quinta-feira, 19 de abril de 2018

Cliché: tango em Paris

Eu, adolescente de 30 anos,
Perdida nas minhas imaginárias ruas de Paris
A passos lentos contemplo vitrines que meus olhos nunca viram
- e que talvez nunca vejam -.

As dúvidas são a única certeza.

Os beijos, a saudade e as despedidas
Na cidade do amor, no solo romântico e platônico
Se repetem continuamente.

Dá-se adeus às ilusões individuais e aos sonhos conjuntos.

Na minha Paris imaginária
Por onde caminho hoje,
A chuva e o céu cinzento descrevem o que há nos corações solitários da cidade-luz.

O vento frio corta o meu rosto
Como a frieza dos amores findados gela e trinca a alma de seus ex-amantes.

Talvez seja o excesso de literatura que me põe em Paris a ouvir música cubana.

O tango é o drama vibracional
Capaz de fazer tremer as paixões mais intensas:
Das mais românticas às mais tórridas carnais.

O tango é uma fina linha suspensa no ar sustentando o equilibrista palhaço na monocicleta:
Tal qual o coração dos apaixonados, que se podem arrebentar ao chão a qualquer momento!

Entro no meu quarto de hotel,
Fecho as janelas para me perder nos meus pensamentos,
Pois, nas ruas da minha imaginária Paris, nada encontrei que me pudesse levar para além de mim.

>>Reforçando assim, a ideia de que, é dentro da gente que tudo acontece.

terça-feira, 10 de abril de 2018

Corrupção: doença genética?

A corrupção está cada dia mais entranhada nas células humanas.

Cada vez mais cedo o homem perde as noções de integridade moral e honestidade.
Parece uma doença genética: já se tem nascido assim... 

Um aluno com 6 anos e outro com 9 foram pegos, em turmas e séries diferentes, colando na prova. Driblando o sistema corrupto? Não. Corrompendo o sistema por si mesmos. Sendo o sistema corrupto do qual a mentalidade de sociedade sã tenta se livrar.

Meninas de 9, 10 anos, “sensualizando” nas redes sociais, em fotos vulgares, 
Com poses e roupas que não cabem nem às mais rampeiras prostitutas da nação brasileira. 
Corrupção? Sim. Corrompe-se a infância e a possibilidade de conhecimento do prazer livre, diverso, e aprisiona-se o ser corrompido ao prazer do corpo, do ego narcisista e doente, que culmina por interromper o conhecimento da diversidade de prazeres vigentes e possíveis na vida de um indivíduo, prazeres que estendem um leque que vão infinitamente além do prazer erotizado, prazeres que permitem que o homem enxergue-se para além do seu corpo e de seu ego momentâneo...

Corrompe-se a infância. A infância já tem nascido corrupta e corrompida. 
APAVORANTE. DESESPERADOR!!

Veja bem, não estamos falando de “lava jato”, “mensalão”, “petrolão”, “lavagem de dinheiro”, “dinheiro na cueca”... 
Estamos falando do motivo que ocasiona tudo isso: egos falidos e egoístas (quase redundante), de diversos tipos: 
– dos que são incapazes de alcançar seus objetivos por mérito próprio; 
– dos que são altamente capazes, mas que sabem que se não se adequarem ao sistema, são “carta fora do baralho” e sustentam a máquina da corrupção girando. 
Pessoas que necessitam de aprovação a qualquer custo. 

Isto vê-se no menino colando na prova, na menina que precisa de elogios nas redes sociais, no político de trilhões de votos comprados, no engenheiro estudado focado em seu próprio umbigo.

Ou se erradica a corrupção com punições severas ainda na infância, 
Ou, o que temos para o futuro, 
Não quero viver para ver.

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Páscoa 2018

É insano acreditar que um homem
Tenha nascido de virgem
Tenha , enquanto homem, sido também Deus
Tenha vivido entre os homens, sem pecar
Tenha morrido, sendo Deus, como homem maldito
E tenha ressuscitado por amor a homens tão pecadores
Que nem a misericórdia lhes justificaria qualquer segundo perdoado no paraíso!

