aqui?

►Creio que a paixão seja um mal agouro aos planos futuros dos apaixonados... E talvez essa seja a única conexão entre os parágrafos anteriores.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Sonhos distantes

Estou aqui com meus devaneios,
Meus sonhos bobos, vãos.

Não gosto de me emocionar,
Lamento meus sonhos impossíveis.

É fácil enxergar o milagre do vizinho,
Mas é complicado entender o que Deus quer nos dizer quando tudo que ouvimos é NÃO.

Eu tento entender.
Hoje me deparo com frustrações do passado e vejo o quanto me foram boas!
Percebo que tenho uma vida melhor do que a que eu estava escolhendo.

Por outro lado, vivo angústias que não sei como driblar, pois não tenho como parar o tempo,
Não tenho como mudar o que deu errado, e nem sei como alterar o destino.

Estou com meus sonhos estacionados.
Todos parados numa estação distante e sem probabilidade de locomoção.
Não sei o que fazer para realizar-me em tudo que sonhei,
Pois apenas crer no mover de Deus já não é suficiente.
Não quero apressar o tempo, nem enfiar os pés pelas mãos,
Quero apenas deixar de sofrer por uns sonhos impossíveis...

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Encarando a ignorância

Eu vivo de passado, presente e futuro.
Vivo do que sou e do que não sou.
Vivo de não ser o que quero.

Vivo por viver, sem respostas nem explicações.
Sou repleta de interrogações que sacio com hipóteses infundadas,
É assim que invento meus mitos. Sim, os mitos surgem da ignorância.

Apesar de ser difícil admitir, também tenho um lado desconhecedor de muitas ciências.
E é esse lado que me permite criar absurdos e experimentar o surreal.
É a ignorância que estimula minha criatividade.

Ignoro as causas e os fins do sofrimento, por isso sou poeta,
Pois assim posso especular sobre o que sinto mesmo sendo o que desconheço.

Sinto, mas não conheço.
Percebo, mas não vejo.
Encaro, mas sei que não passam de fantasmas.

Deparo-me com a ignorância, presto-lhe um sorriso e sigo adiante,
Certa de que ironizei e passei por ela sem ser notada como ignorante.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Viver é vão?

Alimentar sonhos não faz mal.

Meu problema é que eu alimento ilusões,

Pensamentos sem a menor probabilidade de realidade.

Emoções sem fundamento.

Não deixo de me questionar sobre por que não sou igual a maioria das pessoas,
Que simplesmente vivem!
Crêem em algo, buscam a vida, trabalham, traçam metas, planejam objetivos,
Superam os obstáculos, vencem as barreias,
Ou, no mínimo, aprendem a conviver disfarçadamente com seus medos e fantasmas.

Não quero admitir estar vivendo a "síndrome da Cinderela", mas tenho ciência dessa possibilidade.

O fato de não estar conseguindo administrar minhas frustrações tem me frustrado ainda mais.
Sei no que creio, só não sei o que fazer com essa sensação de que tudo é vão, inclusive:

VIVER.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Para o futuro

Não quero reclamar.

Não quero perder a razão.

Não quero mais me entristecer e sofrer pelo que não posso mudar

Não posso mais alimentar a impotência que me domina.

Quero que tudo dê certo,

Que a felicidade me sorria

E que a sorte ande ao meu lado, um pouco a frente, para ir abrindo caminho.

Que os raios do sol jamais fujam de mim, e que as estrelas guardem o meu sono.

Que certamente eu possa ser mais feliz.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Amor é um sentimento maduro

As pessoas dizem querer um amor.
Ilusionam um par perfeito, sofrem por si mesmas,
E não entendem que o amor é um sentimento maduro e muito diferente da paixão que nos arrebata.

A paixão é imediata, física, teimosa, envolve muito mais a nós mesmos do que o objeto de paixão.
O amor é além do físico, envolve o convívio com o ser amado, incluindo virtudes e defeitos.

Estou numa idade que ainda confundo amor com paixão.
Ainda valorizo muito mais a paixão apesar de querer o amor.
Mas sei que amar é um sentimento de valor inestimável, é um sentimento que se aprende ainda mais facilmente se a paixão estiver em alta.

Sei que não sou capaz de amar como o amor exige em sua essência,
Mas sei que amo, porque abro mão de mim para ser feliz com quem me apaixona.

Amor se constrói com o tempo... Por isso é um sentimento maduro, leva tempo para florescer.
Importa-me apenas, poder amar.
Ainda que leve várias vidas para conseguir,
Insistirei até o fim.

O prazer da mordomia

Como desde criança, aos domingos, vou à igreja.
E ontem não foi diferente, mesmo que ultimamente eu ande bem preguiçosa, fui à igreja.

Cheguei em casa e fiquei rememorando os fatos, os amigos ali vistos, a palavra dada e etc e tal.
De tudo, o que mais me fez sorrir foi lembrar de um jovem, novato na igreja, que notoriamente vê-se que tem alguma deficiência mental, e apesar de não ter nenhum título ou cargo dentro da igreja, por diversas vezes o vi encher os copos, colocar numa bandejinha e ir servir água aos demais irmãos.
Em determinado momento, ainda antes do início da reunião, eu tinha acabado de beber água e ia até a lixeira jogar o copo fora, quando me levantei com o copo na mão, ele veio imediatamente me minha direção, perguntando se eu queria mais água, como eu disse que não, ele me disse que eu poderia continuar sentada, que ele jogaria meu copo fora pra mim.

Foi um gesto tão simples, tão pequeno, mas que alcançou uma proporção tão grande dentro do meu campo de visão...

Entendi que quando você quer servir, não precisa ter um cargo de "assessor", "assistente".
Basta colocar a mão na massa e servir. Aquele rapaz certamente não almeja cargos, sua deficiência não permite tal "audácia", ele apenas satisfaz-se em servir.
Foi a primeira linda mensagem que VI naquele domingo de ontem... Um rapaz com deficiência que compreende e exerce perfeitamente a essência do cristianismo: a mordomia, o prazer em servir.

Pequenos gestos, grandes significados.

Foi o que eu vi, e aprovo.

Existe culpa em fazer o que é certo?

Hoje estou aqui com meus questionamentos,
E é incrível a velocidade com que as bobagens se apoderam das nossas mentes...

Quando tentamos fazer algo,
Se fizermos da maneira errada e der certo, saimos no lucro,
Mas, se der errado, normal, não havia começado certo mesmo...

Em compensação,
Se tentamos fazer da maneira certa e dá certo, a sensação é apenas de missão cumprida,
Já, se o resultado der errado, é o suficiente para nos lamentarmos por termos lutado tanto, e agido tão corretamente quando atalhos nos levariam ao mesmo lugar nenhum.

Nessas horas que percebo o que é ter paz interior,
É saber que se o resultado final não deu certo apesar de você ter tomado todos os caminhos necessários, é porque não era pra ser, é porque Deus precisava te mostrar que Ele é Deus, e que os seus caminhos não dão em nada se não estiverem de acordo com os caminhos que Ele quer que você trilhe.

Mas, ainda que você perceba que estava fora dos caminhos que Deus trilhou pra você, tenha a paz de saber ter feito tudo certo, pois assim, alcançarás o entendimento e poderás ver o novo caminho que se abrirá à tua frente.

Está tudo dando errado, mas eu sei que fiz o que era correto, e isso me conforta.

