segunda-feira, 26 de abril de 2010

Eu- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - Tentando mudar

Descrever sentimentos: será que vou ter que sempre fazer isso?

Espero não ter que conviver com tanto sofrimento para manter minha inspiração. Estou desanimada.

Camuflando de gripa a minha depressão e falta de vontade de sair da cama.

Gosto de MPB, mas estou tentando ser jovial e agir como as pessoas normais da minha idade: mudei de estação, estou ouvindo a Jovem Pan. Até que é legalzinho, dá pra sobreviver, e é até engraçado, divertido, apenas me pergunto até quanto mais terei que mudar para alcançar o meu ideal... e nem sei se vale a pena ter algum ideal... ideais costumam ser sinônimos de utopia, e de utopia, já estou esgotada!

Já me bastam os meus sentimentos que insistem em me iludir, em me machucar. Cansei de mim! Não me agüento mais. Não me suporto, e não tenho, infelizmente, como me livrar de mim.

São tantas coisas. Sentimentos sinceros, paixonites agudas, jogos por diversão, jogos valendo vidas, jogos de amor, vícios, prisão ao psicológico, apego ao jogo de palavras e de idéias; a mania de avaliar e tentar adivinhar o futuro. Eu e minha visão de mundo: minha inútil, míope, deficiente e cega visão de mundo.

Sinto muito por mim, mas é assim! Sou assim! Até morro sentindo auto piedade, e sabendo que esse é o mais egoísta dos sentimentos, porém, se sou assim, me condeno: aceito a morte como punição. Suicídio não é justo, então, na medida do impossível vou sobrevivendo com a minha condenação, até que o meu dia chegue, justiça seja feita e eu pague a minha pena... o.k.! É isso apenas!


Lauraine Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marque presença