É insano! Não quero crer nisso!!!
Não quero!
Mesmo os absurdos aos quais me permito
Não me permitiriam tal devaneio...

No entanto, esta fé,
Quase independe do meu querer.
Porque é o surreal mais palpável que alguém pode experimentar em sua existência e percepção de vida.

É o irracional mais enraizado, que se sobrepõe até mesmo aos instintos naturais.
É a prova de que a razão, tendo raiz ou não,
Não se permite dominar, antes, neste caso, desfalece nos braços da fé,
Confiando cegamente no que não explica
Não domina
Não subjuga: por incapacidade antagônica, neuronal, metafísica, espiritual.

Não consegue o homem negar-se a si mesmo a essência de sua vida e existência.

... Por isto, mesmo sendo insano
Mesmo não querendo...
Eu creio. 

segunda-feira, 12 de março de 2018

O que está faltando... onde?

O que está faltando
Não são aparições públicas com textos sagrados
E lições bem elaboradas de moral e bons costumes.

O que está sobrando
É a falta de credibilidade dos expostos quanto ao que estão expondo.

O que está faltando é gente que é o que diz que é,
Que segue o que professa,
Que cumpre o que diz,
Que se expõe e que apesar de todas as suas contradições
Próprias da natureza humana,
Perseguem e se atiram rumo ao alvo
Daquilo que professam crer.

O que está faltando é o que falta desde o início da humanidade...
Que talvez,
Ninguém saiba o que é!

quinta-feira, 8 de março de 2018

Mente bipartida

Quando a dor é insuportável

A mente se reparte

A fim de manter

Ao menos uma parte de si, sã.

A parte rompida é o local de fuga,

O esconderijo, a máscara

O mundo que ninguém conhece

O universo que o próprio indivíduo vivente desconhece de si,

O paradeiro da fantasia e das ilusões quase conscientes

De quem se nega a continuar sentindo dor.



A parte que fica

É o recanto da dor, da saudade,

O abrigo do coração partido

O cantinho do choro

O quartinho da solidão...



E o rosto que as pessoas enxergam na sociedade

É um misto de ambas as mentes que antes eram uma só.

Continuam, aparentemente, sendo uma só.

A face precisa sorrir

Então,

Mescla o recanto da dor com a fantasia sorridente de um carnaval passado,

O cantinho do choro, com a ilusão de um futuro deslumbrante

E sai por aí,

Educadamente cumprimentando a sociedade,

Sorrindo de orelha a orelha,

Acenando gentilmente quando necessário

Escondendo sua bipartição

Enquanto não se ousa mostrar a dor...





Porque dor, não é algo que se mostre pra qualquer um!

terça-feira, 6 de março de 2018

Só - sozinha

Hoje eu me sinto só.

Sozinha.

Por egoísmo alheio

Mas também por permissividade passiva

Por crenças irreais em alguém que não era real.

Investi tempo em um amor que nunca foi recíproco.

Lição aprendida: desde o primeiro sinal de não ser prioridade,

Não se anule! Não se permita estar em segundo lugar...

Ou

Quando você se der conta, estará tão excluída, que nem mesmo fará parte dos planos básicos.



Para estar só, é melhor não ter nenhuma companhia que se fantasie de presença.



E você só percebe o quanto estava se enfadando á solidão, quando as pessoas que te apoiam comemoram o peso morto do qual você quer se livrar, comemoram o solitário do qual você está se desvinculando, comemoram o fato de que você tem uma vida, precisa vivê-la e jamais faria isso sendo segundo plano na vida de outrem que não ama a ninguém além do próprio umbigo.

Eu não quero estar na vida de alguém para eu ser ninguém.

Desta forma,

Eu não quero estar na vida de quem quer que seja!



Hoje eu me sinto só, (muito só), mas sei que é a última vez após muitos dias de vazio, tristeza e solidão.



Solidão a dois não vale pra nenhum.