Está tudo dando errado, mas eu sei que fiz o que era correto, e sei que Deus tinha outros planos pra mim.

Está tudo dando errado, mas eu sei que fiz o que era correto, e por saber que fiz o que era correto, posso ver as transformações que Deus já cuidou para me fazer feliz.

Está tudo dando errado, mas eu sei que fiz o que era correto, e por saber que fiz o que era correto, posso ver o novo caminho que devo seguir.

Não se sinta culpado em fazer o que é certo. Apenas faça.
A recompensa pode ser vagarosa, mas, indubitavelmente, compensa!!

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Obra prima

Eu não te esqueço.
O tempo passa e basta eu te ver pra sentir o coração tremer.

Penso em você quando algo dá errado,
Acredito que se fosse com você nada daria errado.

Olho suas fotos e não vejo mais aquele ser que saciava a minha sede,
Mas insisto em olhar pra dentro de mim e querer você de qualquer jeito.

Seus olhos me sugam, fico afogada no seu olhar, é uma sensação indescritível,
Seu olhar é tão translúcido que não condiz com a sua realidade.

Aprecio como se aprecia uma obra de arte, você está entre os melhores itens da minha coleção:
Um dos mais bonitos, de valor inestimável e totalmente inalcançável, que eu não posso apalpar.

Você vira a minha cabeça.
Por você eu me vejo realizando o impossível, o surreal.
Perco a cabeça e quase me ponho a perder.

Não posso dizer que te amo,
Mas uma coisa é certa: não consigo te esquecer.

Paranóia, maluquice, obsessão, cisma, seja lá o nome que for, não importa,
Importa é que eu tenha você enfeitando a minha estante, pendurado na minha parede...
Importa que eu possa expor que eu quero, eu consigo,
Ainda que esse seu olhar não mais sacie a minha sede.


domingo, 21 de agosto de 2011

Universo feminino

Cabelos, seios e bolsas, é a identidade feminina.
Maquiagens, batons e brincos, é um mundo a parte.
Unhas e esmaltes.
Saltos e meia calça.
Vestidos e lantejoulas.

Inveja, mentiras e fofoca, é tudo lenda sobre as mulheres.
TPM não! TPM é coisa séria!

Chantagem faz parte do vocabulário...

Choro e dengo.
Amor e ódio,
Ternura e tédio.
Loucura e sensatez.
Paz e ira.

Possuímos antônimos, sinônimos e tudo mais que o universo nos permitir.
As perguntas e as respostas nos pertencem,
A felicidade e tudo que ela puder nos proporcionar de bom.

Sou senhora de todas as palavras,
Senhora dos gritos e dos sussurros.

Ainda que eu não me considere lá muito feminina, seja bem vindo, esse é o meu universo...
Por vezes perdido pela preguiça, pela falta de grana, pela falta de vontade e paciência,

Ainda assim, totalmente feminino... e meu!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

O que Deus te diria hoje?

Tendemos muito a ouvir o que as pessoas a nossa volta dizem,
Seja bom ou ruim, ouvimos, intimamente opinamos,
Atentamos para avaliar o portador das palavras...

E nesse meio tempo, me veio a mente, o que Deus me diria, se eu o estivesse vendo claramente na minha frente, como se fosse uma pessoa como eu?

É triste, encaro como uma auto avaliação, mas tenho certeza de que Ele me diria que,

Sou teimosa, cética e tenho um coração duro.
Que sou preguiçosa e que as minhas obras não justificam a minha fé.
Que a bondade do meu coração não é suficiente para garantir a salvação da minha alma.
Diria-me que sou humanamente relaxada e pobre de espírito,
E que o meu cognitivo não condiz com a tristeza que deixo me abater...
E por isso também serei cobrada...

Deus me diria (me diz) muitas coisas que não quero ouvir,
Verdades que são profundas demais para eu suportar e conseguir mudar sozinha.

Sei que sozinha não vou mudar, mas sei que quero mudar,
E enquanto boa vontade contar ainda tenho chances!!

Sendo assim, pedir perdão e misericórdia, é o que eu responderia (respondo) à Deus.

sábado, 13 de agosto de 2011

Conclusão do dia

Verbalmente não sou de gestos largos.

Ouço o aroma da chuva e saboreio a paz que me alimenta a alma...

Estou em paz comigo,

Porque sou conscientemente incapaz de prejudicar a quem quer que seja,

Porque não sinto prazer nos desprazeres da vida de quem não sabe amar.

Sou abençoada, pois consigo entender que a justiça de Deus é perfeita.

Reconheço meus defeitos e qualidades, e sei que meus piores defeitos, são os que dizem respeito diretamente ao meu relacionamento com Deus.

Estou satisfeita, porque sei que não preciso de mais do que o que tenho para viver:

Tenho amor, o que vestir e o que comer.

Por maior que seja a minha vaidade, sei que isso é o que me basta.

Quanto ao resto do mundo, não sei, mas eu não trocaria a minha vida,

Porque a paz que sinto quando deito a cabeça no travesseiro,

Não há valor que pague!!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Quem disse que seria fácil?


Tenho muitos amigos,
Alguns que jamais dividiriam a vida, nem menos seus segredos,
Outros, que não sabem o que significa um segredo...
Porém, não sei por quê, quase sempre sou escolhida para participar, ouvir,
Sou convidada a compreender os sentimentos e pensamentos desses amigos quanto ao que entendem sobre o amor.
Percebo que a maioria,
Quando está num bom momento de seu relacionamento,
Consegue avaliar com leveza os defeitos de seus parceiros (as),
No entanto, no primeiro empasse, o parceiro torna-se um ser malignamente contagioso e irremediável, insuportável!!
Os problemas existem, são inevitáveis, não há casal perfeito!
E não sei por que cargas dágua a gente nem sempre se apaixona por alguém com os mesmos gostos...
Parece tão mais fácil encontrar um amigo... Escolhemos os amigos pelas afinidades, pelos gostos em comum, pelos hábitos em comum, mas quando o assunto é um amor, tudo muda de figura!
Encontramos alguém que não tem nada a ver,
Que pensa totalmente diferente,
Que possui hábitos e costumes que não são os nossos,
E que em comum, só a mania de achar que sempre está com a razão!
Mas mesmo assim, não sabemos explicar, é perto dessa pessoa que queremos ficar, que queremos estar em todas as horas, que queremos e precisamos saber como está e o que sente...
Para conciliar a nossa vontade de estar junto com a desvantagem das diferenças de interesses,
É necessário amor, aliás,
O amor é justamente o desejo de permanecer junto apesar das diferenças...
Conheço casais que não suportaram as diferenças,
Conheço "conselheiros" que acharam melhor que o casal não insistisse no amor,
Porque dá trabalho tentar entender e aceitar o outro.
O amor ganha forma real justamente quando as diferenças saltam,
É quando percebemos que estar junto é mais importante do que satisfazer a alguns caprichos
- Que acabamos descobrindo que são mesquinhos perto da satisfação de estar junto -
O amor ganha forma quando sinto que estar junto com quem escolhemos para amar é mais importante...
É lindo, mas, quem disse que seria fácil??
Torna-se fácil quando temos certeza do que sentimos!!

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Por que escondemos nossos erros?

Estava percebendo o quanto somos mesquinhos diante da grandeza que e a vida...

Basta um erro - dos outros - para apontarmos o dedo e julgar como se fossemos mais justos que Deus.
Basta um erro - nosso - para escondermos como se fosse o segredo que condenaria a humanidade ao inferno eterno.

