domingo, 25 de julho de 2010

Labirinto

Labirinto - muro - murro na parede - chão!
Segundo round!
Pés - pernas - tropeços - muro - murro na parede - chão!
Terceiro round!
Olhos, breu, cabeça, murro: chão!
Breu sem solução,
Lágrima de solidão,
Momento sem definição,
Fim sem previsão.

Eu, eu e eu, apenas eu tentando sair desde buraco escuro sem nenhuma resposta pra tantas perguntas.

Transformo-me no labirinto de questões que me envolvem, e se me perguntar quem sou, sei que sou apenas um labirinto.. onde caminho no escuro, dou de cara na parede e caio no chão, choro enquanto consigo, adormeço de cansaço, e acordo renovada para o seguinte round de solidão.

Lauraine Santos.

sábado, 17 de julho de 2010

Poços de solidão

Poços de solidão
São três horas e vinte e um minutos da manhã do dia dezessete de julho de dois mil e dez.
Estou com a TV ligada e ao mesmo tempo passeando na internet.
Na TV, vejo, ou programas depreciativos, ou programas ditos evangélicos depreciando ao evangelho.
Na Internet, vejo muitas, muitas pessoas acordadas e sozinhas, verdadeiros poços de solidão. Afundadas, imersas na solidão real, afogadas na frustrada tentativa de se enganar com desconhecidas companhias.
Sinto-me num caldeirão, cercada das mais diversas formas de solidão.
Solidão anônima, solidão estampada, solidão sem causa, solidão mascarada.
Não são pessoas, são apenas nomes, personagens, o anonimato estampando a realidade que faz sofrer.
Somos o livro aberto da sociedade atual, registrados em rede.
Temos nossa história exposta num mundo virtual. Uma espécie de diário flutuante no espaço.
Mas não era exatamente isso que eu queria abordar.
Conforme comecei falando, a TV nada apresenta de bom, e o evangelho que citam, é deprimente e herético (não todos, mas a maioria)... Só posso concluir dizendo, que, os falsos profetas, esses, que estão na TV prometendo carro importado e casa própria, se acertarão com Deus, por não estarem contribuindo para o fim de tantas solidões reais e espirituais.
Responderão pelas vidas que não se esforçaram por alcançar. Francamente, eu mesma não suporto ouvir tantas mentiras, e o papel do evangelho, é de libertar, sarar feridas, tirar da solidão... Afinal, solidão não faz bem a ninguém.
Porém, a falta da Palavra de Deus acaba plantando cada vez mais poços... uma multidão de solidão.
Lamento muito por isso... É tudo que consigo dizer sem me estender no discurso.
Lauraine Santos.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Melancolia online

Bom dia.

Acabei de acordar, e nem estou melancólica, mas já estou tão habituada a reclamar atoa, que não poderia perder a possibilidade de fazer isso online.

Estive revisando meus textos postados nesse blog, e sinceramente?? Muito pouca coisa presta de verdade! Tudo bem, que os que prestam fazem valer minha existência, e graças a eles, sinto que essa existência podia ser um pouquinho maior, aliás, textos com contextos por si só já fazem minha existência ter um sentido muito maior.

Estou com saudades da Furibica, ela nunca mais escreveu nada - nem eu!

Acho que entramos na decadência literária, sem nenhuma frase escrita, sem nenhum pensamento que seja novidade. O romance de Epaminondas e Ermengarda está parada, penso em colocar a Furibica pra fazer uma resenha crítica dessa história de amor. Enfim, serei eu, criticando minha obra e minha autoria... será que isso faz sentido?

Aff.... vamos deixar os sentidos fora disso, uma vez que eles em nada se comunicam com a razão, apesar de nós os associarmos os instintivos sentidos ao que é, de fato, razão. Se bem, que, quem sabe exatamente onde começa a razão?

Enfim, esta é apenas uma melancolia desconexa, feita online, por nada.

Lauraine Santos.