E aí me perguntei, por que escondemos os nossos erros e apontamos os dos outros? Ou, em perguntas distintas: Por que escondemos os nossos erros? Por que apontamos os erros dos outros?

Errar é um ato tão primitivo... Por que simplesmente não aceitamos que ainda somos seres primitivos em constante evolução de caráter?

Conheço pessoas que para desviarem a atenção dos seus erros, apontam os erros dos outros. Pois é, acho que essa é a causa para apontarmos os erros dos outros.

Conheço pessoas que escondem seus erros porque acreditam que o universo gira ao seu redor, e não percebem que errar é totalmente humano, sentem-se acima da humanidade...

Seria tão mais simples se aceitássemos os nossos erros,
Se compreendessemos a nossa humanidade,
Se recohecessemos que há um Deus capaz de nos perdoar por todos os erros...

A vida seria mais simples, e os erros, menos notórios.

domingo, 7 de agosto de 2011

Estou aprendendo com a vida...

Estou aprendendo que todos os meus erros me serão cobrados, ainda que não esteja valendo nota!

Estou aprendendo que não adianta se revoltar e tentar armar um plano maligno de vingança,
O melhor é sentar e esperar o mundo encerrar mais umas voltas,
Assim você terá a oportunidade de conhecer o que é justiça divina.

Estou aprendendo que podem inventar inúmeras mentiras a seu respeito,
Mas será verdade quando falarem de quem te caluniou.

Estou aprendendo que não vale a pena chorar se não for por uma situação irreversível como a morte, para todas as outras questões, existe o tempo...

Tenho aprendido verdades que antes não imaginava que fossem tão profundas, tão certas, realmente, verdades verdadeiras!!

É óbvio que para aprender algumas verdades precisamos passar por alguns abismos,
Precisamos cair, precisamos chorar, afinal, viver é isso, é aprender com os erros e buscar estar cada dia mais perto de Deus e de si mesmo, sabendo que nenhum erro é vão e que nem toda tentativa de acerto é válida quando não se sabe ao certo o que se está fazendo...

Contudo, entre tropeços, erros e acertos, posso dizer, que estou aprendendo com a vida.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Pedido em vão

Eu grito tão alto, tão solenicamente, que mais parece uma poesia do que um pedido de socorro...

Eu tenho gritado tão alto que o choro tem abafado e tudo tem virado romântico, poético, lírico, meu sofrer virou arte.

Uma arte que ninguém entende, que todo mundo admira, se inspira, mas não sente a profundidade de cada verso aqui postado...
Pra piorar, de que vale o oceano, quando são se pode ter ideia de sua profundidade, e quando não se tem sensibilidade para admirar sua superfície espelhando o céu...

É tudo inútil...

Toda arte é vã, todo sofrer é vão, e todo pedido de socorro, é destinado aos surdos de alma...
Esse é o fim.

O meu, que chamo quem não ouve,

O seu, que enxerga, mas não vê,

O nosso, que não se completa apesar de toda necessidade.

Apenas um desabafo



Ai, ai...

Estou casanda, estressada, fadigada, de mal com a vida e ainda assim, tentando ser racional;
E é esse tentar ser racional que acaba de gastar de vez as minhas poucas energias.
Não seio se posso continuar lutando.
Não sei se devo continuar lutando,
Não sei até onde é bíblico persistir por um objetivo que não é mais claro quanto aos projetos de Deus pra minha vida.
Sei lá!
Vou ver novela, chorar enquanto o fôlego permitir.
Duvidar enquanto a razão não tiver respostas sufucientes para calar a emoção.
Tranquilizantes, chás, tudo, qualquer coisa que amenize a dor emocional.
Porque a dor espiritual, somente o espírito pode curar.
Vou dormir pra não chorar e comer para dormir satisfeita com qualquer coisa -
Tudo vale quando a tentativa é de preencher o vazio das perguntas sem respostas.
Porque Jesus responde as dores da alma, e apesar de saber e crer nisso, ainda temo que tudo não passe de utopia...
E Francamente, por melhor que seja o idealizado, não adianta, utopias não me satisfazem.
Temo que minhas dúvidas ultrapassem os limites, mas não posso evitá-las. Preciso ter certeza de crer num Deus superior às utopias...
No momento, está difícil dividir uma coisa da outra, no entanto, algo tenho como certo: qro um Deus verdadeiro e não a utopia de um mundo perfeito que sempre está no futuro...

domingo, 31 de julho de 2011

Que dizer?

Não tenho o que dizer.
Palavras não expressam a minha dor,
E a vergonha me impede de compartilhar o que me faz sofrer.

Estou dando tempo ao tempo,
Mas o tempo não está me dando paciência.

Estou cansada.
Estou exausta.
Exaurida.

Sozinha no mundo, querendo de volta a minha vida.
Vou permanecer, insistir, lutar enquanto tiver forças,
Mesmo sabendo que as minhas forças estão no fim.

domingo, 24 de julho de 2011

Fotografia

Antigamente diziam que tirar foto roubava a alma das pessoas,
Com o tempo perceberam que a máquina na verdade captava as imagens e não roubava as almas.

Hoje passei os olhos em uns álbuns e vi através das imagens: enxerguei as almas.
A máquina captou o amor em gestos imóveis.
A máquina registrou o que não se pode ver com os olhos.

Vi que não importa o tempo,
Não importa a qualidade da imagem,
Não importa se você estava presente ou não quando a imagem foi fotografada,
Pois as almas se revelam sem palavras.

A fotografia desse amor não tem imagem, não tem cor, não tem formas,
Na linguagem de hoje em dia, podemos dizer que não tem megapixels...

São apenas sentimentos expostos em imagens que não se movem,
Mas que, captadas as almas, comovem e envolvem o vidente através do que ele nem ao menos sabe que vê.

domingo, 17 de julho de 2011

Alma em chamas.

Sonhei que eu lia uma carta que de repente começava a pegar fogo.
Sei que são minhas letras ardendo no inferno, são os meus desejos que queimam a minha alma.
São as letras que escrevo para ninguém ler.

Tentei apagar a chama da carta na pia da cozinha, onde encontrei peixes que aguardavam para ser transportados para qualquer aquário.
Vi um pequeno aquário quebrado, que não condizia com as carpas dentro da pia, apenas com o lindo peixe beta morto e estirado entre os estilhaços do quebrado aquário.

Havia água pelos cantos da cozinha, consequência de algum vazamento.
Tudo sujo, tudo fora do lugar.
Estilhaços de vidro e água pelo chão, um peixe morto num quebrado aquário e peixes vivos dentro da pia onde apaguei a chama da carta que queimou repentinamente enquanto eu a lia.

Concluo que só a vida dos peixes dentro da pia pode apagar esse inferno que atormenta a minha alma.

Aquela carta representa a minha alma, que de repente se joga no inferno em busca de uma vida melhor que não tem vivido.

No entanto, não quero confessar meus pecados, nem torná-los públicos, o ato de cometê-los já é suficiente para me fazer sofrer, e apesar disso, eu sei, vou cair no erro e persistir nele.

Embrulho meu presente...

Perfeito seria se eu nao sentisse tanta culpa por querer tanto algo que pertence ao meu mundo.

Sou eu e minhas obsessões. Minhas cismas compulsivas.

Sinto coisas que não sei dizer, coisas que não quero sentir.

Sinto emoções que não condizem com o meu cognitivo.

Fico triste por paixões passadas que não fazem mais parte da minha vida.

Quero um futuro distante demais para alcançar em tão poucos anos de vida.

Eu embrulho meu presente em passado e futuro.

Esse emaranhado de tristeza e inquietude sou eu.

Por incrível que pareça, ocupo bem o meu papel na cadeia alimentar, sei me defender mesmo quando não sei o que estou fazendo...

Quanto a culpa em relação ao que pertence ao meu mundo, vou superar... É inerente ao meu mundo, não tenho porque me culpar, nem culpar ao mundo!

Só sei que não quero mais sentir tantas coisas inexplicáveis.

Tanta solidão apesar de estar cercada de estrelas e ter um sol que me sorri mesmo quando tudo vai mal.

E assim termino minha madrugada pensando em mim. Pensando em você. Pensando nos nós do passado e nas incertezas do futuro que nos aguarda... Ou não!!

;-)

sexta-feira, 15 de julho de 2011

"Há algo errado no paraíso"

Permaneço no Éden prestes a me jogar num abismo desconhecido...

Mas não quero pensar nisso! Não quero que esse pensamento me leve para fora do paraíso...

Vamos roer as unhas e nos atirarmos aos vícios e pecados comuns da humanidade.
Vamos comer e engordar.
Fumar e emagrecer até caber num caixão.
Vamos sofrer e chorar enquanto as lágrimas permitirem.
Auto piedade até o fim!

Pensar no que nunca será pode ser muito cruel,
Mas tornar o que pode ser em presente, pode ser devastador!!
Pense bem nas suas escolhas, elas nunca te darão o resultado esperado.
Espere o melhor, espere o pior, nada disso compensa,
O essencial é esperar pelo inesperado da vida.

As explosões que ocorrem quando estamos distraídos,
As súbitas paixões que nos dominam completamente e nos arrebatam para um mundo distante que mescla céu e inferno numa só paisagem...

O mundo que vivo com você, o mundo que vivo em mim,
O mundo que não vivo e quero viver - não sei se nesse mundo cabemos nós dois.

Por maior que seja a minha inspiração, não sei dizer até onde vou insistir em ser pra sempre minha... Sinto que preciso me trair, essa realidade está insuportável demais para eu continuar sendo-me tão fiel, isso não é coisa de gente normal!

É o paraíso em contradição - sou eu aqui, pensando sem agir.

Lauraine Santos

quarta-feira, 13 de julho de 2011

A deficiente mental administração da educação no nosso país

Hoje por mais uma vez fui surpreendida (sim, eu ainda consigo me surpreender) com o grau de acefalia (ou burrice, não sei, preciso fazer uns cursos para distinguir melhor as deficiências dessa gente) que comanda a educação nesse Brasil. Já há muito tempo me irrito com tanta incompetência, mas sempre me seguro, numa tentativa insana, de conter meu ódio pela corrupção.
O vestibular é a maior prova que a política dá de que as escolas públicas que eles oferecem é um fracasso, pois se fossem boas, os alunos ingressariam automaticamente no terceiro grau, como ocorre de série para série. Ponto.
O ENEM surgiu como uma forma de medir, de avaliar o Ensino Médio – principalmente da educação pública; hoje serve como vestibular para muitas Instituições de Ensino Superior, sendo assim, o exame avalia ao indivíduo muito mais que as instituições que oferecem educação ao mesmo.
As vagas nas Universidades Públicas, em boa parte, estão compradas, garantidas para quem tiver como pagar. (A vaga de medicina estava custando trinta e cinco mil reais a última vez que eu soube – até achei barato...), mas, essa é a corrupção comum, essa já não me surpreende mais.
Uma vez, num vestibular, me deram zero numa prova de redação, achei normal, afinal, sempre fui aluna de notas medianas, devo ter desaprendido a escrever, tinha tirado nota nove vírgula dois na redação do ENEM no ano anterior e meus artigos nos jornais regionais nem sempre foram “bem aceitos”. Pois é... Com zero em redação, não foi dessa vez que eu entrei pra universidade.
Pouco depois fui selecionada pelo PROUNI para cursar filosofia, estaria ótimo se não fosse numa universidade a quilômetros de onde moro, oras, se eu não tinha como bancar um curso particular, teria como me bancar em outra cidade? Ainda não foi dessa vez que entrei para a universidade...
Em outra chamada, fui novamente selecionada para cursar Direito, dessa vez, numa universidade mais próxima. Como o processo burocrático só serve para atrapalhar, as aulas já haviam começado e minha documentação ainda estava sendo avaliada; sendo assim, me permitiram assistir as aulas. Fiquei toda contente, fui parabenizada por um professor ao final de uma aula devido a minha brilhante participação, eu só não sabia que aquela seria a minha última aula de Direito... No dia seguinte, me informaram que faltava um documento e que eu havia perdido o prazo de entrega, que eles haviam mandado um e-mail, que de qualquer maneira, me daria menos de 48 horas para providenciar o desejado por eles, ou seja, missão impossível! Que triste... Desse jeito, eu nunca vou entrar pra universidade!
Hoje, 13/07/2011, um amigo foi selecionado na lista de espera pelo SISU, e saiu cedo de casa para fazer a matrícula, mas outro amigo me telefonou dizendo que o horário era somente de nove às treze horas, que constava em um anexo na página da Internet que é associada à página da Universidade, ou seja, o menino perderia a vaga, por isso estou aqui escrevendo, por revolta! Fazem de tudo para a pessoa não entrar na Faculdade, o ENEM, SISU e etc, viraram sistemas de assistencialismo, e o pior, um sistema (in)competente de corrupção.
Ou essas autoridades são doentes mentais ou eu fui abduzida! Para que colocar horário restrito para inscrição dos APROVADOS no vestibular? Para dificultar? Sim, nós sabemos que é para dificultar, mesmo assim, prefiro acreditar que seja doença mental (que me perdoem os doentes), mas é triste demais para eu aceitar que seja apenas resultado da corrupção de homens inescrupulosos...
Lauraine Santos.

Olhos invisíveis

Meu querido,

O Rei Salomão disse que: "abaixo do sol tudo é vaidade"

Pois eu digo que abaixo do sol não existem segredos.

Tudo pode e será revelado, e meu medo é esse...
Creio nos olhos invisíveis que nos vigiam repentina e incessantemente,
Creio no amor perfeito que não posso receber e não sou capaz de dar,
Creio na fidelidade que descarta qualquer possibilidade de fazer o outro sofrer.

Reconheço a carência e as necessidades que me afogam,
Reconheço que sou meio "psico-sociopata", inconsequente, discreta e inteligente o suficiente para varrer meus erros para baixo do tapete sem que jamais nenhum olho humano me descubra;
Eu sei apagar os rastros que podem um dia me condenar, sou perita em cometer crimes perfeitos.

Sinto-me Eva observando o paraíso, trocando ideias com a maldita serpente, admirando a fruta proibida...

Confesso que sinto-me extremamente tentada!
Mas não posso cair, não posso ter erros para varrer pra baixo do tapete,
Afinal, ainda que ninguém descubra, eu sempre saberei...
E minha inteligência é cruel demais para deixar-me impune a qualquer crime, ainda que seja perfeito, não posso enganar a mim mesma.

Estou no Éden, não me tire daqui, não me tente, eu não sei por quanto tempo insistirei em resistir...



quarta-feira, 6 de julho de 2011

Mulher, qual é o seu valor?

Acho estranho quando digo que sou uma mulher, porque ainda me sinto uma adolescente, mas, de fato, já sou uma adulta, crescida, com desejos e medos de uma mulher. Definitivamente, sou uma mulher. Conheço na pele o que é sentir TPM, menstruar justamente no dia que ia rolar aquela praia, piscina, cachoeira ou em pleno ano novo quando se pretendia usar branco... Sei o que é esperar um príncipe e só encontrar sapos. Sei o que é achar que todas as outras mulheres seriam capazes, menos você; sei o que é olhar em volta e achar que todos os casais do mundo são felizes, ou, mais felizes que você.
E sob esse olhar complexado tenho esbarrado com muitas mulheres, amigas, bonitas, divertidas, inteligentes, independentes, algumas com boa auto-estima, mas que por algum motivo, se esquecem do valor que possuem. Concordo que a razão não domina sobre a emoção e que seria muito bom se isso fosse possível sem sofrimento. Mas não é. E quando o sentimento está nos fazendo sofrer, o melhor é sofrer por um motivo racional, ou seja, optar pelo caminho que vá nos levar a algum lugar proveitoso.
Uma justificativa para quem olha de fora:
Pode parecer que pra mim é confortável escrever sobre o assunto, já que estou casada, e que apesar das tempestades comuns da vida e dos gênios fortes, vivo bem com meu esposo. No entanto, não é assim tão simples. Para hoje estar nessa “situação de conforto” tive que optar diversas vezes entre razão e emoção. E é claro que se eu fosse 100% razão não estaria aqui hoje, mas se fosse 100% emoção, também não! É necessário o equilíbrio e saber a hora certa de optar por um ou por outro.
A mulher por si só já tem inúmeros problemas, levaria a vida inteira para enumerá-los, sendo assim, vou ater-me apenas a um: relacionamentos amorosos. Até onde um relacionamento é realmente amoroso? Até onde uma mulher pode diminuir-se para caber num relacionamento? São respostas complexas, que obviamente, não saberei expressar plenamente, mas mesmo assim vou tentar. Já sabemos que a mulher (a maioria) para sentir-se completa precisa de um relacionamento amoroso, e nessa busca por um amor acaba caindo em inúmeras ciladas... Algumas boas, outras engraçadas e algumas: irreversíveis!
Uma mulher ama e sente-se correspondida, mas seus objetivos de vida são totalmente diferentes. Outra ama e não é correspondida, mas insiste em conquistar aquele sujeito que não está nem aí para a existência dela. Outra ama um cara estúpido que não está disposto a mudar para demonstrar reciprocidade no sentimento. A gordinha ama um cara que está mais preocupado em desfilar com um troféu do que em dar e receber amor, o que inclui motivar o parceiro a ser melhor, e não depreciá-lo quando o objetivo estimado não estiver sendo alcançado. Uma terceira ama um carinha que conheceu por acaso às vésperas do casamento dele, quando se apaixonaram intensamente, mas ele sente medo demais para jogar tudo pro alto e ir viver esse amor plenamente, prefere dar tempo afim de que a vida siga seu rumo natural até a hora que ele tome coragem de separar-se de sua já então esposa. Uma não pode reconciliar-se na vida com Deus porque se parar de ter sexo sabe que seu parceiro a trairá – isso porque ele nem pensa em casamento... Tudo isso tenho escutado de amigas, e é o que mais me dói. Por isso eu faço mais uma pergunta: mulher, qual é o seu valor?
Quer saber se seu relacionamento é mesmo amoroso? Pergunte-se se tem sofrido por não sentir-se correspondida à altura, pergunte-se se tem doado mais do que recebido amor. Pergunte-se o quanto se sente amada... Algumas mulheres confundem relacionamento amoroso com relacionamento doloroso; e sofrem sozinhas por um amor que não existe. O amor só permite sofrimento se for por uma questão insolúvel, ou onde ambos batalhem por um objetivo comum.
Até onde uma mulher pode diminuir-se para caber num relacionamento? A mulher pode diminuir-se, anular-se à medida que se sente amada. O amor é uma via de mão dupla, se a mulher se sente amada, sabe que certamente seu parceiro anda renunciando a muitas manias, e vontades, nesse caso, vale à pena diminuir-se para caber no amor que o outro, genuinamente te oferece, tudo isso, óbvio, caso você também ame intensamente.
Para concluir, o objetivo desse texto imenso: mulher, qual é o seu valor? Você vale umas noites de sexo ou vale um homem te ame tanto que espere o seu tempo? Você vale ser diminuída por um carinha sem maiores objetivos na vida ou merece um homem que te incentive a buscar novos horizontes e que te admire apesar dos seus defeitos inerentes a qualquer pobre mortal? Você merece um sujeito acomodado em “comer” e dormir ou um homem que te queira para a vida inteira? Você vale anular-se completamente, quebrar sua mão dando murro em ponta de faca ou vale um homem que abra mão de determinadas coisas pelo simples fato de querer estar com você? Você merece estar namorando escondido quando é jovem o suficiente para ter um homem livre e decidido, que te ame o suficiente para jogar tudo pro alto e te fazer feliz como você realmente merece ser?
Esse valor que você possui, porém, deve partir de você mesma. É você que merece um homem de verdade. Uma mulher de verdade, eles merecerão... Ou não! Sendo assim, quando as coisas não estiverem bem e o relacionamento não estiver lá muito amoroso, tentemos ser racionais, pode não resolver, mas certamente, melhorará muito! As coisas melhoram quando lembramos o valor que temos... Ainda que o bem amado não ainda não reconheça esse valor, você saberá mostrá-lo na medida e no momento certo.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

03 de março de 2011

É carnaval, toda tristeza se fantasia de festa.
A solidão se junta aos seus iguais para embebedarem suas almas.
Sóbrios são os sentimentos de delírio e diversão.
Vazios são os olhos,
Vazias são as vidas,
Que sóbrias, não são ninguém.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

E o troco intelectual?

O intelecto não produz capital.
O poder braçal é maior que o intelectual.
São as massas de manobra que produzem renda para os assalariados de plantão.
Ossos do ofício. Oficiais sem tradição.
Um país sem destino, à deriva da sempre oposição:
Oposição aos interesses comuns da sociedade.
Viramos os mestres da contradição.

Floreios no lamaçal da vida, discursos enfeitados de ilusões.
As frustrações devoram as vidas da sociedade, são inúmeros sonhos inacabados, interrompidos, impossibilitados pela burocracia macabra.

Sou eu e você, nobre, pobre intelectual,
Trabalhando com seu cérebro a trôco de nada.


domingo, 12 de junho de 2011

Citação de Papias de Hierápolis- entre 70 e 140 d.C

É incrível, parece que estou vendo o mundo cristão de hoje!
Cada templo oferece mais milagres que os outros...
Li, gostei e vim compartilhar!!
"Haverá dias em que nascerão vinhas que terão, cada uma, dez mil videiras; cada videira terá dez mil ramos; cada ramo terá mil galhos; cada galho terá dez mil cachos e cada cacho terá dez mil uvas e cada uva espremida renderá vinte e cinco metretes de vinho. E quando um dos santos pegar um dos cachos, o outro cacho gritará: 'pega-me porque sou o melhor e, por meu intermédio, bendize o Senhor'. Da mesma forma, um grão de trigo produzirá dez mil espigas e cada espiga dará dez mil grãos; cada grão dará dez libras de farinha branca e limpa.
Também os outros frutos, sementes e ervas produzirão nessa mesma proporção. E todos os animais que se alimentam dos alimentos dessa terra se tornarão pacíficos e viverão em harmonia entre si, submetendo-se aos homens sem qualquer relutância".

Você está pronto para perder sua túnica?

Hoje, como não dormi ainda, aproveitei a manhã para ver TV.

Fiquei ali trocando de canal, ouvi música clássica de uma apresentação em si bemol ocorrida há 40 anos +/-, e logo depois, fui parar num desenho animado falando sobre a vida de José do Egito.

Foi quando me dei conta de que José perdeu sua túnica por duas vezes. (ooohhh... o mundo já deve ter percebido isso! rs)...

Em ambas as vezes tomaram a túnica de José para o lançarem aos ratos, ao esgoto, ao pior estado que o homem pode ser submetido.

A primeira vez foram os irmãos de José que por ciúmes e inveja lhe tiraram a túnica e o lançaram no poço, o venderam como escravo...

A segunda vez foi a mulher de Potifar que o arrancou a túnica afim de vingar-se por tê-la negado, o que acaba levando José novamente ao fundo do poço, desta vez, como presidiário.

Em ambas as vezes José é re-erguido por Deus.
Em cada vez num cargo mais alto.

Mas enfim, o que quero dizer é que "coincidentemente", no antigo testamento, quando diz-se que alguém rasgou as vestes, trata-se de um momento de angústia, tristeza, humilhação, devido a isso as pessoas rasgavam suas vestes.

No caso de José, ele não rasga suas vestes, terceiros tomam-lhe a túnica por duas vezes e então o lançam na angústia.

Por duas vezes (citadas) José conhece e sente o que é estar humilhado (fora os pormenores que a história não conta: os maus momentos como escravo, a vida maravilhosa que devia ser na prisão, e etc... ).

No entanto, a fé de José não estava nas suas túnicas.

A verdade é que nós queremos as nossas túnicas. Rasgar as vestes? Jamais!!
Não estamos dispostos a perder essa vestimenta superficial e deixar Deus fazer tudo novo em nossas vidas.

Mesmo assim, as vezes, para chegarmos aonde Deus quer, para chegarmos aonde almejamos para uma vida cristã saudável, precisamos estar dispostos a perder nossa túnica, seja ela colorida, de linha, de lã, de ouro ou seja lá do que for... Precisamos passar pela humilhação, pela injustiça, pelos problemas comuns da vida, mas pra isso, eu pergunto: você está pronto para perder sua túnica?

Boa reflexão!!

terça-feira, 7 de junho de 2011

Percurso da vida

Os sentimentos que você me obriga a expressar saem como palavras pela minha boca: como se fosse um rolo de arame farpado sendo arrancado das minhas entranhas.

O tempo passa sem eu perceber.
A vida segue seu rumo natural, e nem sei que rumo é esse...
Ninguém tem o endereço, ninguém sabe dizer exatamente pra onde ela vai.

O ponto final é a morte, mas convenhamos que morte não é destino para a vida seguir...
O destino da vida deve encerrar-se pouco antes da morte.

O tempo é o percurso da vida.
E eu, você, telespectadores, somos atores nesse grande espetáculo, onde a vida se mostra através de nós.

E os sentimentos, arames farpados, entranhas expostas no asfalto da vida, somos apenas nós mesmos em nossa essência sem matéria.

sábado, 21 de maio de 2011

O Breu do MEU mundo

Olho em volta e tudo que vejo é breu.
Escuridão silenciosa, solitária.

Um enorme abismo se forma em volta de mim.
Não consigo enxergar nada.
Fico ausente de outros sentidos,
Pois a audição não distingue os sons que sorrateiramente se manifestam.
O olfato não consegue perceber o que está diante do nariz.

Esse abismo me devora.
Mastiga minha alma com vagareza, lentamente, delicia-se com meu sofrer.
Morosamente degusta da minha aflição.

Sinto minhas entranhas ardendo em medo.
Sinto-me dormente assistindo o fim da minha vida.
Assisto o breu do meu mundo, o breu das minhas dúvidas sem respostas,
Assisto-me terminar sem forças para lutar.

Saudades de uma amizade distante

É pra mim que você corre quando se sente só.
É em mim que você pensa quando se sente triste.
É nos meus braços que você encontra consolo quando o mundo te abandona.

Eu sei que você chora calada,
Seu que você ri sozinha quando se lembra das nossas pieguices.

Mas sei que você só pensa em mim quando o mundo te esquece.

E mesmo que você não precise, te abraço em pensamento,
Te acolho do vento e te protejo da vida com o meu amor.
Sinto sua falta . Penso em você.

Também nos meus momentos de dor sei que a sua alma me protege.
De alguma forma, também me sinto segura apenas com o fato de você existir.

Penso em você quando meu mundo cai.
Penso em você quando preciso chorar.
Penso em você em cada simples segundo que se passa.

Penso em você, penso em mim.
Lamento-me por estarmos distantes,
E agradeço aos céus por ter me dado o seu amor,
Que é maior que a distância.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Tantos então...

É a ópera dos operários. Sinfonia filarmônica.
Personagens ilustres se desmontam em pedaços que lhes desmascaram.
É a vida em movimento.
São destroços da função sintática, são palavras não ditas repletas de significados.
Estrofes de uma composição ininterrupta.
Somos os clássicos da religião, o mundo em bolhas de sabão.
As memórias esquecidas de uma preguiça infinita se perdem na terra do nunca.
Marquizes que permitem a sombra da intimidade.
Quem "se acha" muito, é porque se procura muito, e só se procura muito, quem não sabe quem é ou onde está.
Eu me procuro, me escontro em cada esquina, em cada olhar, em cada gesto descoordenado.
Procuro-me insaciavelmente!!!
O sol e a sombra. O reflexo e o objeto refletido. O reflexo não é o que parece, ele apenas transparece, e o objeto refletido, esse sim, é muito mais do que se vê apenas pelo seu reflexo.
A sombra é o reflexo e o sol não é o objeto refletido, o sol é muito mais que tudo isso...
O bando da cigarra hippie está chegando, aliás, que cigarra não parece hippie? Todas parecem!
Vivem de cantar até estourar, até a vida acabar... oras, são parceiros da vida instantânea, viventes do agora e perseguidores da utopia.
Tão sérios e carrancudos prosseguem os infelizes.
Tão sorridentes são os que possuem esperanças.
Tão monónotos são os céticos.
Tão introspectivos somos nós, que lemos, entendemos e sentimos o que a razão não consegue se quer compreender.

Postagem do tédio

"...Transformar o tédio em melodia..."

Eu transformo qualquer melodia em tédio,
Qualquer alegria em tédio,
Qualquer segundo em tédio...

Transformo-me em tédio para não cair na mesmice da felicidade rotineira e sem sentido.

Escancarar a canjica e sorrir não é nada simpático quando não se sabe a causa de estar sorrindo.
Pra mim, sorrir tem que ter uma causa,
E, sinceramente, não é qualquer causa que me faz feliz.

sábado, 23 de abril de 2011

Dois tempos em nenhum

Somos dois tempos vivendo em tempo nenhum.

É triste, mas não sei como dizer.
É a realidade, mas nem de longe traduz a realização idealizada.
É o agora que não produz futuro e me faz lamentar ininterruptamente pelo que ainda não foi e que nunca será...

Não que eu não tenha fé,
Apenas porque o presente momento não está produzindo futuro...
Tão triste isso.
Tão triste viver assim.

Somos dois tempos.
Um no tempo de viver.
Outro no tempo de morrer.
Ambos tentando viver tempos que não os pertence.

Ambos sofrendo e amando... sem produzir o futruro....

Passagem das trevas para a luz

Páscoa:

Momento primeiramente de profundas trevas, medo, incertezas...

Seguido da eternidade de uma intensa Luz Libertadora!

Feliz páscoa!

terça-feira, 5 de abril de 2011

Dia de chuva

Uma hora um fusca,
Agora um Gol,
Passou uma Fiat branca, e daí?
Depois da mulher de guarda-chuva ainda passou um carro na contra-mão.

Um ônibus e depois um caminhão.
Uma Kombi,
Um Palio,
Um homem com o guarda-chuva na mão.

Um homem de boné,
Uma buzinada,
Barulhos de um salto batendo no chão.

Vejo a lista telefônica.
Estou atrasada para aprova de matemática.
Mas e daí se passou um Vectra?
O que eu vi foram cavalos puxando uma carroça.

Uma criança,
Um cachorro,
Uma mulher,
Um homem,
O cachorro correu de volta,
Um ancião,
Uma bicicleta correndo diante dos meus olhos,
A vida em ação.

Gosto...

Gosto da tua forma de falar, do teu modo de olhar.
Só não gosto de não ter livre acesso aos teus olhos e nem aos teus braços.
Gosto da tua forma de pensar e gostaria de participar intensamente de todos os teus pensamentos.

Jamais esquecerei

Existe algo indescritível em seus olhos,
É algo que eu não sei, me diz além das palavras.
É algo tão envolvente que não sei o que é!
Sinto-me tentando ser você, e quase penso não conseguir...
é quando percebo que os nossos olhares se dizem as mesmas coisas.

Parece impossível o que há entre nós,
Mesmo assim, é algo que eu sei: jamais irei esquecer.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Chega 1º quem anda + rápido


Triste é quando a morte chega antes da velhice....
Deixa a gente assim, com uma dor no peito e sem palavras que descrevam a saudade.

terça-feira, 29 de março de 2011

Até hoje somos assim...



Mulher é um bicho que fala pra kct...

Se fosse calada nao teria dado papo pra serpente!

Escutamos e falamos com quem não devemos!




Mulher é um bicho que fala pra kct! Se fosse calada nao teria dado papo pra serpente!

domingo, 27 de março de 2011

Evidências



Tudo fica mais fácil quando temos a quem amar, com quem brigar e depois fazer as pazes pra poder seguir adiante...
De tanto pensar morre o burro...

Pelo menos estamos sobrevivendo!

sábado, 12 de março de 2011

Missões: A quem enviarei?

Lembro-me com clareza do último culto traduzido por minha mãe de um missionário boliviano.
Ele perguntava à igreja: "A quem enviarei?"

Pediu que os que sentissem vontade no coração de realizar trabalhos missionários fossem lá na frente para orar, como forma de dizer "Envia-me a mim".

Foi bastante frustrante pros meus pais (que são ordenados missionários) e para metade da igreja, (que espera que filho de peixe seja peixinho) me ver sentada sem demonstrar o menor interesse pela proposta.

Lembro da cara de reprovação do meu pai... Mas a cara de reprovação dele não foi suficiente para me fazer mudar de ideia.

Nascida e criada numa igreja de ótima estrutura, sempre fui veemente em dizer que não faria missões, que era melhor Deus nem me chamar pq eu não queria e não iria ouvir, estava muito bem em minha zona de conforto, com minha cama quente e macia para dormir.

Nesse tempo, por força das circunstâncias, estávamos numa igreja muito diferente da qual eu fora criada. Nasci e cresci numa igreja de alicerces bem fundamentados, vista por muitos como se fosse um regime militar, tamanho zelo para com a obra.

E quando mudamos de cidade, me vi numa igreja... totalmente diferente, vamos resumir dessa maneira. E mesmo estando nessa igreja tão diferente, eu não quis mesmo levantar e assumir com Deus o compromisso missionário; pensava: "Eu? Tô fora!"

Vi a igreja em peso ir lá na frente. É incrível que nessa igreja (aliás, percebo que é um mal da cidade, todas as igrejas da cidade são assim... sei pq já passei por mais da metade delas qndo me mudei pra cá e tive que sair do ninhos de origem) são sempre as mesmas pessoas, pode variar o apelo, mas essas pessoas não distinguem o dom que Deus quer que elas desenvolvam. É mais ou menos assim:

-Quem quer aceitar a Jesus? - levanta o grupo de louvor, visitantes, agregados, pastores, missionários, evangelistas...

-Quem quer fazer missões? - levanta o grupo de louvor, visitantes, agregados, pastores, missionários, evangelistas...

-Quem tá curado? - levanta o grupo de louvor, visitantes, agregados, pastores, missionários, evangelistas...

-Quem precisa de libertação? - levanta o grupo de louvor, visitantes, agregados, pastores, missionários, evangelistas...

Podem ser apelos distintos numa mesma noite, o povo não se encomoda, levanta pra tudo.

...O triste é quando o ministério de louvor, depois de haver ministrado, aceita o apelo por estar em pecado... [ele não devia ter se arrependido antes de ministrar sobre as vidas alheias?Pois bem, esse é outro assunto, voltemos ao âmago do texto]

Apesar de estar vivendo esse conflito de ter nascido numa igreja altamente organizada e estar em outra com membros totalmente "autônomos"(cada um faz o que quer), eu insistia em dizer não ao chamado missionário. Ainda brincava, dizia que Deus ão era doido de me chamar pra isso!

O missionário estava hospedado em nossa casa, onde me perguntou mais uma vez se eu não sentia o desejo de avangelizar. Pode ter sido descortez, mas minha sinceridade as vezes não é lá muito educada!

Um belo dia... Conheci um homem, macumbeiro e outras virtudes mais esperadas para uma jovem cristã protestante radical ortodoxa... rsrs.
Começamos o namoro, em pouco tempo, ele se converteu, entrou sedento pela Palavra de Deus, lutou pelo batismo (o batismo dele é outra história incrível, o pastor queria levar pra outra cidade pra batizá-lo, coisas da cidade aqui).

Sei que por causa dele, que coitado, acabou casando comigo, rsrs... acabamos indo parar nas congregações, a princípio, chamados de "pontos missionários". Lá estávamos nós fazendo trabalho com as crianças. A desordem da igreja impedia o trabalho de crescer, quantas vezes fui de ônibus carregando balde, bola, lanche, pandeiro, lápis de cor, folha e sei lá mais o quê, pra no fim das contas, tratarem o trabalho como se fosse lixo. Óbvio, não tivemos como continuar essa obra, mas persistimos em outros locais que precisavam - e precisam - até mais.

Hoje é sábado, e lá estaremos nós fazendo a obra.
Levando um pouco de Deus para aquelas crianças que não têem nada.
Algumas não têem os pais, outras não têem comida, não têem TV, DVD, Video game, Celular... algumas casas não têem nem luz elétrica. Muitas crianças sofrem todo tipo de abusos e humilhações.

No último culto, perguntamos "que milagre gostariam que Deus fizesse por eles", teve um que respondeu que gostaria de receber carinho - e a irmã dele pediu a mesma coisa. São tão pequenas, tão indefesas... E tão desiludidas da vida, a ponto de que carinho, só se for um milagre de Deus...

Fecho os olhos e lembro os irmãos que foram à frente naquele culto, pedir a Deus "envia-me a mim" - Todos estão juntando dinheiro e têem esperanças de um dia ir à África (passear, pq missões a gente faz aqui); enquanto isso, almas se perdem. Evito julgá-los, pois entendo como falta de maturidade a tendência ao sensacionalismo de ter que mostrar pra todo mundo que quer ser chamado pra tudo que Deus pede.

O trabalho é árduo. Difícil. Caro, porque um trabalho bem feito exige recursos e criatividade, mas que realizamos porque Deus tem nos dado forças. A luta é grande.
Exige que sejamos obreiros aprovados que não têem do que se envergonhar, que estejamos na busca por manusear bem a Palavra, que a fé se renove a cada manhã e etc e tal.

E hoje, com atitude inesperada, entendo que a minha vida, o meu temor a Deus e o amor pelas almas tenham dito "eis-me aqui, envia-me a mim". Porque apesar de todas as dificuldades, espirituais e carnais, Deus tem levantado gente para seguir conosco nesse caminho que leva à vida eterna.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Sobre o dia de hoje

A angústia devora meu peito,
Dilacera-me pedaços,
Estrangula-me o ego,
Corrompe-me a fé e
Questiona o tempo de Deus.

Fico pequena, impotente,
Irracional, revoltada,
Com uma íra crescente.

Aos poucos, consigo voltar a mim,
Racional, remeto-me ao arrependimento.

Debaixo da tristeza avassaladora que se apossa de mim,
Consigo chorar, questionar, sofrer...
Permito-me definhar diante das circunstâncias insolúveis.

Tomo minha fé nos braços e sigo a frente com ela...
Ainda que tudo dê errado, ainda que a íra seja crescente em alguns momentos,
Ainda que esses momentos sejam eternos e que as dúvidas aflorem selvagemente,
Tenho certeza do que creio. Arrependo-me, volto ao Caminho Verdadeiro carregando minhas angústias, certa de que um dia, tudo isso há de passar.

Questões infindáveis.

Despindo-me de qualquer personagem,
Aqui sou eu sozinha.
Sem máscaras ou subterfúgios.

Questiono a existência sem conseguir me fazer existir.
Salvo minha alma em pequenos versículos e esqueço todo o resto que não me for conveniente.

Expor o que é correto é fácil a qualquer pessoa esclarecida.
Viver corretamente é que requer muito mais que apenas boa vontade.

O mundo das ideias é aqui, no virtual.
Tudo acontece e nada é pecado... será?

Vejo inversão de valores.
Mas não vejo um Deus mutável para o povo de Israel.
Os problemas, sim, mudaram. A sociedade, a tecnologia, a ciência... sim! Mudaram.
Mas o Deus que conheci é imutável.
Só vejo que a humanidade também não mudou muito...
Parece-me que desenvolveram novas técnicas de pecado.

Aliás, os pecados continuam os mesmos, só mudaram a maneira de praticá-los.

Porém, este seria um poema, e não uma crítica social, religiosa, política e etc e tal...

Sou apenas eu com meus pensamentos.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Aos amigos do Blog

Estava eu aqui, no pc, passeando pelos blogs amigos quando me dei conta da história que estamos escrevendo: LITERALMENTE!

São tantos talentos!
Alguns escrevem de maneira poética,
Outros, de maneira crítica...

Todos registram suas ideias, sentimentos, vontades, desejos;
E tudo é feito com tanta clareza, com tanta suavidade, classe, postura,
Podendo levar-nos do ódio ao tesão sem tirarmos os olhos das letras estampadas no computador.

É a literatura hoje,
É o amor hoje,
É hoje:
A vida, a poesia, a morte, o pranto, o delírio insano, os sentimentos aflorando em nossas peles.

Aos blogs que eu sigo, obrigada por partilharem esse talento de expressar um pouco do que são de maneira tão bela. Por trazerem para o meu presente, o que os livros tratam como se fosse passado, por deixarem claro que os antigos escritores permanecerão na memória, mas que os poetas do futuro existem desde agora.

Lauraine Santos

Tudo é vaidade!

A vida desenhada em letras que não se pode ler.
São parágrafos da ilusão.
Inúmeros números romanos, bárbaros, armados, soldados da intervenção dos homens em seus instintos primitivos.
São guerreiros das emoções perdidas, do tempo que já se foi, da areia que o vento leva, do relógio sem ponteiros a que remeto minha imaginação.
Vejo sinais astrolóogicos, decadentes, fluorescentes... Que ultrapassam o tempo, não importa se com ou sem ponteiros.
Não importa há quanto tempo esse tempo esteja sendo marcado, não domino nem o tempo que tenho de vida...
Escrevo cartas que nunca enviarei; na verdade, são cartas que escrevo para falar comigo mesma.

Falo e não me escuto.
O que ouço não entendo.
Estou muito longe de mim para entender o que digo.
Para um amador, meias palavras bastam.
Para mim, é necessário muito mais de um dicionário.
As rodas da fortuna limitam-se às hélices do ventilador.
O sol reluz sem meod de ofuscar a visão dos videntes.
O ouro da sobrevivênca vale mais do que sobreviver, e menos do que deveria.
São tesouros da ilusão,
Produtos da imaginação, crimes sem solução.

Cabelos armados para a guerra da moda padrão.
Modelos de beleza sem nenhuma valorização, são vitrines vazias, manequins desnudos de emoção.
São modelos de oposição a vida e ao amor próprio, que se desprende da alma e abraça a aparência como modo de viver.

O tempo passa, o mundo gira. as coisas mudam, mas a vaidade... Ah, sim, a vaidade... O homem continua o mesmo!

Lauraine Santos

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

O mundo sob o olhar das coisas

O olhar das cadeiras só vê as bundas.
Lá uma vez ou outra podem se deparar com alguns pés.
O olhar das mesas se amplia entre braços, peitos e barrigas.
O olhar da caneta é o papel

O mundo sob o olhar das coisas

O olhar das cadeiras só vê as bundas... Lá uma vez ou outra podem se deparar com alguns pés.
O olhar das mesas se amplia entre braços, peitos e barrigas.
O olhar da caneta vê o papel.
O olhar do papel vê a caneta, a mesa e as mãos.
O olhar do volante vê as mãos.
O olhar da panela vê o fogo.
O olhar da xírcara vê o café. A medida da colher é o açúcar.
A visão do espelho é o reflexo: reflete tudo que não é.
A visão da cama é o corpo, é o sapato, é o estrado, é o colchão.

A visão da dor é a droga.
A visão do cego é o palpável. A visão do insensível é cega.
A visão do cego é o ouvido. A visão do ouvido é o cotonete.
A minha visão vê o invisível aos olhos
e a visão dessas letras: some aqui.

Lauraine Santos

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

10/12/2004

Meu amor apagado,
Desfeito em lama,
Coberto de nada,
Embriagado de sangue,
Extraído da chuva,
Transformado em vapor.

Meu amor crucificado,
Minha dor expressa em lágrimas,
Minha vida mortificada,
Minhas plantas plastificadas,
Tanta dor, a troco de nada.

Tudo em nome de um amor apagado
E já evaporado em lágrimas.

É uma pena, que de tantos momentos, apenas a lembrança tenha nos restado.

Lauraine Santos